01/02/2018

Família Teixeira de Castro - Parte 11

Família Teixeira de Castro

O patriarca de dois ramos formados no Brasil desta família foi Joaquim Antônio Teixeira de Castro, que nascera por volta de 1816, no Norte de Portugal, onde também iniciou estudos para se tornar padre. Estudos estes já bem adiantados em 1836, interrompidos por ter sido expulso da entidade religiosa. O motivo teria sido um desentendimento havido com um padre do corpo docente do colégio. Tornando-se sobremaneira persona non grata no reino português, por ser a religião então unida ao estado. Ele acabou indo para a vizinha região da Galiza. Tinha conhecimentos referente à agricultura que trouxe da família e também da fabricação de pães e outros produtos derivados da farinha de trigo, adquiridos na padaria do colégio.1,4,6
Entrementes, já havia uma conterrânea sua de nome Constança Maria da Conceição, que muito o amava e com ele sonhava ter um lar. E logo no reencontro, após ele ter deixado os estudos, iniciaram um planejamento para dar um novo rumo em suas vidas. Mas, como se tornou impossível naquelas circunstâncias organizarem suas vidas em Portugal, fizeram então um pacto: o de virem para o Brasil e aqui se casarem e viverem. E em 1836, para poder viajar, ele alterou alguns dados seus, tirando o seu passaporte como sendo natural da vizinha Galiza e resolveu vir primeiro do que ela para o Brasil.1
E foi num domingo, dia 01 de janeiro de 1837, dizendo contar apenas, dezoito anos de idade, que Joaquim Antônio Teixeira de Castro zarpou da cidade do Porto com destino ao Brasil pela galera Lusitano – que era um tipo de embarcação de três mastros com grandes velas arredondadas. Desembarcou no porto do Rio de Janeiro, no dia 21 de fevereiro de 1837, uma terça-feira de lua cheia, depois de exaustivos 51 dias de viagem, isto provavelmente por causa das paradas programadas e também pelas calmarias da Costa da África. Joaquim Antônio Teixeira de Castro era pela relação de passageiros, o de número 105, dentre os 124 que vieram desconfortavelmente na embarcação.2
Numa quarta-feira, dia 08 de março de 1837, depois de transcorridos quinze dias da sua chegada ao Rio de Janeiro, ele compareceu ao Escritório de Controle de Imigrantes da Polícia da Corte e disse que morava por ora na Lapa do Desterro, número 19, trabalhando numa padaria. Já nas anotações que se encontram à margem direita do mesmo documento constam que ele era possuidor das seguintes características pessoais: trigueiro (moreno claro), de estatura ordinária (normal), de cabelos castanhos, olhos pardos, nariz e boca regulares.3
A Lapa do Desterro, onde ele provisoriamente passou a residir e a trabalhar, era um lugar muito frequentado pelos portugueses recém-chegados à cidade do Rio de Janeiro. Era na época a parte da Cidade que mais havia se desenvolvido desde o fim do reinado de Dom João VI. A referida Rua Lapa do Desterro, começava na igreja de Nossa Senhora do Carmo e ia até a Rua Direita, no centro da Capital do País.
Depois vamos encontrá-lo já por volta ano de 1840, estabelecido em Magé, na então Província do Rio de Janeiro,4 convivendo estável e conjugalmente, com Constança Maria da Conceição,5 que chegou de Portugal depois dele; sem tampouco oficializarem o casamento religioso nos anos subsequentes.1
Em Magé nasceram os filhos: Maria Joaquina de Castro, por volta de 1841;5 João Zeferino de Azevedo Castro, em 1844 aproximadamente,6,7 e Ana de Azevedo Castro.1 Dentre estes, só a Ana permaneceu solteira, enquanto os outros dois vieram a se casar,1 e lhes deram 13 netos.
A família transferiu-se para Minas Gerais provavelmente no início da década de 1850, estabelecendo-se numa área bem próxima do local onde se formou o Distrito de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina. Pelo ano de 1855 faleceu Constança Maria da Conceição, que contava apenas cerca de 37 anos de idade e após 15 anos de vida conjugal.
Viúvo com três filhos ainda na menoridade, Joaquim Antônio Teixeira de Castro, já com cerca de 41 anos de idade, casou-se em 1856, com Carolina Augusta de Siqueira, viúva sem filhos do capitão Lucas, proprietário da fazenda Sossego (já demolida), situada também naquelas cercanias.1
Joaquim Antônio Teixeira de Castro foi proprietário do sítio Gratidão, situado no lugar então denominado “Córrego do Rocha”, adquirida de Antônio Gomes da Rocha, provavelmente desmembrada da sesmaria de Manuel Gonçalves da Rocha.8 Esta referida sede já foi demolida há muitos anos.
Além de ajudar a criar os três enteados, chamados: Maria Joaquina, João Zeferino e Ana, a Carolina Augusta de Siqueira Castro deu-lhe mais seis filhos, que foram os seguintes: Antônio Augusto, Maria Luíza, José Augusto, Francisco Augusto, Joaquim Antônio e Luiz Augusto.1 Dentre os quais, exceto o Francisco Augusto que faleceu ainda criança, os outros cinco chegaram à idade adulta e se casaram. E estes geraram mais 39 netos; totalizando portanto 52 netos.1
Carolina Augusta de Siqueira Castro morreu num domingo, dia 14 de novembro de 1880, na sede do sítio Gratidão,9 distante poucos quilômetros, da estação ferroviária de Providência, no Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Presumimos que ela tenha falecido com cerca de 53 anos de idade e tinha cerca de 24 anos de casada.
Já, o Joaquim Antônio Teixeira de Castro morreu numa terça-feira, dia 31 de janeiro de 1893, às 11 horas e 30 minutos, em domicílio no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Pelo registro de óbito, contava 76 anos de idade.79

Capítulo 1 – Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Constança Maria da Conceição.
§ 1 – Maria Joaquina de Castro casada com
Mariano Carvalho da Costa.
§ 2 – João Zeferino de Azevedo Castro casado com
Leopoldina Telles de Freitas.
§ 3 – Ana de Azevedo Castro. Solteira.

Capítulo 2 – Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Carolina Augusta de Siqueira Castro.
§ 4 – Antônio Augusto Teixeira de Castro casado com
Martiniana Maria de Jesus.
§ 5 – Maria Luiza Teixeira de Castro casada com
Antônio Olímpio do Canto Brum.
§ 6 – José Augusto Teixeira de Castro, antes do
casamento, com Justina Alves de Souza.
§ 7 – José Augusto Teixeira de Castro, antes do
casamento, com Eulália Maria da Conceição.
§ 8 – José Augusto Teixeira de Castro casado com
Francisca Alminda de Almeida.
§ 9 – Francisco Augusto Teixeira de Castro. Falecido
ainda criança.
§ 10 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro Filho
casado com Maria José de Almeida.
§ 11 – Luiz Augusto Teixeira de Castro e sua primeira
esposa, Maria Teresa Pacheco Vieira.
§ 12 – Luiz Augusto Teixeira de Castro e sua segunda
esposa, Julieta Vasques de Miranda.

Família Teixeira de Castro – Capítulo 2
Geração de Joaquim Antônio Teixeira de Castro
com Carolina Augusta de Siqueira Castro.


Joaquim Antônio Teixeira de Castro ficando viúvo por volta de 1855, casou-se em 1856, com Carolina Augusta de Siqueira, viúva sem filhos do capitão Lucas, que fora proprietário da fazenda do Sossego – sede já demolida – que ficava situada na região onde se originou o Distrito de Providência, no Município de Leopoldina (MG),1 passando então a se chamar Carolina Augusta de Siqueira Castro. Sendo esta nascida em Minas Gerais, por volta de 1830, pouco mais ou menos e que morreu no dia 14-11-1880, domingo – depois de aproximadamente 24 anos de casada – na sede do sítio Gratidão, local que fica situado próximo também do Distrito de Providência.9 Joaquim Antônio Teixeira de Castro morreu no dia 31-01-1893, terça-feira, aos 76 anos de idade.10 Seus corpos jazem sepultados no cemitério de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.
Ascendência da esposa:
1 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. Ela é natural do lugar denominado Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em área hoje pertencente ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [2] Francisco Antunes de Sequeira e de [3] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor (I) Joaquim Antônio Teixeira de Castro, viúvo que ficara de Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.1,9,15
Pais:
2 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido no ano de 1808 na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Estado de Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [3] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Ele era filho de [4] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [5] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa.1,15,16,17,19
3 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida no ano de 1810 e foi batizada pelo padre Antônio Rodrigues Lobato na ermida do Bandeira, situada em área formadora do Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 15-06-1810, sexta-feira, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [13] Mariana Angélica Gonçalves. Casada com [2] Francisco Antunes de Sequeira. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se verifica em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima do alferes (6) Francisco Gonçalves Couto e de [7] Ana Zeferina Côrtes.1,15,18
Avós paternos:
4 – Manuel Antunes de Sequeira. Filho legítimo de [8] Francisco Antunes de Sequeira e de [9] Teodósia Dias Pereira, nascido no início do ano de 1778, na sede do sítio Ribeirão do Papagaio, em Santana dos Montes, Minas Gerais; e foi aí batizado na capela do Morro do Chapéu no dia 21-03-1778, sábado. Casou-se em 05-11-1804, segunda-feira, na ermida de Nossa Senhora das Dores do Curral Velho, situada em terras do atual Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, com [5] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. O casal foi proprietário na Boa Vista, na então freguesia de Barbacena, em área hoje pertencente ao Município de Piau, Minas Gerais. Ele faleceu com 63 anos e cerca de 4 meses de idade, no dia 17-06-1841, quinta-feira, em Santana dos Montes, Minas Gerais.16,17,19
5 – Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. Filha legítima de [10] Manuel Francisco Rosa e de [11] Maria do Rosário, natural da então Capitania de Minas Gerais. Casada com [4] Manuel Antunes de Sequeira. Ela mais tarde passou a usar o nome: Ana Maria de Jesus. O casal gerou seis filhos, todos nascidos na Boa Vista, em área pertencente hoje ao Município de Piau, Minas Gerais, que foram: 1) Manuel Antunes de Sequeira nascido em 22-04-1806 e casado com Maria Pereira Zebral, esta natural da freguesia de São Martinho, Trás-os-Montes, Portugal, falecida por volta de 1851, filha do capitão Domingos Pereira Zebral e Maria Teresa de Jesus e neta paterna de Manuel Gonçalves de Castro e Ana Fernandes; 2) Maria Carolina do Rosário batizada em 02-04-1807 e casada em 30-10-1826 com o capitão Manuel Pereira de Assis Alvim batizado em 26-12-1796, este filho do capitão-mor José Pereira de Alvim e Quitéria Umbelina Gomes Ferreira e neto paterno de Gervásio Pereira de Resende Alvim nascido na sede da fazenda do Engenho em Carrancas, Minas Gerais e de sua conterrânea Ana Antônia de Paiva; 3) Francisco Antunes de Sequeira batizado em 12-07-1808 e casado com Francisca Carolina Gonçalves Côrtes batizada em 15-06-1810, casal este que faz parte deste relatório; 4) Ana Antunes de Sequeira nascida em 07-09-1809 e casada com o tenente Prudente José Correia; 5) Eufrásia Felismina batizada em 12-05-1811 e casada com José Ferreira Armond; e 6) Custódio José Antunes de Sequeira batizado em 28-02-1813.16,17,19,20,21,22,23,24,25,26
Avós maternos:
6 – Francisco Gonçalves Couto. Alferes, nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Casou-se no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras do atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [7] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste relatório. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto casou-se pela segunda vez com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do Guarda-Mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, mineira de Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
7 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais. Foi primeira mulher de [6] Francisco Gonçalves Couto; já a segunda foi Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira.15,18,27,29,31
Bisavós:
8 – Francisco Antunes de Cerqueira. Nascido por volta de 1727, em Aboim da Nóbrega, Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal. Casou-se com [9] Teodósia Dias Pereira no dia 08-02-1762, segunda-feira, no oratório de Nossa Senhora do Rosário do sítio do Cará, dos pais da noiva, na então freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo (Barbacena). Mais tarde o seu nome se transformou em Francisco Antunes de Sequeira. Ele faleceu em 1789 na sede do sítio Ribeirão do Papagaio, em Santana dos Montes, Minas Gerais.16,19,30,33
9 – Teodósia Dias Pereira. Foi batizada no dia 12-02-1747, domingo, na capela de Nossa Senhora da Ajuda do Faria, na freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais.16,19.30,33
10 – Manuel Francisco Rosa.16
11 – Maria do Rosário. 16
12 – Manuel Gonçalves Couto. Guarda-Mor, nascido e batizado por volta do ano de 1745, na freguesia de Gondomil, Valença, Portugal. Casou-se em Itaverava, Minas Gerais, com [13] Mariana Angélica Gonçalves. Ele faleceu por volta do ano de 1815 em Minas Gerais.15,19,27,29,32
13 – Mariana Angélica Gonçalves. Nascida em Itaverava, Minas Gerais. Faleceu por volta de 1813 em Minas Gerais.15,19,27,29,32
14 – Antônio Gonçalves Côrtes. Nascido no dia 13-10-1738, segunda-feira, em Moreira do Rei, Portugal. Faleceu em 04-01-1805, sexta-feira, na sede da fazenda Contramestre, em terras hoje pertencentes ao Município de Carandaí, Minas Gerais. Seu corpo desceu à sepultura no dia 05-01-1805, sábado, junto à porta principal da capela de Nossa Senhora da Glória, em Carandaí; contava 66 anos, 2 meses e 22 dias de idade. 15,27
15 – Ana Gonçalves Rodrigues. Nascida no dia 06-03-1760, quinta-feira, na então freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Minas Gerais. Tinha 18 anos, 5 meses e 15 dias de idade ao se casar com Antônio Gonçalves Côrtes numa sexta-feira dia 21-08-1778, na capela de Nossa Senhora da Glória, na atual Carandaí, então filial da matriz de Nossa Senhora da Conceição de Prados, Minas Gerais. 15,27
Trisavós:
16 – Francisco Antunes. Natural de Aboim da Nóbrega, no Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal.19,30,33
17 – Isabel de Cerqueira. Também natural de Aboim da Nóbrega, Concelho de Vila Verde, Braga, Portugal.19,30,33
18 – Jacó Dias de Carvalho. Nascido em São Tiago de Anhões, Monções, Viana, Portugal, onde foi batizado na igreja de São Tiago no dia 29-10-1691, domingo. Veio para o Brasil onde se casou em Taubaté quando tinha 34 anos e cerca de 2 meses de idade, com [19] Francisca Pereira da Silva. Transferiu-se com a esposa para Minas Gerais onde fundou o sítio do Cará, no atual Município de Diogo de Vasconcelos, onde nasceram-lhe os filhos. Faleceu na sede de seu Sítio, no ano de 1731, com a idade de 39 para 40 anos.28,33
19 – Francisca Pereira da Silva. Nascida em Taubaté, São Paulo, onde também foi batizada no dia 19-04-1705, domingo. Casou-se também em Taubaté, São Paulo, em 04-01-1726, sexta-feira, com a idade de 20 para 21 anos. Faleceu no dia 10-09-1765, terça-feira, na sede do sítio do Cará, localizado em área pertencente ao Município de Diogo de Vasconcelos, Minas Gerais. Ela contava 60 anos e cerca de 5 meses de idade. Seu corpo jaz sepultado dentro da matriz de Nossa Senhora da Piedade, em Barbacena, Minas Gerais.28,33
24 – Joaquim Gonçalves. Portugueses moradores em Gondomil, Valença do Minho.19
25 – Maria Rodrigues. Natural de Portugal.19
28 – Manuel Côrtes. Nascido no dia 24-04-1707, domingo, em Moreira do Rei, Portugal, onde se casou aos 26 anos, 7 meses e 8 dias de idade, com [29] Maria Gonçalves. Morreu aí no dia 24-06-1760, terça-feira, aos 53 anos e 2 meses de idade. O Manuel Côrtes era filho legítimo dos portugueses, [56] Antônio Côrtes (??-09-1669—17-12-1746) e de [57] Luzia Novais (13-12-1672—26-07-1712), casados em 13-12-1705, domingo; sendo ele natural de Moreira do Rei e ela de Areal.15
29 – Maria Gonçalves. Nascida em 09-02-1708, quinta-feira, em Vilela, Bemposta, Portugal. Casou-se em 07-12-1733, domingo, em Moreira do Rei, Portugal, com [28] Manuel Côrtes; e tinha então: 25 anos, 9 meses e 28 dias de idade. Era filha legítima dos portugueses, [58] Pedro Gonçalves (31-01-1673—12-03-1732) e de [59] Francisca Gonçalves (02-10-1674—19-02-1720), casados em Moreira do Rei, no dia 29-09-1706, quarta-feira; sendo ambos naturais de Vilela, Bemposta e falecidos em Digão, Vilela.15
30 – João Rodrigues Vale. Nascido pelo que dizem, no dia 15-04-1728, quinta-feira, em São Martinho de Ruivães, Vieira do Minho, Braga, Portugal. Casou-se no Brasil aos 22 anos de idade, com [30] Isabel Ribeira. E faleceu em Barbacena (MG) no dia 22-06-1781, sexta-feira, aos 53 anos, 2 meses e 7 dias de idade, após completar 30 anos e 4 meses de casado. João Rodrigues Vale era filho legítimo dos portugueses: [60] João Rodrigues também chamado por João Rodrigues da Eusébia, nascido no dia 14-05-1691, segunda-feira e de [61] Joana Gonçalves nascida em 08-02-1686, sexta-feira; e que se casaram no dia 13-05-1716, quarta-feira.15,35
31 – Isabel Ribeiro de Lima também chamada de Isabel Ribeira. Foi batizada em 19-11-1738, quarta-feira, na capela de São José do Ribeirão de Alberto Dias, na atual cidade de Ressaquinha, Minas Gerais. Casou-se com [30] João Rodrigues Vale, em Barbacena (MG) no dia 22-02-1751, segunda-feira, com a idade de 12 para 13 anos. Ela faleceu no dia 25-11-1823, terça-feira, em Barbacena, Minas Gerais; passados 42 anos, 5 meses e 2 dias em estado de viuvez. Isabel Ribeiro de Lima era filha legítima de [62] Manuel Machado Pestana, natural de Nossa Senhora do Rosário, ilha de São Jorge, nos Açores e de [63] Ana Francisca Garcia, natural da Vila de São José, atual Tiradentes, Minas Gerais; e que se casaram no dia 16-04-1736, segunda-feira, na igreja de Nossa Senhora da Piedade, na atual cidade de Barbacena, Minas Gerais, Brasil.15,34,35




§ 12 – Luiz Augusto Teixeira de Castro e segunda
esposa Julieta Vasques de Castro.


II-9 Luiz Augusto Teixeira de Castro. Estando viúvo de Maria Teresa Pacheco de Castro, casou-se pela segunda vez, aos 32 anos de idade, no dia 08-07-1899, sábado, em cerimônia iniciada às 11 horas, com Julieta Vasques de Miranda, então às vésperas de seu vigésimo primeiro aniversário; a qual adotou o nome de Julieta Vasques de Castro. As cerimônias civis e religiosas e a festa aos convidados foram realizadas na sede da fazenda do Rochedo – do pai da noiva – no então Distrito de Espírito Santo de Água Limpa, atual Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais. O casamento civil foi presidido pelo Juiz de Paz, Sebastião Carlos de Magalhães Castro e servindo como testemunhas: o médico, Doutor Lucas Tavares de Lacerda e João Clemente de Sá, cunhado da nubente; já, a cerimônia religiosa foi aí celebrada pelo Cônego Joaquim Inácio Monteiro Pároco da igreja de Nossa Senhora Madre de Deus, do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; servindo como testemunhas desta celebração religiosa: o Doutor Lucas Tavares de Lacerda e o irmão da nubente, Augusto Vasques de Miranda. Nesta mesma hora e local casou-se também a irmã da noiva, Ana Vasques de Miranda com João Pacheco Vieira, sendo este, irmão da falecida Maria Teresa Pacheco de Castro, primeira esposa do Luiz Augusto Teixeira de Castro.
A Julieta Vasques de Miranda que nascera na sede desta mesma fazenda do Rochedo, situada nas proximidades da Vila de Água Viva, no dia 09-07-1878, terça-feira, foi aí batizada no dia 30-10-1878, quarta-feira, pelo Padre Modesto Teófilo Alves Ribeiro, Cura da igreja de Nossa Senhora da Conceição, de Conceição da Boa Vista, vila que hoje faz parte do Município de Recreio, Estado de Minas Gerais; tendo por seus padrinhos de batismo: João Clemente de Sá e Luiza Guilhermina de Sá.
Julieta Vasques de Miranda e suas irmãs foram educadas no Colégio Santa Isabel, na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro.
O casal residiu inicialmente na fazenda Santo Antônio, situada no atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. E a partir de 1905, mudaram-se com os filhos para a recém-adquirida fazenda da Pedra, no atual Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais.
O Luiz Augusto Teixeira de Castro faleceu na sede de sua fazenda da Pedra, no dia 03-12-1935, terça-feira, às 5 horas e 45 minutos, em consequência de arteriosclerose generalizada, conforme atestado de óbito firmado pelo Doutor Pompílio Guimarães, conceituado médico de Leopoldina, Minas Gerais; contava 68 anos, 6 meses e 2 dias de idade; e seu corpo foi sepultado no túmulo da família no Cemitério Público de Trimonte.
Julieta Vasques de Castro, ficou viúva após 36 anos, 4 meses e 29 dias de casada. Ela faleceu na cidade de Recreio, Minas Gerais, no dia 28-01-1943, quinta-feira, às 2 horas da madrugada, de esclerose em placas, dispepsia vagossimpática e caquexia, conforme o atestado de óbito firmado pelo Doutor Darci Nunes de Miranda. Contava 64 anos, 6 meses e 19 dias de idade e seu corpo jaz sepultado também no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande.
Eis a seguir, pela ordem de nascimento, a relação de todos os irmãos da noiva com os respectivos cônjuges: 1) Mariana Vasques de Miranda Sá (Mariana Vasques de Miranda quando solteira), casada com João Clemente de Sá; 2) José Guilherme Vasques de Miranda casado com sua prima, Alexandrina Luiza de Menezes Vasques (Alexandrina Luiza de Menezes quando solteira); 3) João Batista Vasques de Miranda casado com sua prima, Rita Zulmira de Menezes Vasques (Rita Zulmira de Menezes quando solteira); 4) Augusto Vasques de Miranda casado com Maria Alcina Duarte Pires; 5) Julieta Vasques de Castro (Julieta Vasques de Miranda quando solteira), casada com Luiz Augusto Teixeira de Castro, viúvo que ficara de Maria Teresa Pacheco de Castro (Maria Teresa Pacheco Vieira quando solteira); 6) Ana Vasques Vieira (Ana Vasques de Miranda quando solteira), casada com João Pacheco Vieira – irmão da Maria Teresa Pacheco de Castro, que fora primeira esposa de Luiz Augusto Teixeira de Castro; 7) Joaquim Vasques de Miranda falecido quando era ainda criança; e, 8) Agostinha Vasques de Menezes (Agostinha Vasques de Miranda, quando solteira), casada com o agricultor Geraldino Ferreira de Menezes, sendo este, irmão da Rita Zulmira de Menezes Vasques, casada com o João Batista Vasques de Miranda.9,14,29,50,64,65,66,67,68
Alguns ascendentes da esposa:
1 – Julieta Vasques de Miranda (09-07-1878—28-01-1878). Nascida e casada na sede da antiga fazenda do Rochedo, situada no atual Distrito Água Viva, no Município de Estrela Dalva Minas Gerais. Falecida em Recreio, Minas Gerais, onde estava em tratamento de saúde com o médico local.14,50,55,64,65,66,68
Pais:
2 – José Bento Vasques de Miranda (01-11-1833—21-12-1915). Espanhol, natural da Galiza, onde foi casado pela primeira vez e pai de duas filhas. Ao ficar viúvo deixou as filhas ainda novas sendo criadas por parentes; e antes de vir para o Brasil deixou lá uma propriedade reservada para as filhas. Tornou-se fazendeiro produtor de café em Minas Gerais, em áreas pertencentes aos futuros distritos de Água Viva, no Município de Estrela Dalva (fazenda do Rochedo, já demolida) e Trimonte, no Município de Volta Grande (fazenda Santo Antônio e mais alguns sítios).50,64,65,66,68
3 – Rosa Luiza de Menezes (1845—18-08-1927). Era "Rosinha" para os parentes e conhecidos. Nascida em terras do atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, onde também foi batizada no dia 10-04-1847, sábado, pelo Padre Vicente Ferreira Monteiro de Castro, no então curato de Madre de Deus, de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, sendo seus padrinhos de batismo: o avô paterno, José Cardoso de Menezes e Nossa Senhora Madre de Deus, por invocação.50,64,65,66,68,69
Avós maternos:
6 – Agostinho Luiz de Menezes (Cerca de 181525-09-1861). Agricultor estabelecido na freguesia de Madre de Deus do Angu em terras situadas nas imediações do futuro Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, onde também veio a falecer. Ele foi primeiro marido de [7] Ana Rosa de Moraes.69,101
7 – Ana Rosa de Moraes. Foi casada duas vezes: seu primeiro marido foi [6] Agostinho Luiz de Menezes, que faz parte deste relatório ahnentafel. Decorrido 1 ano, 10 meses e 19 dias do falecimento do marido e tendo alguns filhos menores, ela contraiu um novo casamento, no dia 13-08-1863, quinta-feira, na sede da fazenda Santa Bárbara de propriedade de Joaquim Pedro Fernandes (situada na região do futuro Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais), com o agricultor, Saturnino Nunes Duarte, filho de Severino Nunes Duarte e de sua mulher, Ana Clara da Aleluia. Tendo este segundo casamento sido celebrado pelo Padre Henrique de Souza Borges Acioli, Vigário da Paróquia Madre de Deus do Angu, do atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, em altar preparado ad hoc, com licença do Vigário de Leopoldina e também do Padre Manuel Luiz Correia, do Curato de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista, de que foram testemunhas: José Cláudio Valadão e Joaquim Pedro Fernandes.69,100,101
Os quatro últimos filhos — dentre os nove  de Luiz Augusto Teixeira de Castro com sua segunda esposa, Julieta Vasques de Castro, e seus respectivos descendentes.
III-9 Maria Dulce Vasques de Castro. Filha legítima de Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua segunda mulher, Julieta Vasques de Castro, nascida numa terça-feira, dia 23-11-1909, às 12 horas, na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais; e fez sua primeira eucaristia numa quarta-feira, dia 15-08-1923, dia consagrado à Assunção de Nossa Senhora, que na época era comemorado como feriado religioso. Maria Dulce fez os seus estudos ginasiais em Recreio, Minas Gerais. Casou-se com o seu primo Sebastião Teixeira de Castro, no dia 08-07-1926, quinta-feira, às 17 horas, na sede da citada fazenda da Pedra; tinha apenas 16 anos, 7 meses e 15 dias de idade e manteve o seu nome de solteira. O casamento foi realizado perante o Juiz de Paz Evaristo Teixeira de Queiroz e serviram como testemunhas: José de Castro Júnior e Lourival Pacheco de Castro. Em 1976, o casal festejou suas bodas de ouro, com muitos parentes e amigos, na sua residência em Juiz de Fora, Minas Gerais.14,50,75
Ele, mais conhecido por "Zinho" nos meios familiares, nascido numa segunda-feira, dia 18-07-1898, às 6 horas, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais e morreu numa sexta-feira, dia 19-06-1981, às 5 horas, em sua residência situada à Rua Osório de Almeida nº 875, no Bairro Poço Rico, na cidade de Juiz de Fora, tendo como causa mortis: broncopneumonia e enfisema pulmonar, conforme laudo firmado pelo Doutor José Rafael de Souza Antunes. Ele contava 82 anos, 11 meses e 1 dia de idade e 54 anos, 11 meses e 11 dias de casado. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Parque da Saudade, nesta mesma Cidade.50,75,94
Já, Maria Dulce Vasques de Castro faleceu viúva, no dia 27-06-1993, domingo, às 8 horas e 30 minutos, na Casa de Saúde HTO, na cidade de Juiz de Fora, em consequência de acidente vascular cerebral e arritmia cardíaca, conforme laudo firmado pelo Doutor Pedro Paulo de Oliveira. Ela tinha 83 anos, 7 meses e 4 dias de idade e seu corpo foi sepultado à tarde do mesmo dia, no Cemitério Parque da Saudade, em Juiz de Fora.50,94
Ascendência do marido:
1 – Sebastião Teixeira de Castro – "Zinho" (18-07-1898—19-06-1981).50,71,75
Pais:
2 – José Augusto Teixeira de Castro (10-09-1861—11-04-1913). Era agricultor, casado com dona [3] Francisca de Almeida Castro. Eles foram proprietários da fazenda Espalha Fogo, no Distrito de Vista Alegre, Município de Cataguases, Minas Gerais.9,14,29,50,52,53,54,55,56,57
3 – Francisca de Almeida Castro "Chiquinha" (28-06-1871—16-03-1957). O seu nome de solteira era Francisca Alminda de Almeida. Nascida na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, onde se casou no dia 04-09-1886, sábado, na igreja de São Sebastião, com [2] José Augusto Teixeira de Castro. Faleceu viúva, em sua residência na cidade de Recreio, Minas Gerais.50,52,56,57
Avós paternos:
4 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca do ano de 1816—31-01-1893). Era natural do norte de Portugal e estudou em colégio para ordenação de sacerdotes. Deixou o curso e veio para o Brasil onde se tornou o patriarca deste ramo da família Teixeira de Castro, que da Zona da Mata mineira ramificou pelo Brasil. Era agricultor e faleceu viúvo no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba. Ao ficar viúvo de Constança Maria da Conceição, casou com [5] Carolina Augusta de Siqueira Castro.1, 9,10
5 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. O seu nome de solteira era: Carolina Augusta de Siqueira. Ela nasceu em Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [10] Francisco Antunes de Sequeira e de [11] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [4] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, este, viúvo que ficara de dona Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.1,9,15
Avós maternos:
6 – Venâncio José de Almeida e Costa. Casou-se com sua sobrinha, [7] Ana Paula de Sena, que foram moradores em Leopoldina, Minas Gerais, onde também faleceu. Era filho legítimo de [12] Manuel Antônio de Almeida e de [13] Rita Esméria de Jesus.
7 – Ana Paula de Sena. Era casada com o seu tio materno [6] Venâncio José de Almeida e Costa. Era filha de [14] João Gualberto Ferreira Brito e de sua mulher, [15] Maria Venância de Almeida.56,57
Bisavós:
10 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido no ano de 1808 na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Estado de Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [11] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Ele era filho de [20] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [21] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa.1,15,16,17,19
11 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Ela nascida na então freguesia de Barbacena, Minas Gerais; e que foi batizada no dia 15-06-1810, sexta-feira, pelo padre Antônio Rodrigues Lobato, na ermida do Bandeira, no local onde se formou o atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [45] Mariana Angélica Gonçalves. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se pode verificar em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima do alferes (22) Francisco Gonçalves Couto e de [23] Ana Zeferina Côrtes.1,15,18
12 – Manuel Antônio de Almeida. Nascido no dia 19-08-1782, segunda-feira, em Santa Rita, atual Santa Rita de Ibitipoca, Estado de Minas Gerais. Casou-se com [13] Rita Esméria de Jesus e deu origem à família Almeida de Leopoldina, Minas Gerais, que se espalhou pela Zona da Mata Mineira, Norte do Rio de Janeiro e Sul do Espírito Santo. Ele foi fazendeiro na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, onde faleceu aos 90 anos de idade no mês de outubro de 1872. Era filho legítimo do português [24] Antônio de Almeida Ramos e de [25] Maria de Oliveira Pedrosa, natural da região de Barbacena, Minas Gerais.56,57,151
13 – Rita Esméria de Jesus. Falecida no dia 20-01-1865, sexta-feira, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais. Gerou doze filhos de seu casamento com [12] Manuel Antônio de Almeida.56,57,151
14 – João Gualberto Ferreira Brito – que foi vereador em Leopoldina, Minas Gerais (23-03-1856). Era filho de [28] Joaquim Ferreira Brito e de sua mulher, [29] Joana Maria de Macedo. Ele se casou três vezes. Sua primeira esposa foi [15] Maria Venância de Almeida, que faz parte desta ascendência; a segunda foi Rita Teresa de Jesus; e a terceira foi Joaquina Euquéria de Almeida, viúva que ficara de Manuel Tomás Pereira de Almeida.56,57
15 – Maria Venância de Almeida. Foi a primeira mulher de [14] João Gualberto Ferreira Brito. Era irmã de [6] Venâncio José de Almeida e Costa. Filha legítima de [12 e 30] Manuel Antônio de Almeida e de [13 e 31] Rita Esméria de Jesus.56,57
Trisavós:
20 – Manuel Antunes de Sequeira. Filho legítimo de [40] Francisco Antunes de Sequeira e de [41] Teodósia Dias Pereira, nascido no início do ano de 1778, na sede do sítio Ribeirão do Papagaio, em Santana dos Montes, Minas Gerais; e foi aí batizado na capela do Morro do Chapéu no dia 21-03-1778, sábado. Casou-se em 05-11-1804, segunda-feira, na ermida de Nossa Senhora das Dores do Curral Velho, situada em terras do atual Município de Antônio Carlos, Minas Gerais, com [21] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. O casal foi proprietário na Boa Vista, na então freguesia de Barbacena, em área hoje pertencente ao Município de Piau, Minas Gerais. Ele faleceu com 63 anos e cerca de 4 meses de idade, no dia 17-06-1841, quinta-feira, em Santana dos Montes, Minas Gerais.16,17,19,30,33
21 – Ana Maria Joaquina de Santa Rosa. Filha de [42] Manuel Francisco Rosa e de [43] Maria do Rosário, natural da então Capitania de Minas Gerais. Casada com [20] Manuel Antunes de Sequeira. Ela mais tarde passou a usar o nome: Ana Maria de Jesus. O casal gerou seis filhos, todos nascidos na Boa Vista, em área pertencentes hoje ao Município de Piau, Minas Gerais.16,17,19
22 – Francisco Gonçalves Couto. Alferes, nascido e batizado em Rio Espera, na freguesia de Itaverava, Minas Gerais. Filho do guarda-mor, [44] Manuel Gonçalves Couto e de sua mulher, [45] Mariana Angélica Gonçalves. Casou-se em primeiras núpcias, no dia 10-05-1808, terça-feira, na ermida de Santa Ana do Bandeira, situada em terras do atual Distrito de São João da Serra, Município de Santos Dumont, Minas Gerais, com [23] Ana Zeferina Côrtes, que faz parte deste costado. Com o falecimento da esposa, Francisco Gonçalves Couto contraiu novo matrimônio com Josefa de Ávila Lobo Leite Pereira, sendo esta filha legítima do Guarda-Mor Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira nascido em Cachoeira do Campo, Município de Ouro Preto, Minas Gerais e de Ana Francisca de Ávila e Silva, que era mineira de Congonhas.15,18,27,29,31,32,87
23 – Ana Zeferina Côrtes. Nascida no mês de dezembro de 1783, na sede da fazenda Contramestre, em Carandaí, Minas Gerais. Filha de [46] Antônio Gonçalves Côrtes e de sua mulher, [47] Ana Gonçalves Rodrigues. Foi primeira mulher de [22] Francisco Gonçalves Couto.15,18,19,27,29,31,34
24 – Antônio de Almeida Ramos. Natural da freguesia de Landal, Caldas da Rainha, Leiria, Portugal. Fazendeiro proprietário da fazenda Boa Vista, em Santa Rita de Ibitipoca, Minas Gerais; onde veio a falecer já viúvo, em sua sede no dia 16-07-1800, quarta-feira. Este era filho legítimo de [48] Antônio de Almeida e de [49] Teresa Maria; neto paterno de [96] Manuel Ramos e de [97] Catarina de Almeida.56,57,151
25 – Maria de Oliveira Pedrosa. Batizada no dia 20-02-1738, quinta-feira, na freguesia de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, atual Barbacena, Estado de Minas Gerais. Casada com [24] Antônio de Almeida Ramos, no dia 28-07-1757, quinta-feira, na capela de Santa Rita, na atual Santa Rita de Ibitipoca, Estado de Minas Gerais. Ela faleceu aí na sede da sua fazenda Boa Vista, no dia 15-02-1798, quinta-feira, aos 60 anos de idade e depois de 40 anos, 6 meses e 18 dias de casada em que gerou pelo menos nove filhos. Ela era filha legítima do português, [50] Francisco de Oliveira Braga, natural de Braga e da paulista, natural de Pindamonhangaba, [51] Escolástica de Albernaz; e por esta, Maria de Oliveira Pedrosa era neta materna de [102] João Antunes de Brito, natural de Lorena, São Paulo e de [103] Apolônia Rodrigues de Albernaz, de Taubaté, São Paulo.56,57,151
28 – Joaquim Ferreira Brito – tenente.57
29 – Joana Maria de Macedo.57
30 – Manuel Antônio de Almeida (A mesma pessoa de número 12).
31 – Rita Esméria de Jesus (A mesma pessoa de número 13).
Sebastião Teixeira de Castro — "Zinho" e Maria Dulce Vasques de Castro tiveram onze filhos, sendo oito homens e três mulheres. Por serem primos, a descendência desta posição III-9 Maria Dulce Vasques de Castro, foi relacionada, mais acima, na posição III-4 Sebastião Teixeira de Castro, de II-6, de I, do § 2 vide em Família Teixeira de Castro, Parte 6.
III-10 Jayme Vasques de Castro. Agropecuarista, filho legítimo de Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua segunda mulher, Julieta Vasques de Castro; nascido no dia 01-04-1912, segunda-feira, às 11 horas, na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Casou-se em 30-12-1935, segunda-feira, em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, com Gabriela Villela Junqueira conhecida por "Sinhazinha"; e que adotou o nome de Gabriela Junqueira de Castro. Ela nascida no dia 20-09-1918, sexta-feira, às 6 horas da manhã, em Estrela Dalva, Minas Gerais. Eles foram proprietários do sítio Engenho Novo, no Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais.50,75,80
Jayme Vasques de Castro faleceu no dia 23-03-1943, terça-feira, às 18 horas e 30 minutos, em terras do sítio Canaã, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, eletrocutado por um fio elétrico de alta-tensão que havia se desprendido de um poste da linha de transmissão que passava pelos terrenos do referido sítio, devido a uma tempestade ocorrida no dia anterior. Ele estava a cavalo e ajudado por José Brás de Assis, tocando um boi do sítio Engenho Novo de sua propriedade para o sítio Canaã pertencente ao seu sobrinho Wilson de Castro Côrtes, quando houve o contato e a descarga fatal. Ele faleceu junto com o seu cavalo, instantaneamente. Contava apenas 30 anos, 11 meses e 22 dias de idade e 7 anos, 2 meses e 23 dias de casado. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte, no Cemitério Público de Trimonte.50,71
Ele deixou viúva a Gabriella Junqueira de Castro, que contava então 24 anos, 6 meses e 3 dias de idade e três filhas ainda muito novas para criar: a Maria Helena com 4 anos, 8 meses e 24 dias de idade; a Maria Apparecida com 3 anos e 1 dia; e a Maria do Carmo com apenas 6 meses e 9 dias. E mantendo o seu estado de viuvez, com muita determinação e honradez criou a família sempre unida.50,71
Gabriella Junqueira de Castro faleceu em Belo Horizonte no inicio da noite do dia 28-06-2004, segunda-feira, aos 85 anos, 9 meses e 8 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério do Bonfim, na Capital Mineira.50
Ascendência da esposa:
1 – Gabriela Junqueira de Castro (20-09-191828-06-2004). Quando solteira: Gabriela Villela Junqueira.50,92
Pais:
2 – Alcides Villela Junqueira. Casou-se duas vezes. Em primeiras núpcias, com [3] Maria Helena dos Reis Junqueira, que faz parte deste costado. Ao ficar viúvo casou-se pela segunda vez, com Mercedes Coelho. Ele faleceu no mês de dezembro de 1954.50,92
3 – Maria Helena dos Reis Junqueira. Foi primeira esposa do fazendeiro [2] Alcides Villela Junqueira.50,92
Avós paternos:
4 – José Joaquim Junqueira. Era irmão de [6] Alberto Augusto Junqueira. Filho legítimo de [8] Joaquim Tibúrcio de Andrade Junqueira e de [9] Gabriela Angelina de Andrade.92
5 – Bárbara de Azevedo Junqueira. Nome de solteira: Bárbara de Azevedo Villela Pedras. Filha legítima de [10] Francisco de Andrade Villela Pedras e de [11] Mariana Honorina de Azevedo Villela.92
Avós maternos:
6 – Alberto Augusto Junqueira. Casado com [7] Gabriela dos Reis Junqueira. E filha legítima do fazendeiro, [12] Joaquim Tibúrcio de Andrade Junqueira e de [13] Gabriela Angelina de Andrade. Ele era irmão de [4] José Joaquim Junqueira.112
7 – Gabriela dos Reis Junqueira. Ela era filha legítima de [14] Francisco Teófilo dos Reis e de [15] Mariana Ribeiro Junqueira.112
Bisavós:
8 – Joaquim Tibúrcio de Andrade Junqueira. Casado com dona [9] Gabriela Angelina de Andrade; e era filho legítimo do [16, 24 e 62] barão de Alfenas (I) – Gabriel Francisco Junqueira e da [17, 25 e 63] baronesa de Alfenas (I) – Inácia Constança de Andrade.112
9 – Gabriela Angelina de Andrade. Nome de solteira: Gabriela Angelina de Azevedo e Paiva. Era filha legítima de [18] Domingos Teodoro de Azevedo e Paiva e de [19] Maria José de Andrade Melo.112
10 – Francisco de Andrade Villela Pedras. Nascido em Aiuruoca, Minas Gerais, no ano de 1841. Casado com [11] Mariana Honorina de Azevedo Villela. Era filho legítimo de [20] Alexandre Antônio Villela e de [21] Bárbara Delminda de Andrade Botelho.114
11 – Mariana Honorina de Azevedo Villela. Seu nome de solteira: Mariana Honorina de Azevedo. Era filha legítima de [22] Antônio Gabriel de Sousa Pinto e de [23] Ana Antônia de Azevedo Pinto.114
12 – Joaquim Tibúrcio de Andrade Junqueira. A mesma pessoa de número 8. Filho legítimo do [16, 24 e 62] barão de Alfenas (I) – Gabriel Francisco Junqueira e da [17, 25 e 63] baronesa de Alfenas (I) – Inácia Constança de Andrade.112
13 – Gabriela Angelina de Andrade. A mesma pessoa de número 9.112
14 – Francisco Teófilo dos Reis. Casado com [15] Mariana Ribeiro Junqueira. Era filho legítimo de [28] Severino Denunciano dos Reis e de [29] Iria Cândida de Andrade.112
15 – Mariana Ribeiro Junqueira. Filha legítima de [30] Antônio José Ribeiro de Carvalho e de [31] Helena Nicésia Junqueira de Andrade.112
Trisavós:
16 – Barão de Alfenas (I) – Gabriel Francisco Junqueira. Nascido no ano de 1782, na sede da fazenda Campo Alegre, em São Tomé das Letras, Minas Gerais e aí falecido no dia 18-01-1868, segunda-feira. Seu corpo jaz sepultado na igreja matriz de São Tomé das Letras, Minas Gerais.
Casou-se com [17, 25 e 63] Inácia Constança de Andrade, em 11-06-1808, sábado, na ermida do Divino Espírito Santo, em Carrancas, Minas Gerais. Era filho legítimo do Patriarca [32, 48 e 124] João Francisco Junqueira e de [33, 49 e 125] Helena Maria do Espírito Santo.
Ele foi Deputado Provincial em Minas Gerais (1830–1833 e 1834–1837).
Recebeu o título de barão por Decreto Imperial de 11-10-1848.112,113,126
17 – Baronesa de Alfenas (I) – Inácia Constança de Andrade. Nascida em Carrancas, Minas Gerais e falecida no dia 27-06-1858, domingo. Seu corpo jaz sepultado na igreja matriz de São Tomé das Letras, Minas Gerais.
Casada com o [16, 24 e 62] barão de Alfenas – Gabriel Francisco Junqueira. Era filha legítima de [34, 50 e 126] José de Andrade Peixoto e de [35, 51 e 127] Mariana Vitória do Nascimento.112,113,126
18 – Domingos Teodoro de Azevedo e Paiva. Casado com [19] Maria José de Andrade Melo. Era filho legítimo de [36 e 52] Francisco Machado de Azevedo e de [37 e 53] Prudenciana Umbelina de Paiva.112,113
19 – Maria José de Andrade Melo. Filha legítima de [38 e 54] Francisco José de Andrade e Melo e de [39 e 55] Ana Rosa de Jesus.112,113
20 – Alexandre Antônio Villela. Ele era filho legítimo do capitão [40] Francisco Tomás Villela e de [41] Joaquina Tomásia dos Reis. Casado com [21] Bárbara Delminda de Andrade Botelho.114,116
21 – Bárbara Delminda de Andrade Botelho. Era filha legítima de [42] Thomé Inácio Botelho e de [43] Emerenciana Constança de Andrade.114,116
22 – Antônio Gabriel de Sousa Pinto. Casado com dona [23] Ana Antônia de Azevedo Pinto. Era filho legítimo de [44] Custódio José de Sousa Pinto e de [45] Ana Esméria de Andrade.113,114,116,117
23 – Ana Antônia de Azevedo Pinto. Nome quando solteira: Ana Antônia de Azevedo. Ela era irmã de [9] Gabriela Angelina de Andrade (Gabriela Angelina de Azevedo e Paiva, quando solteira). Era filha legítima de [26] Domingos Teodoro de Azevedo e Paiva e de dona [27] Maria José de Andrade Melo.113,114,116,117
24 – Barão de Alfenas (I) – Gabriel Francisco Junqueira. A mesma pessoa de números 16, 24 e 62. Filho legítimo de [32, 48 e 124] João Francisco Junqueira e de [33, 49 e 125] Helena Maria do Espírito Santo.112,113,126
25 – Baronesa de Alfenas (I) – Inácia Constança de Andrade. A mesma pessoa de números 17, 25 e 63. Era filha legítima de [34, 50 e 126] José de Andrade Peixoto e de [35, 51 e 127] Mariana Vitória do Nascimento.112,113,126
26 – Domingos Teodoro de Azevedo e Paiva. A mesma pessoa de números 18 e 26. Era filho legítimo de [36 e 52] Francisco Machado de Azevedo e de [37 e 53] Prudenciana Umbelina de Paiva.112,126
27 – Maria José de Andrade Melo. A mesma pessoa de números 19 e 27. Era filha legítima de [38 e 54] Francisco José de Andrade e Melo e de [39 e 55] Ana Rosa de Jesus.112,126
28 – Severino Denunciano dos Reis. Sargento-mor e fazendeiro, nascido por volta de 1796, em Prados, Minas Gerais; e que ao se casar em Carrancas, Minas Gerais, no dia 30-06-1824, quarta-feira, com [29] Iria Cândida de Andrade, deu origem à família Andrade Reis de Minas Gerais. Foi proprietário da fazenda Pitangueiras, em São Vicente Ferrer, atual São Vicente de Minas. Faleceu viúvo, aos 87 anos de idade; tendo o seu corpo, sido aí sepultado no dia 02-02-1887, quarta-feira, dentro da capela do Espírito Santo. Ele era filho legítimo de [56] Antônio dos Reis e Silva e de [57] Maria Clara de Rezende.86,112,113
29 – Iria Cândida de Andrade. Nascida por volta de 1812. Era filha legítima do alferes [58] José Joaquim de Andrade e Melo e de [59] Francisca de Paula Policeia de Jesus.86,112,113
30 – Antônio José Ribeiro de Carvalho. Casado com dona [31] Helena Nicésia Junqueira de Andrade. Era filho legítimo do sargento-mor [60] Custódio Ribeiro Pereira Guimarães e de [61] Maria Ribeiro de Carvalho.112,113,116
31 – Helena Nicésia Junqueira de Andrade. Era filha legítima do [16, 24 e 62] barão de Alfenas (I) – Gabriel Francisco Junqueira e da [17, 25 e 63] baronesa de Alfenas (I) – Inácia Constança de Andrade.112,113,116
Jayme Vasques de Castro e Gabriela Junqueira de Castro, tiveram três filhas.14,50
IV-1 Maria Helena Junqueira de Castro. Nascida na sede da fazenda Bonfim, no Distrito de Água Viva, hoje pertencente ao Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Ela é formada em Filosofia. Casou-se no cartório do 3º Subdistrito da cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, com Afonso Jahy Nunes Coelho, e manteve o nome de solteira. Ele nascido no dia 10-01-1937, domingo, em São João Evangelista, Minas Gerais, filho legítimo de Jahy Nunes Coelho e de dona Maria José Pimenta. O casal continuou residindo e domiciliado na Capital Mineira.50,75
Afonso Jahy Nunes Coelho faleceu no dia 30-03-1998, segunda-feira, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Contava 61 anos, 2 meses e 20 dias de idade. Maria Helena Junqueira de Castro permanece viúva e neste ano de 2016, continua residindo na Capital Mineira. Sem geração.50,261
IV-2 Maria Apparecida Junqueira de Castro. Nascida em domicílio no sítio Engenho Novo, no Distrito de São Luiz, localidade esta que a partir de 01-01-1944 teve o seu nome mudado para Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Ela se casou no cartório do 3º Subdistrito de Belo Horizonte, Minas Gerais, com José de Magalhães, e adotou o nome de Maria Aparecida Junqueira de Castro Magalhães. Ele, natural da cidade de Caeté, Minas Gerais. Casal residente e domiciliado na Capital Mineira. Eles têm três filhos.50,71,261
V-1 Artur Augusto de Castro Magalhães. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais; onde se casou com Simone Cristina Rodrigues, que adotou o nome de Simone Cristina Rodrigues Magalhães. Esta é natural de Caratinga, Minas Gerais; e filha legítima de Ormy Rodrigues Alves e de dona Isabel da Conceição Rodrigues.50,260
VI-1 Bruno de Castro Rodrigues Magalhães. Ele é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.50,260
VI-2 Ana Clara Rodrigues Magalhães. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais.50,260
V-2 Fernando Cesar de Castro Magalhães. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Keyla Taiane Manini Santos, que adotou o nome de Keyla Taiane Manini Santos Magalhães. Ela é filha legítima de José Derval Santos e de dona Maria da Conceição Manini Santos.50,260
VI-1 Diego Santos Magalhães.50
VI-2 Leandro Santos Magalhães.50
V-3 José Henrique de Castro Magalhães. Natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde se casou com Érika Salles dos Santos, que adotou o nome de Érika Salles Magalhães. O casal é residente e domiciliado na Capital Mineira.50,260
VI-1 Gabriel Salles Magalhães.50
IV-3 Maria do Carmo Junqueira de Castro. Ela é nascida em domicílio no sítio Engenho Novo, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais. Ela se casou no cartório do 3º Subdistrito da cidade de Belo Horizonte, com o engenheiro Glenan Dias Chagas Ribeiro, nascido em 08-12-1943, quarta-feira, em Belo Horizonte, e aí falecido no mês de agosto de 1999, aos 55 anos de idade e após 28 anos de casado. Ele era filho legítimo de Olavo Chagas Ribeiro, natural de Guanhães, Minas Gerais, e de dona Iracema Dias Chagas Ribeiro. Sendo o seu nome de casada: Maria do Carmo de Castro Chagas Ribeiro. Ela reside em Belo Horizonte. Eles tiveram três filhas.50,71
V-1 Maria Gabriela de Castro Chagas Ribeiro. Nasceu em 30-05-1975, sexta-feira, em Belo Horizonte, Minas Gerais, e faleceu aí em 22-06-1975, domingo, com apenas 23 dias de vida.50,260
V-2 Danielle de Castro Chagas Ribeiro. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais, e é formada em Relações Públicas. Solteira.50,260
V-3 Cristiane de Castro Chagas Ribeiro. Ela é natural de Belo Horizonte, Minas Gerais e formada em Fisioterapia na cidade de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. Solteira.50,260
III-11 Vanor Vasques de Castro. Filho legítimo de Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua segunda mulher, Julieta Vasques de Castro. Nascido no dia 02-12-1915, quinta-feira, às quatorze horas, na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Estado de Minas; e foi aí batizado no dia 01-03-1916, quarta-feira, na capela do Divino Espírito Santo, pelo Padre Aristides de Araújo Porto (que anos mais tarde veio a ser bispo da cidade mineira de Montes Claros), sendo seus padrinhos: o irmão Oswaldo Vasques de Castro e sua tia materna, Ana Vasques Vieira, a "Zizinha", fazendeira, viúva de João Pacheco Vieira.50,69,75
Casou-se na sede da fazenda da Pedra, às dezesseis horas do dia 23-02-1938, uma quarta-feira antes do carnaval, com Julieta Lattuf Hissi, que adotou em virtude do casamento, o nome de Julieta Hisse de Castro. Esta nascida no dia 26-02-1923, segunda-feira, às vinte e três horas, em Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais e aí batizada na igreja de Nossa Senhora da Conceição, pelo Padre João Batista da Silva, no dia 27-05-1923, domingo; sendo seus padrinhos: Elias Bouhid e sua esposa Sofia Bouhid, comerciantes libaneses, naturais da cidade de Zahlé, capital da atual Província de Bekaa.50,69,75,92
O casal Vanor Vasques de Castro e Julieta Hisse de Castro ficou residindo no referido Distrito de Água Viva, primeiramente na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Água Viva, até outubro de 1942, quando aí se mudou para o recém-adquirido sítio da Baixada. No mês de abril de 1945, o casal se transferiu para São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Geras, onde residiu numa pequena casa alugada ao lado do campo de futebol. Em fins de 1947, o casal adquiriu em São Martinho, dos herdeiros de Bento Correia Pinto, um prédio de duas cumeeiras, com ferraria, repartição para serviços dos correios e moradia. Em 14-02-1948, Julieta Hisse de Castro, após um período de treinamento, foi admitida como funcionária da agência dos correios de São Martinho, em substituição ao antigo titular Bento Correia Pinto que falecera no ano de 1947; enquanto Vanor Vasques de Castro passou dirigir a ferraria com o auxílio de um ferreiro recém-admitido.50
Na madrugada e manhã de uma quarta-feira, dia 15-12-1948, a família salvou-se milagrosamente de uma avassaladora enchente, mas perdeu quase todos os seus bens materiais. Em 1950, a família adquiriu um prédio vizinho onde passou a morar depois de tê-lo modificado internamente. Vanor nessa época fez um curso de fotografia por correspondência e mais tarde adquiriu um automóvel chevrolet, sedan, ano de 1936, tirou carteira de motorista e o colocou na praça. Em 03-10-1955 foi eleito Juiz de Paz – que na época era cargo eletivo, do Distrito de Providência, pelo então PSD ‒ Partido Social Democrático, com 259 votos; cargo que ocupou no período de 31-01-1956 até 31-01-1961. Anos depois, em São Martinho, Vanor fez diversas experiências com antenas rômbicas para televisão – um sistema de origem alemã para captação de sinais por tropodifusão.50
A família ficou residindo em São Martinho, até o final de 1969, quando houve a desativação da agência dos correios local e a transferência da Julieta Hisse de Castro para a cidade de Recreio, Minas Gerais. E aí a família passou então a morar à Rua Aragão, nº 306. Onde Vanor Vasques de Castro completou um curso de radiotécnico por correspondência e chegou a registrar uma pequena firma em seu nome, quando veio a falecer a 0 hora e 15 minutos da madrugada do dia 12-04-1975, sábado, tendo como causa mortis: edema agudo do pulmão. Seu corpo foi sepultado à tarde do mesmo dia, no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Contava exatos: 59 anos, 4 meses e 10 dias de idade e 37 anos, 1 mês e 20 dias de casado.50,55
Após o falecimento do marido, Julieta Hisse de Castro ficou pouco tempo residindo em Recreio, Minas Gerais. Ela conseguiu junto aos correios em 1976, a sua transferência para a cidade mineira de Além Paraíba; e para lá se mudou com os filhos; onde passou a morar inicialmente à Rua Capitão Mendes, nº 222; mudando-se depois para a Rua São Geraldo, nº 182; e finalmente para a Rua Cecília Binato, nº 154 – no Terreirão. Ela que desde sua saída de São Martinho estava em disponibilidade e assinando o ponto diariamente nas agências dos correios, aposentou-se no dia 14-05-1980.50
Julieta Hisse de Castro faleceu no dia 15-09-1980, segunda-feira, às 18 horas e 30 minutos, no Hospital São Salvador, em Além Paraíba, Minas Gerais, vítima de edema agudo do pulmão; contava precisos 57 anos, 6 meses e 20 dias de idade. E o seu corpo foi sepultado também no citado Cemitério Público de Trimonte.50,80
Os ascendentes da esposa, todos eles eram naturais de Kfar Aamay, localidade que hoje pertence à cidade balneária de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Eram pequenos agricultores que negociavam os seus produtos, principalmente frutas, legumes e verduras, na capital Beirute, distante pouco mais de 17 quilômetros de suas propriedades situadas em Kfar Aamay, na serra. Todos eles também eram seguidores da religião Cristã Maronita, vinculada à Igreja Católica Apostólica Romana.171,172
1 – Julieta Hisse de Castro – "Júlia" (26-02-192315-09-1980). Seu nome de solteira: Julieta Lattuf Hissi. Nascida em Estrela Dalva, Minas Gerais. Ela foi estudante do Colégio Santos Anjos em Além Paraíba, Minas Gerais. Faleceu viúva em Além Paraíba.50,75,80,92
Pais:
2 – Kalil Hissi (nascido em 23-12-1890 pelo calendário juliano, então seguido no Líbano = 05-01-1891 pelo calendário gregoriano, seguido no Brasil―falecido no Brasil em 12-12-1964). Casado no Líbano, com Warda Lattuf, que ao chegar ao Brasil, adotou o nome de [3] Rosa Lattuf Hissi. Ele foi comerciante na Zona da Mata do Estado de Minas Gerais: inicialmente em Estrela Dalva, (1915-1924); depois num prédio situado à margem de uma estrada vicinal, distante cerca de cem metros da sede da fazenda Conceição e a 17,5 quilômetros do centro comercial de Além Paraíba (1924-1926); a seguir mudou-se para um pequeno povoamento nas proximidades da estação ferroviária de Simplício, no Município de Além Paraíba (1926-1929); depois se transferiu para o Distrito Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva (1929-1942); e por último, fixou-se em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina (1942-1964). Kalil Hissi ficou viúvo em 15-12-1954 e faleceu aos 73 anos, 11 meses e 7 dias de idade, na cidade de Volta Grande, Minas Gerais, em decorrência de câncer de pulmão. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério São Sebastião, em Volta Grande.50,69,75,78,80,92,164
3 – Rosa Lattuf Hissi (nascida em 01-12-1891 pelo calendário juliano, então seguido no Líbano e que só em 1923 foi mudado = 14-12-1891 pelo calendário gregoriano, seguido no Brasil―falecida no Brasil em 15-12-1954). Ao ficar órfã dos pais, foi criada junto com o seu irmão Jorge Abib Lattuf, por um tio que era Padre Maronita em Kfar Aamay, onde se casou com o seu conterrâneo [2] Khalil Hisse, que chegando ao Brasil recebeu o nome de Kalil Hissi. Por ter um filho com um ano de idade e pelo começo da Primeira Guerra Mundial, ela só pode viajar para junto do marido após o término da referida Guerra. Quando chegou ao Brasil, o seu filho já estava com sete anos de idade. Ela faleceu repentinamente aos 63 anos e 1 dia de idade, em sua casa em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Eles tiveram onze filhos: 1) Ilyas, falecido bebê, no Líbano; 2) Youssef, falecido também em tenra idade no Líbano; 3) Jane, falecida ainda novinha no Líbano; 4) Antônio Hissi (nascido em 16-02-1913 pelo calendário juliano que era então seguido no Líbano = 02-03-1913 pelo calendário gregoriano seguido no Brasil―falecido no Brasil em 22-07-1983); 5) Frontin Hissi (17-10-1921―10-05-1980) casado com Nazira Bouhid Hissi (24-11-1923―11-03-2007); 6) Julieta Hisse de Castro (26-02-1923―15-09-1980) casada com Vanor Vasques de Castro (02-12-1915―12-04-1975); 7) José Hisse (14-01-1925―29-12-2004) casado com Therezinha Assaf Hisse; 8) Sofia Hissi Elias (29-06-1926―05-02-2012) casada com Gílson Barbosa Elias (23-11-1924―07-06-1983); 9) Paschoal Hissi (01-11-1927―05-11-1985) casado com Wannyr de Araújo Queiroz Hissi; 10) Abílio Hisse (18-09-1930―13-06-2004) casado com Maria José da Cunha Hisse; e 11) Kalil Hisse Júnior (20-09-1933―23-05-1990) casado com Élia Pinto Fernandes Hisse.50,75,78,80,92
Avós paternos:
4 – Issa Khalil. Filho legítimo de [8] Assaf Issa e de sua primeira mulher [9] Saadi Assaf. Casado com [5] Najma Mansur no Líbano, onde eram agricultores.50,75,78,80,92,171,172
5 – Najma Mansur. Filha legítima de [10] Mansur Abichebeb e de [11] Mariam Mansur. Ela faleceu viúva, muito idosa e cega, em Kfar Aamay, na Província do Monte Líbano, no Líbano. Três de seus filhos vieram para o Brasil: Jorge Hisse (1885―28-08-1962), que permaneceu solteiro; [2] Kalil Hissi (23-12-1890=05-01-1891―12-12-1954) casado com [3] Rosa Lattuf Hissi (01-12-1891=14-12-1891―15-12-1954), que fazem parte deste costado; e José Hisse (20-05-1895=02-06-1895―21-04-1941) casado com Ana José de Araújo Hisse (25-02-1911―16-11-1994).50,75,78,80,92,171,172,173
Avós maternos:
6 – Habib Lattuf Ilya. Casado no Líbano com sua conterrânea [7] Jana Amin, e que lá faleceu no ano de 1900. Dedicavam-se à agricultura.50,75,78,80,92,164
7 – Jana Amin. Casada com [6] Habib Lattuf Ilya, em Kfar Aamay no Líbano, onde faleceu viúva no ano de 1903. Eles tiveram um casal de filhos, que vieram para o Brasil: o Jorge Abib Lattuf (16-04-1893=29-04-1893―17-12-1961), viúvo de sua primeira esposa Ana Assaf, falecida no Líbano em 16-06-1917=30-06-1917, que se casou pela segunda vez aqui no Brasil no dia 25-11-1920, com Helena Assaf Lattuf (09-05-1898=22-05-1898―18-10-1965) ― sendo esta filha de [8] Assaf Issa com sua terceira esposa Chimone Moussi; e a [3] Rosa Lattuf Hissi (01-12-1891=14-12-1891―15-12-1954) casada com o [2] Kalil Hissi (23-12-1890=05-01-1891―12-12-1964), que fazem parte deste costado.50,75,78,80,92,164
Bisavós:
8 – Assaf Issa. Nascido na referida localidade de Kfar Aamay, hoje pertencente à cidade serrana de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Ele foi aí chefe administrativo ― denominado "makhatir" ― cargo este preenchido por escolha dos habitantes da própria aldeia; e que o ocupou durante muitos anos repetidamente. Ele foi casado por três vezes. O seu primeiro casamento foi celebrado na referida Localidade com sua conterrânea e contemporânea, [9] Saadi Assaf. O casal que se dedicava também à agricultura, sempre aí morou, viveu e faleceu em 1913.171
9 – Saadi Assaf. Foi a primeira esposa de [8] Assaf Issa. Faleceu em Kfar Aamay, no Líbano. Tiveram quatro filhos: Yousef Assaf George que quando esteve no Brasil passou a se chamar Camillo Jorge, casado com dona Afifa Youssef; Antônio Assaf (1859―02-10-1951) casado com Mariam Issa ― "Badura" (Cerca de 1862―1916), que veio viúvo com três filhos para o Brasil; [4] Issa Khalil casado com [5] Najma Mansur, que fazem parte deste costado; Lies Assaf Issa, falecido em 14-10-1951, no Líbano; e Mariam Assaf casada com Melhem Deud.50,92,171
10 – Mansur Abichebeb. Casado no Líbano, com [11] Mariam Mansur. E faleceu no ano de 1900, no Líbano.164
11 – Mariam Mansur. Falecida em 1919, também no Líbano.164
O casal Vanor Vasques de Castro e Julieta Hisse de Castro teve quatorze filhos, sendo sete homens e sete mulheres. De todos os descendentes desta família Teixeira de Castro, foi o casal que gerou o maior número de filhos.
IV-1 Maria Dilene Hisse de Castro. Nascida em 25-12-1938, domingo, dia de Natal, às onze horas da manhã, na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. E foi batizada na capela do Divino Espírito Santo, em Água Viva, num domingo, dia 05-02-1939, pelo Padre Benito Vasquez, de nacionalidade espanhola e vigário da Paróquia de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais; e teve como padrinhos: o avô paterno Kalil Hissi e a avó materna Julieta Vasques de Castro. Ela faleceu no dia 19-11-1941, quarta-feira, dia da Bandeira, às vinte e três horas, na sede da referida fazenda da Pedra, em Água Viva tendo como causa mortis: infecção renal e intoxicação, conforme atestado de óbito firmado pelo farmacêutico, João Lino Ribeiro da Silva. Tinha apenas 2 anos, 10 meses e 25 dias de idade e foi sepultada no dia seguinte, no Cemitério Público de Trimonte, no Município de Volta Grande, Minas Gerais.14,50,69,75
IV-2 Luiz Fernando Hisse de Castro. É o autor da presente árvore genealógica da família Teixeira de Castro, como também das famílias Vasques de Miranda e Hisse. Nascido na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Casou-se no dia 20-12-1970, domingo, em Leopoldina, Minas Gerais, com Célia Monteiro de Rezende, que adotou o nome de Célia Rezende Castro. Ela nascida na sede do sítio Palmital, em Arraial dos Montes, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. O casal esteve residindo, em Ubá, Minas Gerais; Itapebi e Feira de Santana, Bahia; e em Juiz de Fora, Minas Gerais, houve a separação consensual do casal ocorrida em 14-08-1987, voltando e ex-esposa a ter o seu nome de solteira. Tendo o divórcio sido homologado no dia 23-10-1990.69,75,81
Ele aposentou-se como funcionário público do DER-MG ― Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de Minas Gerais, onde trabalhava em setor técnico na elaboração de projetos, fiscalização e medição de obras públicas. No período de 1971 a 1972, licenciado do DER-MG, trabalhara numa firma construtora chamada Coenge S/A, no Estado da Bahia: primeiramente na pavimentação do subtrecho Ponte do Rio Jequitinhonha ― Ponte do Rio Pardo, da BR-101 (próximo à cidade de Itapebi) e depois na duplicação de aclives para caminhões no trecho Feira de Santana ― Amélia Rodrigues, da BR-324.81
Ascendentes até os tetravós da ex-esposa:
1 – Célia Rezende Castro. Nascida: Célia Monteiro de Rezende.
Pais:
2 – Antônio Monteiro de Rezende (22-05-190315-12-1967). Nascido em Arraial dos Montes, Leopoldina, Minas Gerais. Agricultor casado no dia 07-04-1926, quarta-feira, com [3] Corina Monteiro de Rezende, no Distrito de Santa Isabel, atual Abaíba, Leopoldina, Minas Gerais; e que adotou o nome de Corina Francisca de Rezende.50,81,139,168
Antônio Monteiro de Rezende faleceu em Leopoldina, Minas Gerais, aos 64 anos, 6 meses e 23 dias de idade, depois de 41 anos, 8 meses e 8 dias de casado; e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo. Era filho legítimo de [4] João Batista Monteiro de Rezende e de [5] Josefina Monteiro de Rezende.50,81,139,168
3 – Corina Francisca de Rezende (09-03-190413-07-1981). Seu nome de nascimento era: Corina Monteiro de Rezende. Nascida em Arraial dos Montes, Leopoldina, Minas Gerais. Ela faleceu viúva, aos 77 anos, 4 meses e 4 dias de idade, em Leopoldina, Minas Gerais; e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo. Era filha legítima de [6] José Monteiro de Rezende Sobrinho e de [7] Maria do Carmo Rezende.50,81,139,168
Avós paternos:
4 – João Batista Monteiro de Rezende. Natural de Minas Gerais, filho legítimo de [8 e 12] Marcos Monteiro de Rezende e de [9 e 13] Amélia Maria de Rezende. Agricultor em Arraial dos Montes, Leopoldina Minas Gerais, casado com [5] Josefina Monteiro de Rezende. O [4] João Batista Monteiro de Rezende era irmão do [6] José Monteiro de Rezende Sobrinho.50,81,168
5 – Josefina Monteiro de Rezende. Natural de Tiradentes, Minas Gerais. Casada nesta mesma localidade com [4] João Batista Monteiro de Rezende. Era filha legítima de [10] José Monteiro de Rezende e de [11] Messias Mendonça de Rezende.50,81,168
Avós maternos:
6 – José Monteiro de Rezende Sobrinho. Natural de Minas Gerais, filho legítimo de [8 e 12] Marcos Monteiro de Rezende e de [9 e 13] Amélia Maria de Rezende. Agricultor em Arraial dos Montes, Leopoldina Minas Gerais, casado com [7] Maria do Carmo Rezende.50,81,168
7 – Maria do Carmo Rezende. Filha legítima de [14] Domiciano Monteiro de Rezende e de [15] Maria José Lara de Rezende. Casada com [6] José Monteiro de Rezende Sobrinho.50,81,168
Bisavós:
8 – Marcos Monteiro de Rezende. Natural de Minas Gerais e fazendeiro em Arraial dos Montes, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casado com [9] Amélia Maria de Rezende. Ele era irmão de [10] José Monteiro de Rezende e de [14] Domiciano Monteiro de Rezende. Filho legítimo de [16, 20, 24 e 28] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [17, 21, 25 e 29] Maria do Carmo Monteiro de Castro.50,81,168
9 – Amélia Maria de Rezende. O seu nome quando solteira era: Amélia Maria Ribeiro da Silva. Casada com o fazendeiro [8] Marcos Monteiro de Rezende. Era filha legítima de [18] Luiz Ribeiro da Silva e de [19] Esmênia Maria de Almeida.50,81,168
10 – José Monteiro de Rezende. Foi agricultor e lavrador na localidade de Arraial dos Montes, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casado com dona [11] Messias Mendonça de Rezende. Ele era irmão de [8 e 12] Marcos Monteiro de Rezende e de [14] Domiciano Monteiro de Rezende. Filho legítimo de [16, 20, 24 e 28] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [17, 21, 25 e 29] Maria do Carmo Monteiro de Castro.50,81,165,168
11 – Messias Mendonça de Rezende. Ela é nascida na cidade de São João del-Rei, Minas Gerais, dia 05-03-1851, quarta-feira. Casou-se com [10] José Monteiro de Rezende. Ela era filha legítima de [22] João de Deus Ribeiro de Rezende e de dona [23] Maria Luzia de Mendonça.50,81,165,168
12 – Marcos Monteiro de Rezende. A mesma pessoa de números 8 e 12. Filho legítimo de [16, 20, 24 e 28] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [17, 21, 25 e 29] Maria do Carmo Monteiro de Castro.50,81,168
13 – Amélia Maria de Rezende. Mesma pessoa de números 9 e 13.81,168
14 – Domiciano Monteiro de Rezende. Era irmão de [8 e 12] Marcos Monteiro de Rezende e de [10] José Monteiro de Rezende. Filho legítimo de [16, 20, 24 e 28] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [17, 21, 25 e 29] Maria do Carmo Monteiro de Castro. Casado com [15] Maria José Lara de Rezende.168,215
15 – Maria José Lara de Rezende. Nome de solteira: Maria José Lara. Filha legítima de [30] Teófilo Gonçalves Lara e de [31] Francisca Cândida Lara. Casada com o fazendeiro [14] Domiciano Monteiro de Rezende.168,215
Trisavós:
16 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Batizado no dia 15-10-1812, quinta-feira, na ermida da Cachoeira, em Lagoa Dourada, Minas Gerais. Ele era filho do homônimo [32, 40, 44, 48, 56, 78 e 110] Geraldo Ribeiro de Rezende e de sua mulher [33, 41, 45, 49, 57, 79 e 111] Esmênia Joaquina de Rezende (Esmênia Joaquina de Mendonça quando solteira). Casado pela segunda vez com [17] Maria do Carmo Monteiro de Castro. Este [16, 20, 24 e 28] Geraldo Ribeiro de Rezende era irmão do [22] João de Deus Ribeiro de Rezende e de [39 e 55] Maria Libânia de Rezende.86,112,165
17 – Maria do Carmo Monteiro de Castro. Foi segunda mulher de [16] Geraldo Ribeiro de Rezende, viúvo de Ana Cândida de Rezende. Era filha legítima do tenente [34, 42, 50 e 58] Francisco de Paula Ribeiro e de [35, 43, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro.86,112,165
18 – Luiz Ribeiro da Silva. Nascido cerca do ano de 1820 e casado no dia 12-11-1845, quarta-feira, com dona [19 e 27] Esmênia Maria de Almeida, na ermida do Catimbau, na freguesia de Nossa Senhora da Penha de França da Lage, atual Município de Resende Costa, no Estado de Minas Gerais. Faleceu no dia 09-10-1889, quarta-feira, na sede da fazenda Boa Vista, em Resende Costa, aos 69 anos de idade. Ele era filho legítimo do guarda-mor [36 e 52] Antônio Ribeiro da Silva (cerca de 1783―24-08-1863) e de [37 e 53] Constança Cândida de Jesus (1788―1856), sendo que esta referida senhora, era filha de pais incógnitos e fora exposta em casa do Padre Barnabé Ribeiro da Silva.86,112,165
19 – Esmênia Maria de Almeida. Casada com [18 e 26] Luiz Ribeiro da Silva, falecido no dia 09-10-1889, quarta-feira, na sede da fazenda Boa Vista, em Resende Costa. Ela era filha legítima de [38 e 54] Felisberto Pinto de Almeida e de dona [39 e 55] Maria Libânia de Rezende.86,112,165
20 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Mesma pessoa de números 16, 20, 24 e 28. Filho do homônimo [32, 40, 44, 48, 56, 78 e 110] Geraldo Ribeiro de Rezende e de sua mulher [33, 41, 45, 49, 57, 79 e 111] Esmênia Joaquina de Rezende (Esmênia Joaquina de Mendonça quando solteira).86,112,165
21 – Maria do Carmo Monteiro de Castro. Mesma pessoa de números 17, 21, 25 e 29. Foi segunda mulher de [16] Geraldo Ribeiro de Rezende, viúvo de Ana Cândida de Rezende. Era filha legítima do tenente [34, 42, 50 e 58] Francisco de Paula Ribeiro e de [35, 43, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro.86,112,165
22 – João de Deus Ribeiro de Rezende. Batizado num sábado, dia 15-03-1806, na igreja matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Prados, Minas Gerais. Casado pela segunda vez, com [23] Maria Luzia de Mendonça, que segue neste relatório. Ele faleceu no ano de 1872 na sede de sua fazenda Roça Grande, na então freguesia de Nossa Senhora da Penha de França da Lage, atual Município de Resende Costa, Minas Gerais. O seu inventário encontra-se arquivado no Museu Regional de São João del-Rei, Minas Gerais. Este, [22] João de Deus Ribeiro de Rezende era irmão de [16, 20, 24 e 28] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [39 e 55] Maria Libânia de Rezende. E era filho legítimo de [32, 40, 44, 48, 56, 78 e 110] Geraldo Ribeiro de Rezende (20-11-1771―09-10-1848) e de dona [33, 41, 45, 49, 57, 79 e 111] Esmênia Joaquina de Rezende, nascida em 1776 aproximadamente; e casada em 04-07-1803, segunda-feira, na ermida da fazenda Cachoeira, em Prados, Minas Gerais.112,165,203
23 – Maria Luzia de Mendonça. Era filha de [46] Matheus Gonçalves de Mendonça e de sua mulher, [47] Maria Luzia de Mendonça. Foi segunda esposa do agricultor [22] João de Deus Ribeiro de Rezende, que segue neste relatório; e que faleceu por volta de 1886, na sede de sua fazenda em Tiradentes, Minas Gerais. Já a primeira esposa de [22] João de Deus Ribeiro de Rezende, chamava-se Maria Carolina de Andrade, filha de Francisco Theodoro de Mendonça e de dona Delfina Francisca de Andrade.112,165,203
24 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Mesma pessoa de números 16, 20, 24 e 28. Filho do homônimo [32, 40, 44, 48, 56, 78 e 110] Geraldo Ribeiro de Rezende e de sua mulher [33, 41, 45, 49, 57, 79 e 111] Esmênia Joaquina de Rezende (Esmênia Joaquina de Mendonça quando solteira).86,112,165
25 – Maria do Carmo Monteiro de Castro. Mesma pessoa de números 17, 21, 25 e 29. Foi segunda mulher de [16] Geraldo Ribeiro de Rezende, viúvo de Ana Cândida de Rezende. Era filha legítima do tenente [34, 42, 50 e 58] Francisco de Paula Ribeiro e de [35, 43, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro.86,112,165
26 – Luiz Ribeiro da Silva. A mesma pessoa de números 18 e 26. Ele era filho legítimo do guarda-mor [36 e 52] Antônio Ribeiro da Silva (cerca de 1783―24-08-1863) e de [37 e 53] Constança Cândida de Jesus (1788―1856).86,112,165
27 – Esmênia Maria de Almeida. A mesma pessoa de números 19 e 27. Ela era filha legítima de [38 e 54] Felisberto Pinto de Almeida e de dona [39 e 55] Maria Libânia de Rezende.86,112,165
28 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Mesma pessoa de números 16, 20, 24 e 28. Filho do homônimo [32, 40, 44, 48, 56, 78 e 110] Geraldo Ribeiro de Rezende e de sua mulher [33, 41, 45, 49, 57, 79 e 111] Esmênia Joaquina de Rezende (Esmênia Joaquina de Mendonça quando solteira).86,112,165
29 – Maria do Carmo Monteiro de Castro. Mesma pessoa de números 17, 21, 25 e 29. Foi segunda mulher de [16] Geraldo Ribeiro de Rezende, viúvo de Ana Cândida de Rezende. Era filha legítima do tenente [34, 42, 50 e 58] Francisco de Paula Ribeiro e de [35, 43, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro.86,112,165
30 – Teófilo Gonçalves Lara. Filho de [60] Gervásio Gonçalves Lara e de sua mulher, [61] Ana Francisca de Mello. Casado com [31] Francisca Cândida de Lara.215
31 – Francisca Cândida Lara. Filha de [62] Cândido José de Souza e de sua mulher, [63] Maria da Glória de Jesus. Casada com [30] Teófilo Gonçalves de Lara, viúvo que ficara de Ana Isabel de Magalhães.215
Tetravós:
32 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Nascido no dia 20-11-1771, quarta-feira, na sede da fazenda Cachoeira, em Lagoa Dourada, Minas Gerais; e aí batizado no dia 12-12-1771, quinta-feira, na capela de Santo Antônio. É a mesma pessoa de números: 32, 40, 44, 48 e 56. Casou-se no dia 04-07-1803, segunda-feira, na ermida da citada fazenda Cachoeira, com [33] Esmênia Joaquina de Mendonça. Ele faleceu no dia 09-10-1848, segunda-feira, na sede da fazenda Cachoeirinha, em Prados, Minas Gerais, aos 76 anos, 10 meses e 19 dias de idade e depois de 45 anos, 3 meses e 5 dias de casado. Ele era filho legítimo do coronel [64, 80, 88, 96, 112, 138, 156, 170, 202, 220 e 234] Severino Ribeiro (08-06-172621-12-1800) e de dona [65, 81, 89, 97, 113, 139, 157, 171, 203, 221 e 235] Josefa Maria de Rezende (??-01-1743―29-05-1825).86,112,165
33 – Esmênia Joaquina de Rezende e sendo o seu nome de solteira: Esmênia Joaquina de Mendonça. Foi batizada no dia 17-01-1774, segunda-feira, na matriz de Nossa Senhora do Pilar, em São João del-Rei, Minas Gerais. É a mesma pessoa de números: 33, 41, 45, 49 e 57. Casou-se com [32] Geraldo Ribeiro de Rezende. Ela faleceu viúva no dia 17-12-1854, domingo, na sede da fazenda Cachoeirinha em Prados, Minas Gerais, com cerca de 80 anos e 11 meses de idade. Ela era filha legítima do capitão [66, 82, 90, 98, 114, 158 e 222] Francisco Antônio de Mendonça e de [67, 83, 91, 99, 115, 159 e 223] Ana Josefa de Jesus.86,112,165
34 – Francisco de Paula Ribeiro. Mesma pessoa de números: 34, 42, 50 e 58. Casado com dona [35, 45, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro. Filho legítimo de [68, 84, 100 e 116] João Ribeiro de Avelar e de [69, 85, 101 e 117] Leonarda Maria de Rezende.86,112,165
35 – Joana Batista Monteiro de Castro. A mesma pessoa de números: 35, 43, 51 e 59. Casada com [34, 42, 50, 58] Francisco de Paula Ribeiro. Filha legítima de [70, 86, 102, 118] Domiciano Ferreira de Sá e Castro e de [71, 87, 103, 119] Maria do Carmo Monteiro de Barros.86,112,165
36 – Antônio Ribeiro da Silva. A mesma pessoa de números: 36 e 52. Sem mais notícias.86
37 – Constança Cândida de Jesus. A mesma pessoa de números: 37 e 53. Sem mais notícias.86
38 – Felisberto Pinto de Almeida e Lara. A mesma pessoa de números: 38 e 54. Casado com dona [39 e 55] Maria Libânia de Rezende. Era filho legítimo de [76 e 108] Joaquim Pinto de Góes e Lara e de dona [77 e 109] Ana de Almeida e Silva.86,112,165
39 – Maria Libânia de Rezende. A mesma pessoa de números: 39 e 55. Ela era irmã de [16, 20, 24 e 28] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [22] João de Deus Ribeiro de Rezende. Filha legítima de [32, 40, 44, 48, 56, 78, e 110] Geraldo Ribeiro de Rezende (20-11-1771―09-10-1848) e de dona [33, 41, 45, 49, 57, 79 e 111] Esmênia Joaquina de Rezende, esta nascida por volta de 1776. 86,112,165
40 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Mesma pessoa de números: 32, 40, 44, 48 e 56. Casado com dona [33, 41, 45, 49 e 57] Esmênia Joaquina de Rezende. Filho legítimo de [64, 80, 88, 96, 112, 138, 156, 170, 202, 220 e 234] Severino Ribeiro e de [65, 81, 89, 97, 113, 139, 157, 171, 202, 221 e 235] Josefa Maria de Rezende.86,112,165
41 – Esmênia Joaquina de Rezende e sendo o seu nome de solteira: Esmênia Joaquina de Mendonça. Mesma pessoa de números: 33, 41, 45, 49 e 57. Casada com [32, 40, 44, 48 e 56] Geraldo Ribeiro de Rezende. Filha legítima de [66, 82, 90, 98, 114, 158 e 222] Francisco Antônio de Mendonça e de [67, 83, 91, 99, 115, 159 e 223] Ana Josefa de Jesus.86,112,165
42 – Francisco de Paula Ribeiro. Mesma pessoa de números: 34, 42, 50 e 58. Casado com dona [35, 45, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro. Filho legítimo de [68, 84, 100 e 116] João Ribeiro de Avelar e de [69, 85, 101 e 117] Leonarda Maria de Rezende.86,112,165
43 – Joana Batista Monteiro de Castro. A mesma pessoa de números: 35, 43, 51 e 59. Casada com [34, 42, 50, 58] Francisco de Paula Ribeiro. Filha legítima de [70, 86, 102, 118] Domiciano Ferreira de Sá e Castro e de [71, 87, 103, 119] Maria do Carmo Monteiro de Barros.86,112,165
44 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Mesma pessoa de números: 32, 40, 44, 48 e 56. Casado com dona [33, 41, 45, 49 e 57] Esmênia Joaquina de Rezende. Filho legítimo de [64, 80, 88, 96, 112, 138, 156, 170, 202, 220 e 234] Severino Ribeiro e de [65, 81, 89, 97, 113, 139, 157, 171, 202, 221 e 235] Josefa Maria de Rezende.86,112,165
45 – Esmênia Joaquina de Rezende e sendo o seu nome de solteira: Esmênia Joaquina de Mendonça. Mesma pessoa de números: 33, 41, 45, 49 e 57. Casada com [32, 40, 44, 48 e 56] Geraldo Ribeiro de Rezende. Filha legítima de [66, 82, 90, 98, 114, 158 e 222] Francisco Antônio de Mendonça e de [67, 83, 91, 99, 115, 159 e 223] Ana Josefa de Jesus.86,112,165
46 – Matheus Gonçalves de Mendonça. Sem mais notícias.165
47 – Maria Luzia de Mendonça. Sem mais notícias.165
48 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Mesma pessoa de números: 32, 40, 44, 48 e 56. Casado com dona [33, 41, 45, 49 e 57] Esmênia Joaquina de Rezende. Filho legítimo de [64, 80, 88, 96, 112, 138, 156, 170, 202, 220 e 234] Severino Ribeiro e de [65, 81, 89, 97, 113, 139, 157, 171, 202, 221 e 235] Josefa Maria de Rezende.86,112,165
49 – Esmênia Joaquina de Rezende e sendo o seu nome de solteira: Esmênia Joaquina de Mendonça. Mesma pessoa de números: 33, 41, 45, 49 e 57. Casada com [32, 40, 44, 48 e 56] Geraldo Ribeiro de Rezende. Filha legítima de [66, 82, 90, 98, 114, 158 e 222] Francisco Antônio de Mendonça e de [67, 83, 91, 99, 115, 159 e 223] Ana Josefa de Jesus.86,112,165
50 – Francisco de Paula Ribeiro. Mesma pessoa de números: 34, 42, 50 e 58. Casado com dona [35, 45, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro. Filho legítimo de [68, 84, 100 e 116] João Ribeiro de Avelar e de [69, 85, 101 e 117] Leonarda Maria de Rezende.86,112,165
51 – Joana Batista Monteiro de Castro. A mesma pessoa de números: 35, 43, 51 e 59. Casada com [34, 42, 50, 58] Francisco de Paula Ribeiro. Filha legítima de [70, 86, 102, 118] Domiciano Ferreira de Sá e Castro e de [71, 87, 103, 119] Maria do Carmo Monteiro de Barros.86,112,165
52 – Antônio Ribeiro da Silva. A mesma pessoa de números: 36 e 52. Sem mais notícias.86
53 – Constança Cândida de Jesus. A mesma pessoa de números: 37 e 53. Sem mais notícias.86
54 – Felisberto Pinto de Almeida e Lara. A mesma pessoa de números: 38 e 54. Casado com dona [39 e 55] Maria Libânia de Rezende. Filho legítimo [76 e 108] Joaquim Pinto de Góes e Lara e de dona [77 e 109] Ana de Almeida e Silva.86,112,165
55 – Maria Libânia de Rezende. Mesma pessoa de números: 39 e 55. Casada com [38 e 54] Felisberto Pinto de Almeida. Filha legítima de [32, 40, 44, 48, 56, 78, e 110] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [33, 41, 45, 49, 57, 79 e 111] Esmênia Joaquina de Rezende.86
56 – Geraldo Ribeiro de Rezende. Mesma pessoa de números: 32, 40, 44, 48 e 56. Casado com dona [33, 41, 45, 49 e 57] Esmênia Joaquina de Rezende. Filho legítimo de [64, 80, 88, 96, 112, 138, 156, 170, 202, 220 e 234] Severino Ribeiro e de [65, 81, 89, 97, 113, 139, 157, 171, 202, 221 e 235] Josefa Maria de Rezende.86,112,165
57 – Esmênia Joaquina de Rezende e sendo o seu nome de solteira: Esmênia Joaquina de Mendonça. Mesma pessoa de números: 33, 41, 45, 49 e 57. Casada com [32, 40, 44, 48 e 56] Geraldo Ribeiro de Rezende. Filha legítima de [66, 82, 90, 98, 114, 158 e 222] Francisco Antônio de Mendonça e de [67, 83, 91, 99, 115, 159 e 223] Ana Josefa de Jesus.86,112,165
58 – Francisco de Paula Ribeiro. Mesma pessoa de números: 34, 42, 50 e 58. Casado com dona [35, 45, 51 e 59] Joana Batista Monteiro de Castro. Filho legítimo de [68, 84, 100 e 116] João Ribeiro de Avelar e de [69, 85, 101 e 117] Leonarda Maria de Rezende.86,112,165
59 – Joana Batista Monteiro de Castro. A mesma pessoa de números: 35, 43, 51 e 59. Casada com [34, 42, 50, 58] Francisco de Paula Ribeiro. Filha legítima de [70, 86, 102, 118] Domiciano Ferreira de Sá e Castro e de [71, 87, 103, 119] Maria do Carmo Monteiro de Barros.86,112,165
60 – Gervásio Gonçalves Lara. Casado com dona [61] Ana Francisca de Mello. Sem mais notícias.215
61 – Ana Francisca de Mello. Casada com o acima citado, [60] Gervásio Gonçalves Lara. Sem mais notícias.215
62 – Cândido José de Souza. Casado com dona [63] Maria da Glória de Jesus. Sem mais notícias.215
63 – Maria da Glória de Jesus. Casada com o acima citado, [60] Cândido José de Souza. Sem mais notícias.215
Eles tiveram quatro filhos e tanto ele quanto a sua ex-esposa, residem na cidade de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
V-1 Roberto Rezende Castro. Ele é natural da cidade de Feira de Santana, Bahia, e foi batizado em Leopoldina, Minas Gerais, na igreja de Nossa Senhora do Rosário. Casou-se em Juiz de Fora, Minas Gerais, com Luciene Bonoto Batista, que adotou o nome de Luciene Bonoto Batista de Castro. Eles moram em Arujá, São Paulo.50
Ascendência da esposa.
1 – Luciene Bonoto Batista de Castro.50
Pais:
2 – Luiz Batista. Protético, natural de Cataguases, Estado de Minas Gerais. Residente e domiciliado em Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.50,152
3 – Vera Bonoto Batista. Seu nome antes do casamento era: Vera Bonoto. Nascida em casa, na fazenda Passo da Pátria, situada no Município de Bicas, Estado de Minas Gerais.50,294
Avós paternos:
4 – José Batista (26-07-1901―17-10-1975). Era natural do Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casado com dona [5] Clotilde Luiza de Jesus. Ele foi operador de máquina industrial em Cataguases, Estado de Minas Gerais, onde faleceu aos 74 anos, 2 meses e 21 dias de idade. Era filho legítimo de [8] João Batista da Costa e de dona [9] Maria Rodrigues da Silva.50,152
5 – Clotilde Luiza de Jesus (08-12-1911―03-01-2009). Era casada com o operador de máquina industrial, [4] José Batista. Ela faleceu viúva, aos 97 anos e 26 dias de idade, na cidade de Cataguases, Minas Gerais. Era filha legítima de [10] Cristiano José da Silva e de dona [11] Maria Luzia de Jesus.50,152
Avós maternos:
6 – José Bonoto (30-05-1911―04-01-1972). Era lavrador, natural de Bicas, Minas Gerais. Casado com dona [7] Maria Bolotari Bonoto. Ele faleceu em Juiz de Fora, Minas Gerais, aos 60 anos, 7 meses e 5 dias de idade. Era filho legítimo de [12] João Bonotto e de dona [13] Rosa Carniatti Bonoto.50,94,294
7 – Maria Bolotari Bonoto. O seu nome antes do casamento era: Maria Bolotari. Ela nascida em Bicas, no dia 21-03-1919, sexta-feira, faleceu viúva em Juiz de Fora, Minas Gerais, no dia 19-07-2011, terça-feira, aos 92 anos, 3 meses e 28 dias de idade. Era filha legítima dos italianos, [14] Guglielmo Angelo Ballotari e [15] Ernesta Nero.50,294
Bisavós:
8 – João Batista da Costa. Casado com dona [9] Maria Rodrigues da Silva. Foram moradores no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.152,294
9 – Maria Rodrigues da Silva. Ela era casada com [8] João Batista da Costa. Moradores no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.152,294
10 – Cristiano José da Silva. Descendente dos índios puris. Casado com dona [11] Maria Luzia de Jesus. Eram moradores em Senhor Bom Jesus do Rio Pardo, hoje cidade de Argirita, Estado de Minas Gerais.50,152,294
11 – Maria Luzia de Jesus. Casada com o [10] Cristiano José da Silva. Eram moradores em Senhor Bom Jesus do Rio Pardo, atual cidade de Argirita, Estado de Minas Gerais.50,152,294
12 – João Bonotto (25-09-1878―10-12-1960). Era natural da Itália, casado com sua conterrânea, dona [13] Rosa Carniatti Bonoto. Lavradores no Município de Bicas, Estado de Minas Gerais. Ele faleceu em Juiz de Fora, Minas Gerais, aos 82 anos, 2 meses e 15 dias de idade. Ele era filho legítimo de [24] Marcantonio Bonnoto e de dona [25] Filomena Micheleto.50,294
13 – Rosa Carniatti Bonoto. Natural da Itália e casada com o seu conterrâneo [12] João Bonotto. Lavradores no Município de Bicas, Estado de Minas Gerais. Era filha legítima de [26] Vincenzo Carniatti e de dona [27] Thereza Carniatti.50,294
14 – Guglielmo Angelo Ballotari (25-03-1885―20-03-1946). Este, natural da Província de Verona, Região de Veneto, Itália. Casado em Bicas, Minas Gerais, Brasil, no dia 08-12-1917, sábado, com sua conterrânea [15] Ernesta Nero. Falecido aos 60 anos, 11 meses e 23 dias de idade. Era filho legítimo de [28] Giovanni Ballotari e de dona [29] Maria Michelini.50,294
15 – Ernesta Nero. Esta, natural da Província de Mântua (Mantova), Região da Lombardia, Itália, nascida no dia 25-01-1890, sábado. Casada no dia 08-12-1917, sábado, com o seu conterrâneo [14] Guglielmo Angelo Ballotari, em Bicas, Estado de Minas Gerais, Brasil. Filha legítima de [30] Giovanni Nero e de dona [31] Celestina Martino.50,294
Trisavós:
24 – Marcantonio Bonnoto. Natural da Itália, onde se casou com sua conterrânea [25] Filomena Micheleto.50,294
25 – Filomena Micheleto. Natural da Itália, onde se casou com seu conterrâneo [24] Marcantonio Bonnoto.50,294
26 – Vincenzo Carniatti. Natural da Itália, onde se casou com dona [27] Thereza Carniatti.50,294
27 – Thereza Carniatti. Natural da Itália, casada com [26] Vincenzo Carniatti.50,294
28 – Giovanni Ballotari. Nascido em 1855, na Itália e casado com a dona [29] Maria Michelini.50,294
29 – Maria Michelini. Nascida em 1856, na Itália e casada com [28] Giovanni Ballotari.50,294
30 – Giovanni Nero. Natural da Itália, onde se casou com dona [31] Celestina Martino, sua conterrânea.50,294
31 – Celestina Martino. Natural da Itália, onde se casou com o seu conterrâneo [30] Giovanni Nero.50,294
Roberto Rezende Castro e sua esposa, Luciene Bonoto Batista de Castro têm duas filhas.50
VI-1 Isabela Bonoto de Castro. Natural de Belém, Estado do Pará.50
VI-2 Melissa Bonoto de Castro. Natural de São Paulo, Estado de São Paulo.50
V-2 Marisa Rezende Castro. Nascida na cidade de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, onde foi diplomada como Normalista pelo Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Minas Gerais. Transferiu-se para São José dos Campos, Estado de São Paulo, onde se formou no ano de 1999, em Odontologia pela Universidade do Vale do Paraíba. Tem uma filha tida com o seu ex-namorado Albert Mário Antônio Luís Carlos Euclides de Cornides ― "Albert Von Cornides"; este, natural da Capital Paulista e odontólogo formado no ano de 1997 pela Universidade Federal de Juiz de Fora; e que é residente e domiciliado nesta mesma Cidade.50,231
Ascendência do seu ex-namorado.
1 – Albert Mário Antônio Luís Carlos Euclides de Cornides.50
Pais:
2 – Albert Thomas de Cornides. É natural de Budapeste, Hungria. Desembarcou no dia 04-02-1949, sexta-feira no Brasil, pelo navio "General Stewart", procedente do porto de Baden-Baden, Alemanha; tinha então 8 anos, 4 meses e 20 dias de idade. Ele se formou em Geologia e se casou com dona [3] Myra Lucia Martins Chagas, que passou a ter o nome de [3] Myra Lúcia Chagas de Cornides. Dedicou-se à agricultura e tornou-se grande produtor de mamão em Eunápolis, Estado da Bahia. Ele era filho legítimo dos húngaros [4] Albert de Cornides e de dona [5] Alice Kosutany de Cornides.50,203
3 – Myra Lúcia Chagas de Cornides. O seu nome quando solteira era: Myra Lucia Martins Chagas. Nascida em Almenara, Estado de Minas Gerais, no dia 18-01-1951, quinta-feira. Casou-se com o geólogo [2] Albert Thomas de Cornides; residentes e domiciliados em Eunápolis, Bahia. Ela faleceu no dia 08-11-2006, quarta-feira, em Juiz de Fora, Minas Gerais, aos 55 anos, 9 meses e 21 dias de idade. O seu corpo foi trasladado e cremado em Vitória, Espírito Santo. Ela era filha legítima de [6] Mário Ferreira Chagas e de dona [7] Gláucia Martins Chagas. Ela deixou dois filhos: Albert e Tíbor.50,203
Avós paternos:
4 – Albert de Cornides. Natural da Hungria, Casado com dona [5] Alice Kosutany de Cornides (Alice Kosutany quando solteira). Foram pais de três filhos nascidos na Hungria: Albert Cornides, nascido e falecido em 1937; Beatrix Zsófia Margit Csilla Borbala de Cornides, que se casou com Ferenc Paulics, filho de Antal Paulics e Maria Paulics e adotou o nome de Beatrix Cornides Paulics; e o [2] Albert Thomas de Cornides.50,203
5 – Alice Kosutany de Cornides. Seu nome de solteira era: Alice Kosutany. Nascida em 30-11-1904, quarta-feira, em Sirok, na Hungria. Desembarcou no Brasil no dia 04-02-1949, sexta-feira, no porto do Rio de Janeiro, pela embarcação "General Stewart", procedente do porto de Baden-Baden, Alemanha; tinha então, 44 anos, 2 meses e 5 dias de idade; com ela vieram seus filhos: Beatrix, então com 9 anos, 10 meses e 17 dias de idade; e o caçula, [2] Albert, com 8 anos, 4 meses e 20 dias. Passaram a morar na cidade de São Paulo. Ela era filha legítima do senhor [10] Gyula Kosutany e de dona [11] Alice Hauser.50,203
Avós maternos:
6 – Mário Ferreira Chagas. Professor, poeta e escritor, nascido em 14-04-1914, terça-feira e que faleceu no dia 20-10-2010, quarta-feira em Juiz de Fora, Minas Gerais, tinha exatos: 96 anos, 6 meses e 6 dias de idade. Era casado com dona [7] Glaucia Martins Chagas. Filho de [12] Tibério Ferreira Chagas e de sua primeira mulher, dona [13] Maria Leopoldina Evangelista.50,295
7 – Gláucia Martins Chagas. Nascida em 18-07-1918, quinta-feira, Casada com [6] Mário Ferreira Chagas e já falecida.50,295
Bisavós:
10 – Gyula Kosutany. Era natural da Hungria, nascido em 07-11-1872, quinta-feira e lá falecido aos 64 anos de idade em 1937. Foi o primeiro marido de dona [11] Alice Hauser. Esta se casou pela segunda vez na Hungria e adotou o nome de Alice Altorjay.50,203
11 – Alice Hauser. Era natural de Budapeste, Hungria, nascida no dia 27-11-1883, terça-feira. Casada com o [10] Gyula Kosutany. Ficou viúva em 1937 na Hungria; onde se casou pela segunda vez e adotou o nome de Alice Altorjay. Depois de se separar desse segundo casamento ela veio para o Brasil, com o nome de Alice Altorjay, passando a morar em São Paulo Capital onde faleceu no dia 14-05-1979, segunda-feira, aos 95 anos, 5 meses e 17 dias de idade. Ela era filha legítima de [22] Adorjan Hauser e de dona [23] Charlotte Hauser.50,203
12 – Tibério Ferreira Chagas. Fazendeiro e comerciante, natural de Campos de São João, Município de Palmeiras, Estado da Bahia, casado em primeiras núpcias com dona [13] Maria Leopoldina Evangelista, que faz parte deste costado. A família foi possuidora de pequena fazenda de gado, pequeno engenho de açúcar, casa comercial de tecidos e armarinhos, farmácia, uma pequena fábrica de sabão e exploração de garimpo de diamantes. Ao ficar viúvo e com nove filhos menores, ele contraiu novo casamento, com dona Etelvina Maciel Rodrigues, com quem deixou mais três filhos, já aposentados há alguns anos: Maria Emília Rodrigues Chaves, enfermeira; Esther Rodrigues Chaves, professora normalista; e Maria Lívia Rodrigues Chagas, enfermeira, que gentilmente nos forneceu os dados familiares. Tibério Ferreira Chagas faleceu aos 57 anos de idade, na localidade acima citada. Era o filho legítimo e caçula dos portugueses, [24] Benedito Ferreira Souza Chagas e [25] Isabel Cerqueira de Novais Chagas.295
13 – Maria Leopoldina Evangelista. Foi primeira esposa de [12] Tibério Ferreira Chagas. E que deixaram deste enlace, os nove filhos seguintes: Isaura (I), que faleceu ainda criança; César Ferreira Chagas, comerciante; Amélia Ferreira Chaves; Doutor Américo Ferreira Chagas, médico desde 1932 em Ponte Nova, atual Wagner, Estado da Bahia, e que faleceu em 1976; Isaura Ferreira Chagas "Santa", enfermeira e funcionária dos correios aposentada; Alice Ferreira Chagas, enfermeira aposentada; [6] Mário Ferreira Chagas, professor, escritor, poeta (deste relatório); Isabel Ferreira Chagas, professora normalista aposentada; e Alberto Ferreira Chagas, agrônomo, falecido em 1954, em Três Pontas, Minas Gerais.295
Trisavós:
22 – Adorjan Hauser. Nascido em 11-03-1851, terça-feira. Casado com dona [23] Charlotte Hauser. Moradores em Budapeste, capital Hungria.50,203
23 – Charlotte Hauser (16-03-1852―12-06-1923). Casada com [22] Charlotte Hauser. Faleceu aos 71 anos, 2 meses e 27 dias de idade, na Hungria.50,203
24 – Benedito Ferreira Souza Chagas. Ele é natural e batizado em Portugal. Veio para o Brasil antes de 1850, já casado com a sua conterrânea, dona [25] Isabel Cerqueira de Novais Chagas com os filhos; fixando-se na localidade de Campos de São João, Município de Palmeiras, na Chapada Diamantina na Bahia, onde edificou fazenda e foi minerador de diamantes. É o patriarca deste ramo da família Chagas da Bahia. O casal faleceu na sede de sua fazenda.295
25 – Isabel Cerqueira de Novais Chagas. O seu nome de solteira era: Isabel Cerqueira de Novais. Ela é natural e batizada em Portugal. Veio já casada com [24] Benedito Ferreira Souza Chagas e filhos. Foram fazendeiros na localidade de Campos de São João, Município de Palmeiras, na Chapada Diamantina da Bahia. Tiveram os seguintes filhos: Antonio Ferreira Chagas; Ezequiel Ferreira Chagas; Renerio Ferreira Chagas; Gualter Ferreira Chagas; Marcolina Ferreira Chagas; Virginia Ferreira Chagas; Jovina Ferreira Chagas; Idalina Ferreira Chagas; e Tibério Ferreira Chagas. O casal faleceu na sede de sua fazenda, na citada localidade.295
Filha:
VI-1 Amanda Taisa Castro de Cornides. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Ela é formanda em Administração pela Universidade Federal de Viçosa ― Campus Rio Paranaíba, no Município de Rio Paranaíba, Estado de Minas Gerais. Solteira.50,231
V-2 Marisa Rezende Castro. Ela reside na cidade de São José dos Campos, Estado de São Paulo, onde desempenha suas atividades de cirurgiã-dentista. Casou-se nesta mesma cidade, com o advogado, doutor Igor Alves Hauck e adotou o nome de Marisa Rezende Castro Hauck.
O Doutor Igor Alves Hauck é funcionário de empresa de construção civil.50
Ascendência do marido.
1 – Igor Alves HauckFormado em Direito.50
Pais:
2 – Carlos Guilherme Correa Hauck. Ele é formado em Engenharia e já aposentado. Casado com [3] Maria Tereza Alves Hauck. São residentes em São José dos Campos, São Paulo.50,296
3 – Maria Tereza Alves Hauck. O seu nome quando solteira, era: Maria Tereza Simões Alves.50,296
Avós paternos:
4 – Crisantho Henriques Hauck. Natural do Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais.296
5 – Hermelinda Martins Correa Hauck. O seu nome de solteira, era: Hermelinda Martins Correa.296
Avós maternos:
6 – João Alves. Casado com a [7] Grafina Simões Alves. Residentes em Juiz de Fora, Minas Gerais.296
7 – Grafina Simões Alves. Casada com o [6] João Alves. Residentes em Juiz de Fora, Minas Gerais.296
Bisavós:
8 – Gustavo Hauck. Nascido por volta de 1886 no Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Casado com dona [9] Maria Henriques Hauck. Ele faleceu aí no dia 10-05-1955, terça-feira. Era filho legítimo de [16] Frederico Hauck Junior e de dona [17] Dorothea Hauck.296
9 – Maria Henriques Hauck. O seu nome de solteira, era: Maria Henriques. Nascida e casada no Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais, onde também residia. Ela faleceu aí no dia 30-06-1940, domingo. Era filha legítima de [18] Antonio Henriques de Aquino e de dona [19] Umbelina Henriques de Aquino.296
Trisavós:
16 – Frederico Hauck Junior (1857/1858—20-06-1913). Natural de Spabrücken, Rheinpreussen, Alemanha. Casado com dona [17] Dorothea Hauck. Ele faleceu na serra dos Altanos, Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais. Era filho legítimo de [32] Friedrich Hauck e de dona [33] Anna Maria Hauck.296
17 – Dorothea Hauck. Era casada com [16] Frederico Hauck Junior. Eles foram proprietários e moradores no Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais.296
18 – Antonio Henriques de Aquino. Casado com a [19] Umbelina Henriques de Aquino. Moradores no Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais.296
19 – Umbelina Henriques de Aquino. Casada com o [18] Antonio Henriques de Aquino. Moradores no Distrito de Paula Lima, Município de Juiz de Fora, Minas Gerais.296
Tetravós:
32 – Friedrich Hauck. Ele é nascido por volta do ano de 1819 em Spabrücken, Estado de Rheinpreussen, Alemanha. Casado com sua conterrânea [33] Anna Maria Hauck. Família esta que no dia 04-06-1858, sexta-feira, embarcara com seus cinco filhos pelo navio "Osnabrück", procedente do porto alemão de Hamburgo, desembarcando no porto brasileiro do Rio de Janeiro e seguindo depois para a Colônia Borboleta, em Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais.296
33 – Anna Maria Hauck. Ela é nascida por volta do ano de 1820 em Spabrücken, Estado de Rheinpreussen, Alemanha. Casada na Alemanha, com seu conterrâneo [32] Friedrich Hauck.296
Filho.
VI-2 Lucas Castro Hauck. Natural de São José dos Campos, São Paulo.50
V-3 César Rezende Castro. Natural da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. No ano de 2000, formou-se em Administração de Empresas e Negócios pela UNIVAP – Universidade do Vale do Paraíba, na cidade de São José dos Campos, São Paulo. Residente e domiciliado em Taubaté, São Paulo. Solteiro em 2017.50
V-4 Sílvia Rezende Castro. Natural da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. Ela é Bacharela em Direito pela UNIVAP – Universidade do Vale do Paraíba, em São José dos Campos, São Paulo. Casou-se nesta mesma cidade com o seu primo Thiago de Castro Santos e adotou o nome de Sílvia Rezende Castro Santos. Ele é bancário e natural de Além Paraíba, Minas Gerais. O casal é residente e domiciliado na cidade de São José dos Campos.50
Ascendência do marido, até seus trisavós.
1 – Thiago Castro Santos.50
Pais:
2 – Luiz Augusto Silva Santos. Natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais.
3 – Maria de Fátima Castro Santos. Nome de solteira: Maria de Fátima Hisse de Castro. Natural da vila de São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais.50
Avós paternos:
4 – Hildo Santos (04-02-1930—31-10-2008). Nascido na cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, onde se casou no dia 26-06-1954, sábado, com dona [5] América Silva Santos. O casal residiu em Além Paraíba onde ele que era ferroviário se aposentou. Mais tarde eles se transferiram para São José dos Campos, Estado de São Paulo. Hildo Santos faleceu aí, aos 78 anos, 8 meses e 27 dias de idade, após 54 anos, 4 meses e 5 dias de casado. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal Colônia Paraíso, em São José dos Campos. Ele era filho legítimo de [8] Waldemiro Santos e de [9] Eugênia de Oliveira Santos.50
5 – América Silva Santos. O seu nome antes do casamento era: América Baeta da Silva. Nascida em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casada nesta mesma Cidade, em 26-06-1954, sábado, com o ferroviário [4] Hildo Santos. Filha de [10] Joaquim da Silva e de sua mulher, [11] Leopoldina Baeta da Silva. Aos 83 anos de idade neste ano de 2017, a dona América Silva Santos, que ficou viúva em 31-10-2008, sexta-feira, continua residindo em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
Avós maternos:
6 – Vanor Vasques de Castro (02-12-1915—12-04-1975). Nascido na sede da antiga fazenda da Pedra, no Distrito de Água Viva, hoje pertencente ao Município de Estrela Dalva, Minas Gerais. Casado com [7] Julieta Hisse de Castro, e que faleceu na cidade de Recreio, Minas Gerais, aos 59 anos, 4 meses e 10 dias de idade, e após 37 anos, 1 mês e 20 dias de casado. Era filho legítimo de [12] Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua segunda esposa, [13] Julieta Vasques de Castro.50
7 – Julieta Hisse de Castro (26-02-1923—15-09-1980). Nome de solteira: Julieta Lattuf Hissi. Natural de Estrela Dalva, Minas Gerais que se casou com [6] Vanor Vasques de Castro, em 23-02-1938, quarta-feira, na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Água Viva, hoje pertencente ao Município de Estrela Dalva. Ela faleceu viúva aos 57 anos, 8 meses e 20 dias de idade, em Além Paraíba, Minas Gerais. Era filha legitima de [14] Kalil Hissi e de [15] Rosa Lattuf Hissi.50
Bisavós:
8 – Waldemiro Santos (14-04-1899―22-08-1986). Ele era natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Filho de [16] Arthur de Souza Santos e de [17] Henriqueta Olívia da Conceição. Casado com [9] Eugênia de Oliveira Santos. Ele faleceu viúvo em decorrência de câncer de próstata, aos 87 anos, 4 meses e 8 dias de idade em Além Paraíba; e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Municipal.50,80
9 – Eugênia de Oliveira Santos (01-11-1900―24-03-1976). O seu nome de solteira era: Eugênia dos Santos Oliveira. Natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais e filha do senhor [18] Conceição de Oliveira e Silva e de sua mulher, dona [19] Donária Júlia de Oliveira. Ela faleceu em Além Paraíba, aos 75 anos, 4 meses e 23 dias de idade, em consequência de enfisema pulmonar. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Municipal de Além Paraíba. Era casada com o ferroviário [8] Waldemiro Santos.50,80
10 – Joaquim da Silva. Ele é nascido na cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, no dia 28-05-1904, sábado. Filho de [20] Joaquim da Rosa Gonçalves e de dona [21] Victoriana Silva. Casado com dona [11] Leopoldina Baeta da Silva.50,80
11 – Leopoldina Baeta da Silva. Era casada com o [10] Joaquim da Silva. Sem mais notícias.50
12 – Luiz Augusto Teixeira de Castro (01-06-1867—03-12-1935). Nascido na sede do antigo sítio Gratidão, nas proximidades do local onde se formou o Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais e falecido na sede da fazenda da Pedra, em Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Minas Gerais. Estando viúvo de sua primeira esposa, Maria Teresa Pacheco de Castro, casou-se pela segunda vez, com dona [13] Julieta Vasques de Castro. Ele era o filho caçula de [24] Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de sua segunda consorte [25] Carolina Augusta de Siqueira Castro.14,50,55,64,65,66,68
13 – Julieta Vasques de Castro (09-07-1878—28-01-1943). Nome de solteira: Julieta Vasques de Miranda. Nascida na sede da fazenda Rochedo, em terras do atual Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais, onde se casou no dia 08-07-1899, sábado, com o viúvo que ficara da dona Maria Teresa Pacheco de Castro, o fazendeiro [12] Luiz Augusto Teixeira de Castro. Ela era filha legítima de [26] José Bento Vasques de Miranda e de sua segunda esposa, dona [27] Rosa Luiza de Menezes Vasques.14,50,55,64,65,66,68
14 – Kalil Hissi. Nascido em Kfar Aamay, hoje pertencente a Aley, Província do Monte Líbano, República do Líbano no dia 23-12-1890, pelo calendário juliano das igrejas cristãs do Líbano (só mudado em 1923), cuja data é equivalente ao dia 05-01-1891, segunda-feira do calendário gregoriano (que é usado no Brasil desde 15-10-1582). Casado pela igreja cristã maronita de Kfar Aamay, com dona [15] Warda Lattuf, que no Brasil passou a ter o nome de Rosa Lattuf Hissi. Kalil Hissi que era comerciante, faleceu viúvo em Volta Grande, Estado de Minas Gerais, no dia 12-12-1964, sábado, em decorrência de câncer de pulmão. Contava 73 anos, 11 meses e 7 dias de idade. Seu corpo foi sepultado no Cemitério São Sebastião, em Volta Grande. Ele era filho legítimo dos libaneses, [28] Issa Khalil Assaf e dona [29] Najma Mansur.50,75,92,164,172,223
15 – Rosa Lattuf Hissi. O seu nome no Líbano era Warda Lattuf. Filha de [30] Habib Lattuf Ilya e de sua mulher, [31] Janna Amin. Natural de Kfar Aamay, Chouf, hoje pertencente à Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Nascida em 01-12-1891 pelo calendário juliano, que ainda era usado no Líbano, data esta equivalente ao dia 14-12-1891, segunda-feira, quando corrigida para o nosso calendário gregoriano. Chegou ao Brasil sete anos depois do marido. Ela morreu em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais, no dia 15-12-1954, quarta-feira, por volta de uma hora da madrugada, aos 63 anos e 1 dia de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério São Sebastião, em Volta Grande, Minas Gerais.50,75,78,80
Trisavós:
16 – Arthur de Souza Santos. Residente em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Foi namorado da [17] Henriqueta Olívia da Conceição. Sem mais notícias.80
17 – Henriqueta Olívia da Conceição. Era residente na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Filha do senhor [34] Isidoro e de dona [35] Olívia da Conceição.80
18 – Conceição de Oliveira e Silva. Natural de Minas Gerais. Filho de [36] Manuel Francisco de Oliveira Leite e de dona [37] Maria José do Carmo. Casado com [19] Donária Júlia de Oliveira.80
19 – Donária Júlia de Oliveira. Natural da então Província do Rio de Janeiro. Filha de [38] José Gomes Henriques e de sua mulher, dona [39] Rosa Mariana Henriques. Era casada com o senhor [18] Conceição de Oliveira e Silva.80
20 – Joaquim da Rosa Gonçalves. Sem mais notícias.80
21 – Victoriana Silva. Era moradora em Além Paraíba, Minas Gerais. Filha de dona [42] Paulina Silva.80
24 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca do ano de 1816—31-01-1893). Era natural do norte de Portugal e estudou em colégio para ordenação de sacerdotes. Deixou o curso e veio para o Brasil onde se tornou o patriarca deste ramo da família Teixeira de Castro, que da Zona da Mata mineira se ramificou pelo Brasil. Era agricultor e faleceu viúvo no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba. Ao ficar viúvo de Constança Maria da Conceição, casou com dona [25] Carolina Augusta de Siqueira Castro.1, 9,10
25 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. O seu nome quando solteira era: Carolina Augusta de Siqueira. Ela nasceu em Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [50] Francisco Antunes de Sequeira e de [51] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [24] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, este, viúvo que ficara de dona Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba.1,9,15
26 – José Bento Vasques de Miranda (01-11-183321-12-1915). Espanhol, natural da Galiza, onde foi casado pela primeira vez e pai de duas filhas. Ao ficar viúvo deixou as filhas ainda novas sendo criadas por parentes; e antes de vir para o Brasil deixou lá uma propriedade reservada para as filhas. Casado em segundas núpcias no Brasil, com [27] Rosa Luiza de Menezes Vasques. Tornou-se fazendeiro produtor de café em Minas Gerais, em áreas pertencentes aos futuros distritos de Água Viva, no Município de Estrela Dalva (fazenda do Rochedo, já demolida) e Trimonte, no Município de Volta Grande (fazenda Santo Antônio e mais alguns sítios).50,64,65,66,68
27 – Rosa Luiza de Menezes Vasques (1845—18-08-1927), dona Rosinha” para os parentes e conhecidos. Nascida em terras do atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, onde também foi batizada no dia 10-04-1847, sábado, pelo Padre Vicente Ferreira Monteiro de Castro, no então curato de Madre de Deus, de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, sendo seus padrinhos de batismo: o avô paterno, José Cardoso de Menezes e Nossa Senhora Madre de Deus, por invocação. Era filha legítima de [54] Agostinho Luiz de Menezes e de dona [55] Ana Rosa de Moraes.50,64,65,66,68,69
28 – Issa Khalil Assaf. Ele nasceu e foi batizado pela igreja cristã maronita, por volta de 1865 ou pouco mais ou menos, na localidade de Kfar Aamay, Chouf, mas que pelas mudanças ocorridas, hoje é pertencente à cidade serrana e balneária de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Ele também se casou na referida localidade em cerca do ano de 1886, com a sua conterrânea, dona [29] Najma Mansur. Ele era filho legítimo de [56] Assaf Issa e de [57] Saadi Assaf, a primeira esposa de seus três casamentos.
Eles eram agricultores e possuíam uma pequena propriedade produtora de frutas, verduras e legumes não só para consumo próprio, como para negociar no mercado de Beirute, distante cerca de 17 quilômetros da propriedade.75,92,164,172
29 – Najma Mansur. Nascida e batizada em 1869, ou pouco antes, na localidade de Kfar Aamay, hoje pertencente a Aley, Província do Monte Líbano, República do Líbano, filha legítima de [58] Mansur Abichebeb, falecido no ano de 1900 e de dona [59] Mariam Mansur, falecida no ano de 1919. Casada com o seu conterrâneo, [28] Issa Khalil Assaf. Sobreviveu ao marido por muitos anos, vindo a falecer depois da década de 1950, lá mesmo, viúva e cega.50,75,92,164,172
30 – Habib Lattuf Ilya. Natural de Kfar Aamay, então pertencente a Chouf, e hoje à Aley, Província do Monte Líbano, República do Líbano. Marido de dona [31] Janna Amin. Ele faleceu por volta de 1900 no Líbano.50,75,92,164,172
31 – Janna Amin. Era natural de Kfar Aamay, então pertencente a Chouf, e hoje à Aley, Província do Monte Líbano, República do Líbano. Esposa de [30] Habib Lattuf Ilya. Ela faleceu viúva, no ano de 1903 no Líbano.50,75,92,164,172
Filhos.
VI-1 João Pedro Castro Santos. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
VI-2 José Antônio Castro Santos. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
IV-3 José Mauro Hisse de Castro. Nascido no Domingo de Páscoa, dia 05-04-1942, às 6 horas e 50 minutos, na sede da fazenda da Pedra, Distrito de Água Viva, hoje pertencente ao Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Ele foi batizado em 28-06-1942, domingo, na igreja de Santo Antônio, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais; tendo como padrinhos: o tio materno Antônio Hissi e sua avó materna Rosa Lattuf Hissi. Já o seu padrinho de crisma foi o comerciante libanês Wady José Waked.50,75,105
Casou-se no dia 12-10-1968, sábado, em Além Paraíba, Minas Gerais, com a normalista Suely Teixeira da Silva, natural desta mesma Cidade, que adotou o nome de Suely Teixeira da Silva Castro. Ela é irmã da Kátia da Silva Castro (vide posição abaixo IV-6), viúva de Sebastião Nelson Hisse de Castro (05-04-194224-07-1991).80
Ele foi comerciário, funcionário público do Estado de Minas Gerais, Encarregado de empresas no setor de construção e pavimentação de estradas nos estados de Minas Gerais, Bahia, São Paulo e Rondônia. Em 1985, dedicou-se à indústria e mais tarde, por volta de 1989, fundou uma firma em Belo Horizonte, no ramo de antenas parabólicas e artigos eletrônicos.50
José Mauro Hisse de Castro faleceu à tarde do dia 24-07-1991, quarta-feira, aos 49 anos, 3 meses e 19 dias de idade, depois de 22 anos, 9 meses e 12 dias de casado; teve como causa mortis, enfarte do miocárdio; seu corpo foi sepultado no dia seguinte à tarde, no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais.50
Ascendentes da esposa:
1 – Suely Teixeira da Silva Castro. Nome de solteira: Suely Teixeira da Silva. Natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Viúva.50,80
Pais:
2 – Osmar Pinto da Silva – "Bolacha". Nascido em Além Paraíba, Minas Gerais, no dia 01-06-1915, terça-feira e aí casado com [3] Guiomar Teixeira da Silva. Mecânico aposentado, faleceu nesta mesma Cidade, no dia 22-10-2010, sexta-feira, aos 95 anos, 4 meses e 21 dias de idade, depois de 69 anos, 11 meses e 16 dias de casado. Era filho legítimo de [4] Oscar Pinto da Silva e de dona [5] Isabel Ferreira da Rocha.50,80
3 – Guiomar Teixeira Silva. Nascida no dia 20-10-1924, segunda-feira, em Além Paraíba, Minas Gerais, onde se casou no dia 06-11-1940, quarta-feira, com o mecânico [2] Osmar Pinto da Silva. Residente em Além Paraíba, onde faleceu viúva, no dia 05-07-2011, terça-feira, aos 86 anos, 8 meses e 15 dias de idade. Era filha legítima de [6] Antônio Teixeira Dias e de dona [7] Cecília Rosária Dias.50,80
Avós paternos:
4 – Oscar Pinto da Silva. Nascido em 03-09-1888, segunda-feira. Filho de [8] José Pinto da Silva e de sua mulher, [9] Justiniana Pinto da Silva.50,80
5 – Isabel Ferreira da Rocha. Nascida em 26-06-1893, segunda-feira. Filha de [10] Francisco Ferreira da Rocha e de sua mulher, dona [11] Ana Olímpia da Rocha.50,80
Avós maternos:
6 – Antônio Teixeira Dias. Sem mais notícias.50
7 – Cecília Rosária Dias. Sem mais notícias.50
Bisavós:
8 – José Pinto da Silva. Casado com [9] Justiniana Pinto da Silva.50,80
9 – Justiniana Pinto da Silva. Casada com [8] José Pinto da Silva.50,80
10 – Francisco Ferreira da Rocha. Ele era casado com [11] Ana Olímpia da Rocha.50,80
11 – Ana Olímpia da Rocha. Ela era casada com [10] Francisco Ferreira da Rocha.50,80
Eles tiveram um casal filhos.
V-1 Carla da Silva Castro. Ela é psicóloga e arquiteta, natural da cidade de Cataguases, Estado de Minas Gerais. Reside na Capital Mineira. Tem um filho de seu ex-namorado .......... Roveri.50
VI-1 Caio Vinícius de Castro Roveri. Ele nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais.50,261
V-2 Henrique da Silva Castro. Natural de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais. Tem curso de especialização em Comércio Exterior, realizado no Estado do Texas – EUA. Solteiro (2017).50
IV-4 Anna Maria Hisse de Castro. Nascida na antiga sede do sítio da Baixada em área pertencente ao Distrito de Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Ela foi batizada na igreja de Santo Antônio no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais; e teve como padrinhos: Orcy Theodoro Cerqueira e a esposa, Lea Vasques de Castro Cerqueira, sendo esta, sua tia paterna.50,71,105
Normalista formada pelo Colégio Imaculada Conceição, em Leopoldina e também pedagoga, diplomada pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Professora Nair Fortes Abu Merhy, de Além Paraíba, Minas Gerais. Foi professora em Jamapará, Município de Sapucaia, Estado do Rio de Janeiro e diretora escolar na cidade de Além Paraíba.50,71,105
Casou-se na casa dos pais em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, com o agricultor e caminhoneiro Antônio Carlos de Siqueira Castro; este nascido em domicílio na fazenda Santa Teresa, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina. Ela manteve após o matrimônio, o seu nome de solteira. O casamento religioso foi celebrado na igreja de São José Operário, em Leopoldina.50
Ascendentes do marido:
1 – Antônio Carlos de Siqueira Castro.50
Pais:
2 – Lorival Pacheco de Castro. Agropecuarista, filho legítimo de [4] Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua primeira mulher, [5] Maria Teresa Pacheco de Castro. Nascido no dia 26-01-1895, sábado, na casa do chalé, situada na fazenda São Manuel, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Desde cedo mudou o seu nome de Lorival, como consta do seu registro de nascimento, para Lourival, como consta de seu primeiro título de eleitor, de número 72.995, datado de 12-03-1918; passando a assinar-se Lourival Pacheco de Castro. Casou-se no ano de 1925 com [3] Maria Júlia de Siqueira Castro. Ele faleceu no dia 10-06-1963, segunda-feira, aos 68 anos, 4 meses e 15 dias de idade, após 37 anos de casado. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Público de Trimonte.14,50,71,81,159
3 – Maria Júlia de Siqueira Castro. Seu nome de solteira era: Maria Júlia Monteiro de Siqueira. Esta nascida no dia 05-03-1907, terça-feira, em São Domingos, Município de Santo Antônio do Aventureiro, Estado de Minas Gerais. Casada com o agropecuarista [2] Lourival Pacheco de Castro. Maria Júlia de Siqueira Castro faleceu 25 anos e 24 dias depois do marido, na cidade de Leopoldina, no dia 04-07-1988, segunda-feira; contava 81 anos, 3 meses e 29 dias de idade; tendo o seu corpo sido sepultado também no cemitério público de Trimonte. Era filha legítima de [6] Francisco Barbosa de Siqueira e de [7] Clara Godoy Monteiro de Siqueira.14,50,71,81,159
Avós paternos:
4 – Luiz Augusto Teixeira de Castro (01-06-1867—03-12-1935). Filho caçula de [8] Joaquim Antônio Teixeira de Castro e de dona [9] Carolina Augusta de Siqueira Castro, nascido na sede do sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Foi comerciante e depois fazendeiro. A ficar viúvo depois de 7 anos, 2 meses e 10 dias de seu primeiro matrimônio com dona [5] Maria Teresa Pacheco de Castro, ele contraiu segundas núpcias com dona Julieta Vasques de Castro, no dia 08-07-1899, sábado, na sede da fazenda do Rochedo, no Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais. Ele faleceu na sede da sua fazenda da Pedra, neste citado Distrito, aos 68 anos, 6 meses e 2 dias de idade e depois de 36 anos, 4 meses e 25 dias de seu segundo casamento. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Público de Trimonte, no Município de Volta Grande, Minas Gerais.50,62,63,65,67,69
5 – Maria Teresa Pacheco de Castro — "Mariquinha". Nascida no dia 22-01-1873, quarta-feira, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, atual Sumidouro, Rio de Janeiro. Filha legítima de [10] Manuel Pacheco Vieira e de [11] Victoria Amarante Pacheco. Casou-se com [4] Luiz Augusto Teixeira de Castro, em 19-12-1891, sábado, no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Ela faleceu na sede da fazenda São Manuel, neste mesmo Distrito, no dia 01-03-1899, quarta-feira, em decorrência de câncer de mama; ela contava apenas 26 anos, 1 mês e 7 dias de idade e 7 anos, 2 meses e 10 dias de casada. Deixou três filhos do seu casamento: Abigail, Lourival e Sebastião.14,61,62,63
Avós maternos:
6 – Francisco Barbosa de Siqueira — “Nhonhô Siqueira” (16-12-1882—28-01-1964). Agropecuarista e negociante, natural de São Domingos, hoje Distrito pertencente ao Município de Santo Antônio do Aventureiro, Estado de Minas Gerais. Casou-se no dia 03-02-1906, sábado, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, com dona [7] Clara Godoy Monteiro de Siqueira. Filho legítimo de [12] João Alexandre de Siqueira e de dona [13] Flausina Barbosa de Siqueira.14,50,160
7 – Clara Godoy Monteiro de Siqueira — “Titina” (05-06-1889—09-11-1949), casada em 03-02-1906, sábado, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, com [6] Francisco Barbosa de Siqueira. O seu nome de solteira era: Clara Godoy Monteiro de Castro. Filha legítima do fazendeiro [14] José Augusto Monteiro de Castro e de dona [15] Maria Augusta de Godoy Monteiro de Castro.14,50,160
Bisavós:
8 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca de 1816—31-01-1893). Foi o patriarca no Brasil deste ramo da família Castro. Era natural do norte de Portugal e que faleceu no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Ele estudara em colégio para ordenação de sacerdotes em Portugal. No Brasil ele inicialmente conviveu unido à sua conterrânea e contemporânea, Constança Maria da Conceição (família Azevedo) que faleceu por volta de 1855. Viúvo casou-se com [9] Carolina Augusta de Siqueira Castro, viúva, sem filhos, que ficara do capitão Lucas, que fora proprietário da antiga fazenda do Sossego, da região de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais.1, 9,10,14
9 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. O seu nome de nascimento era: Carolina Augusta de Siqueira. Ela nasceu em Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [18] Francisco Antunes de Sequeira e de [19] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [8] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, este, viúvo que ficara de dona Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.1,9,14,15
10 – Manuel Pacheco Vieira (30-05-1844—09-08-1914). Filho legítimo de [20] José Gomes Vieira de Souza e de [21] Carolina Leopoldina Cândida Vieira. Natural de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Casado aí em 13-04-1869, terça-feira, com sua conterrânea, [11] Victoria Amarante Pacheco. Após cerca de seis anos de casado transferiu-se com a família para Minas Gerais, onde foi próspero fazendeiro, proprietário da fazenda São Manuel, em São Luiz, atual Distrito de Trimonte, no Município de Volta Grande. Ele faleceu na sede de sua fazenda e seu corpo sepultado no túmulo da família no cemitério público de Trimonte. Contava 70 anos, 2 meses e 10 dias de idade e 45 anos, 3 meses e 27 dias de casado.61,62,69,96
11 – Victoria Amarante Pacheco (16-04-1848—16-07-1924). Seu nome de solteira era: Victoria Maria do Amarantes. Filha legítima de [22] José Luciano do Amarantes e de [23] Rosa Pereira de Jesus. Natural de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, hoje Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro, onde se casou no dia 13-04-1869, terça-feira, com [10] Manuel Pacheco Vieira. Após o nascimento de suas filhas Leopoldina e Maria, mudou-se para Minas Gerais onde nasceram os outros três filhos seus: a Antonieta, o João e o Francisco. Dona Victoria faleceu de morte natural, conforme atestado de óbito firmado pelo Doutor Arthur Teixeira Côrtes, no dia 16-07-1924, quarta-feira, às 9 horas e 30 minutos, na sede de sua fazenda São Manuel, no então Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Contava exatos: 76 anos e 3 meses de idade, e 9 anos, 11 meses e 7 dias como viúva. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Público de Trimonte.61,62,69,96
12 – João Alexandre de Siqueira (24-08-1857—19-06-1944), natural da freguesia de Calheiros, Ponte de Lima, Portugal. Agropecuarista proprietário da fazenda Cachoeira do Córrego Vermelho, em São Domingos, no atual Município de Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais. Casado com [13] Flausina Barbosa de Miranda, no dia 11-02-1882, sábado, na igreja de Santo Antônio, em Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Ele faleceu viúvo aos 86 anos, 9 meses e 26 dias de idade, em Bicas, Estado de Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de São Domingos, Município de Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais. Era filho legítimo dos portugueses, [24] Alexandre Joaquim Antônio e [25] Maria Rosa Cerqueira.14,161
13 – Flausina Barbosa de Siqueira (31-12-186101-03-1939). Já o seu nome de solteira era: Flausina Barbosa de Miranda. Natural de Piacatuba, Município de Leopoldina, Minas Gerais, casada com [12] João Alexandre de Siqueira e falecida em acidente ocorrido à altura do sítio das Palmeiras na estrada de São Domingos, Município de Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais, quando o carro em que viajava ao se desgovernar precipitou-se num açude causando-lhe a morte por submersão, conforme atestado fornecido pelo Doutor Paulo Japyassu Coelho. Ela estava retornando do casamento de uma neta da cidade do Rio de Janeiro. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte, 02-03-1939, quinta-feira, no Cemitério de São Domingos. Era filha legítima de [26] Francisco José Barbosa de Miranda e de [27] Maria Júlia de Oliveira.14,161
14 – José Augusto Monteiro de Castro (1862—22-04-1902). Agricultor nascido em Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Casou-se com [15] Maria Augusta de Godoy, no dia 26-08-1882, sábado, na igreja de Nossa Senhora da Conceição, em Conceição da Boa Vista, vila que hoje faz parte do Município de Recreio, Minas Gerais. Faleceu no Distrito de Providência, com idade entre 39 e 40 anos; e seu corpo foi aí sepultado no cemitério local. Ele era filho legítimo do comendador [28] Lucas Manuel Monteiro de Castro e de [29] Maria da Glória Monteiro de Rezende.14,78,100
15 – Maria Augusta de Godoy Monteiro de Castro. O seu nome de solteira era: Maria Augusta de Godoy. Nascida no dia 04-01-1867, sexta-feira, na sede da fazenda Volta Grande, na região denominada Bonsucesso, no atual Município de Volta Grande, Minas Gerais. Casada com o fazendeiro, [14] José Augusto Monteiro de Castro. No ano de 1919, viúva, encontrava-se residindo na cidade Ubá, Minas Gerais. Era filha legítima de [30] Olímpio Augusto de Godoy e de dona [31] Ana Fortunata de Bittencourt e Castro.14,69,100
Trisavós:
18 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido no ano de 1808 na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pela parte paterna), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [19] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Era filho de [36] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [37] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa, que mais tarde passou a se chamar: Ana Maria de Jesus.1,15,16,17,19
19 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida no ano de 1810 e foi batizada pelo padre Antônio Rodrigues Lobato na ermida do Bandeira, situada em área formadora do Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 15-06-1810, sexta-feira, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [77] Mariana Angélica Gonçalves. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba (MG). Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se verifica em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima de [38] Francisco Gonçalves Couto e de dona [39] Ana Zeferina Côrtes.1,15,18
20 – José Gomes Vieira de Souza. Natural de São José do Chopotó, atual Alto Rio Doce, Estado de Minas Gerais. Estabelecido em Itaocara, Rio de Janeiro. Casado com [21] Carolina Leopoldina Cândida Vieira. Era filho legítimo de [40] José Gomes Vieira e de dona [41] Teresa Moreira de Jesus.69,96,97
21 – Carolina Leopoldina Cândida Vieira. Já o seu nome de solteira era: Carolina Leopoldina Cândida. Nascida em Cantagalo e moradora em Itaocara, Rio de Janeiro. Casada com [20] José Gomes Vieira de Souza. Era filha de [42] ........... Pacheco e de dona [43] Ana Maria Vieira.69,96,97
22 – José Luciano do Amarantes. Natural de Portugal e casado com [23] Rosa Pereira de Jesus. Eles geraram quatro filhos que foram: 1) Manuel Pereira do Amarantes nascido no dia 30-05-1844, quinta-feira, e casado com Maria Soares do Amarantes; 2) Victoria Maria do Amarantes (16-04-1848—16-07-1924), casada em 13-04-1869, terça-feira, com Manuel Pacheco Vieira (30-05-1844—09–08-1914); 3) Ana nascida por volta de 1851 e falecida em tenra idade; e, 4) Joaquim Pereira do Amarantes nascido por volta de 1854 e falecido em 1900, que foi casado com Maria de Araújo Amarantes, cujo nome de solteira era Maria de Abreu Araújo, conterrânea do marido, nascida em 01-11-1855, quinta-feira, e falecida já quase nonagenária, no ano de 1945, na cidade do Rio de Janeiro; sendo esta filha de João de Souza Araújo, nascido cerca de 1834 e de sua mulher Ana de Abreu Araújo, nascida por volta de 1836.69,96
23 – Rosa Pereira de Jesus. Batizada no dia 30-09-1815, sábado, na igreja matriz de São Pedro em Cantagalo, na então Capitania do Rio de Janeiro. Casada com [22] José Luciano do Amarantes. Era filha legítima de [46] Manuel José Pereira e de dona [47] Victoria Maria do Amor Divino.69,96,99
24 – Alexandre Joaquim Antônio. Filho legítimo de [48] Antônio José Alves e de [49] Ana Joaquina Correia. Casado com [25] Maria Rosa Cerqueira. Todos naturais de Portugal.161
25 – Maria Rosa Cerqueira. Filha legítima de [50] João Antônio Cerqueira e de [51] Francisca Rosa. Casado com [24] Alexandre Joaquim Antônio. Todos naturais de Portugal.161
26 – Francisco José Barbosa de Miranda. Era filho legítimo de [52] Francisco José de Miranda e de [53] Maria Luiza de Oliveira. Casado com [27] Maria Júlia de Oliveira.161
27 – Maria Júlia de Oliveira. Ela era casada com o [26] Francisco José Barbosa de Miranda. Sem mais notícias.161
28 – Lucas Manuel Monteiro de Castro. Comendador, nascido na sede da fazenda União, nas cercanias do atual povoado de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casado no dia 15-06-1861, sábado, com sua prima, [29] Maria da Glória Monteiro de Rezende, em cerimônia celebrada pelo Reverendo Vicente Ferreira Monteiro de Castro (tio-avô do noivo), em altar ad hoc na sede da fazenda Soledade (sede antiga já demolida), situada também nas proximidades do atual povoado de São Martinho. Era filho legítimo do [56] primeiro barão de Leopoldina Manuel José Monteiro de Castro e da [57] primeira baronesa de Leopoldina – Clara Maria de Sá e Castro.100,112
29 – Maria da Glória Monteiro de Rezende. Nascida por volta de 1840, na sede da fazenda Soledade, situada no entorno do atual povoado de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casada com o fazendeiro e comendador, [28] Lucas Manuel Monteiro de Castro seu primo. Ela era filha legítima do fazendeiro e construtor de fazendas, [58] Quirino Ribeiro de Avelar Rezende e de dona [59] Maria da Purificação Monteiro de Barros Galvão de São Martinho.100,112
30 – Olímpio Augusto de Godoy. Filho legítimo de [60] José Venâncio de Godoy e de [61] Maria Benedita Augusta de Godoy. Foi casado duas vezes. Sua primeira mulher foi a dona [31] Ana Fortunata Bittencourt Godoy, que faz parte deste costado. Mas, ao ficar viúvo, casou-se pela segunda vez com a dona Georgina da Cruz Paixão – “Tita Paixão”, que fez parte da primeira Câmara de Vereadores da cidade de Volta Grande, Minas Gerais, esta filha de Lupércio Mascarenhas da Paixão e de sua mulher, dona Carolina da Cruz Paixão.14,50,69,92,162
31 – Ana Fortunata de Bittencourt e Castro. Nome de solteira: Ana Fortunata de Bittencourt e Castro. Foi batizada em 24-10-1839, quinta-feira, no oratório da fazenda Bom Sucesso, situada em área do atual Município de Volta Grande, Estado de Minas Gerais, onde também se casou em primeiras núpcias, no dia 04-02-1858, quinta-feira, com o fazendeiro [30] Olímpio Augusto de Godoy. Era filha legítima de [62] Francisco de Paula Bittencourt e de dona [63] Francisca Benedita Duarte e Castro.69
Antônio Carlos de Siqueira Castro e Anna Maria Hisse de Castro têm o mesmo avô paterno e as avós paternas diferentes. Para evitar repetição, vide acima a geração do casal, na posição: IV-10 (Antônio Carlos de Siqueira Castro), de III-2, de II-9 Vide em Família Teixeira de Castro - Parte 8.
IV-5 Paulo Roberto Hisse de Castro. Ele é natural de São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Engenheiro metalúrgico formado pela Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda, Estado do Rio de Janeiro, pertencente à Universidade Federal Fluminense, e diplomado no dia 15-07-1972. Casou-se no ano de 1976, na cidade de Santos, São Paulo, com a normalista, Ivani Rocha Galvão natural da cidade de São Paulo; e que adotou o nome de Ivani Galvão de Castro. O casal residiu em Santos, Brasília, Nova Iorque, São Paulo e São José dos Campos. Ele é diretor de firma industrial.50,78,105
Ascendência da esposa:
1 – Ivani Galvão de Castro. Nascida na cidade de São Paulo.50
Pais:
2 – Norberto de Oliveira Galvão (19-04-1921—16-07-1998). Era filho legítimo de [4] Octaviano Galvão de França e de [5] Maria Cândida de Oliveira. Casado no dia 27-07-1946, sábado, na cidade de São Paulo, com [3] Roldith Cavalcante Rocha Galvão. Ele faleceu na cidade de Santos, aos 77 anos, 2 meses e 27 dias de idade, depois de 51 anos, 11 meses e 19 dias de casado. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal da Filosofia, no Bairro Saboó, em Santos, São Paulo.50
3 – Roldith Cavalcante Rocha Galvão (13-10-1923—15-05-2001). Filha legítima de [6] Raimundo de Souza Rocha e de [7] Maria Cavalcante Rocha. Casada com [2] Norberto de Oliveira Galvão. O casal residiu em São Paulo e depois em Santos. Ela faleceu aos 77 anos, 7 meses e 2 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado em Santos, junto ao do marido.50
Avós paternos:
4 – Octaviano Galvão de França. Nascido em 06-12-1886, segunda-feira, em São Pedro de Piracicaba, atual São Pedro, Estado de São Paulo. Casou-se no dia 16-10-1917, terça-feira, com [5] Maria Cândida de Oliveira. Ele era filho de [8] Norberto Galvão de França e de sua mulher, [9] Maria Dias de França.50,216
5 – Maria Cândida de Oliveira. Nascida no dia 22-09-1894, sábado, em Santana de Parnaíba, Estado de São Paulo.216
Avós maternos:
6 – Raimundo de Souza Rocha. Casado com [7] Maria Cavalcante da Rocha e moradores na cidade de Juazeiro, Estado da Bahia.50
7 – Maria Cavalcante Rocha. Natural de Juazeiro, Bahia e casada com [6] Raimundo de Souza Rocha.50
Bisavós:
8 – Norberto Galvão de França. Casado por volta de 1832, em Itu, São Paulo, com sua sobrinha [9] Maria Dias de França. Era irmão de [18] José Galvão de França e ambos filhos de [16 e 36] Elias Galvão de França e de sua mulher, [17 e 37] Maria Leme de Sampaio.216,217
9 – Maria Dias de França. Era filha de [18] José Galvão de França. Casada com o seu tio paterno [8] Norberto Galvão de França.216,217
Trisavós:
16 – Elias Galvão de França. Filho do capitão [32] José Galvão de França e de sua mulher, [33] Maria Josefa de Cerqueira. Casado por volta do ano de 1832, em Itu, São Paulo, com [17 e 37] Francisca Soares de Araújo.216,217
17 – Maria Leme de Sampaio. Filha do capitão [34 e 74] Vicente de Sampaio Góes e de sua mulher, [35 e 75] Francisca Soares de Araújo. Casada com [16 e 36] Elias Galvão de França.216,217
18 – José Galvão de França. Ele era irmão de [8] Norberto Galvão de França. Filho do capitão [16 e 36] Elias Galvão de França e de sua mulher, [17 e 37] Maria Leme de Sampaio.216,217
Tetravós:
32 – José Galvão de França. Era filho do capitão [64 e 144] José Galvão de França e de sua mulher, [65 e 145] Maria Xavier de Barros. Casado com [33 e 73] Maria Josefa de Cerqueira.216,217
33 – Maria Josefa de Cerqueira. Era filha de [66 e 146] José Manuel da Fonseca e de sua mulher, [67 e 147] Josefa Maria de Góes. Casada com [32 e 72] José Galvão de França.216,217
34 – Vicente de Sampaio Góes. Foi capitão. Filho de [68 e 148] José de Sampaio Góes e de sua mulher, [69 e 149] Ana Ferraz de Campos. Casado com [35 e 75] Francisca Soares de Araújo.216,217
35 – Francisca Soares de Araújo. Era filha do sargento-mor [70 e 150] Domingos Dias Leme e de sua mulher, [71 e 151] Isabel de Lara e Moraes. Casada com [34 e 74] Vicente de Sampaio Góes.216,217
36 – Elias Galvão de França. Mesma pessoa de número 16.216,217
37 – Maria Leme de Sampaio. Mesma pessoa de número 17.216,217
Pentavós:
64 – José Galvão de França. Ele era natural de Pindamonhangaba, São Paulo, filho legítimo do capitão-mor [128] Antônio Galvão de França e de dona [129] Isabel Leite de Barros. Casado no ano de 1758, em Santana de Parnaíba, São Paulo, com dona [65] Maria Xavier de Barros.216,217
Ele era irmão de Antônio de Santana Galvão de França (1739—1822), que foi canonizado pelo Papa Bento XVI, durante Missa Campal celebrada no Campo de Marte, na cidade de São Paulo, no dia 11 de maio de 2007, sexta-feira; passando a ser venerado pelo nome de Santo Antônio de Santana Galvão, e comemorado todo dia 11 de maio.216,218
65 – Maria Xavier de Barros. Filha de [130] Antônio Correia de Lemos e de sua mulher, [131] Clara de Miranda. Casada com [64] Antônio Correia de Lemos.216,217
66 – José Manuel da Fonseca. Capitão, filho legítimo de [132] Francisco Leite Ribeiro e de [133] Francisca Xavier da Fonseca. Casado com [67] Josefa Maria de Góes.216,217
67 – Josefa Maria de Góes. Filha legítima do sargento-mor [134] Antônio Pacheco da Silva e de [135] Inácia de Góes e Araújo. Casada com o capitão [66] José Manuel da Fonseca.216,217
68 – José de Sampaio Góes. Filho de [136] André de Sampaio Góes e de sua mulher, [137] Inácia de Góes. Casado em Itu, São Paulo, no ano de 1756, com [69] Ana Ferraz de Campos.217
69 – Ana Ferraz de Campos. Era filha de [138] Pedro Dias Ferraz e de sua mulher, [139] Maria Paes de Campos. Casada com [68] José de Sampaio Góes.217
70 – Domingos Dias Leme. Sargento-mor, filho do capitão-mor [140] José Dias Ferreira e de sua mulher, [141] Maria Leme do Prado. Casado em Sorocaba, São Paulo, no ano de 1767, com [71] Isabel de Lara Moraes, falecida em 1792.217
71 – Isabel de Lara e Moraes. Filha de [142] Luiz Castanho de Almeida e de sua mulher, [143] Francisca Soares de Araújo. Casada com o sargento-mor [70] Domingos Dias Leme.217
72 – José Galvão de França. Mesma pessoa de número 32.216,217
73 – Maria Josefa de Cerqueira. Mesma pessoa de número 33.216,217
74 – Vicente de Sampaio Góes. Mesma pessoa de número 34.216,217
75 – Francisca Soares de Araújo. Mesma pessoa de número 35.216,217
Hexavós:
128 – Antônio Galvão de França. Nascido numa terça-feira, 29-06-1706, em Vila Nova de Portimão, Faro, Portugal. Veio para o Brasil, onde foi capitão-mor de Pindamonhangaba e de Guaratinguetá, São Paulo. Era filho de [256] Manuel de França e de sua mulher, [257] Águeda Maria Galvão. Contava 26 anos, 7 meses e 10 dias de idade, ao se casar no dia 08-02-1733, domingo, em Pindamonhangaba, com [129 e 289] Isabel Leite de Barros. Ele faleceu no ano de 1770.216,217,218
129 – Isabel Leite de Barros. Nascida em 1717, em Pindamonhangaba, São Paulo, filha legítima de [258] Gaspar Correia Leite e de [259] Maria Leite Pedroso. Casada em 08-02-1733, domingo, na capela de Nossa Senhora do Rosario, da fazenda do capitão José Correia Leite, em Pindamonhangaba, com [128 e 288] Antônio Galvão de França. Ela morreu no ano de 1755.216,217,218
130 – Antônio Correia de Lemos. Era filho do capitão-mor [260] Antônio Correia de Lemos e de sua mulher, [261] Mariana da Luz do Prado. Casado com [131] Clara de Miranda.216,217
131 – Clara de Miranda. Era filha de [262] Pascoal Leite Penteado e de sua mulher, [263] Luzia Leme de Barros. Casada com [130] Antônio Correia de Lemos.216,217
132 – Francisco Leite Ribeiro. Filho legítimo de outro [264] Francisco Leite Ribeiro e de [265] Maria de Cerqueira Paes. Casado com [133] Francisca Xavier da Fonseca.217
133 – Francisca Xavier da Fonseca. Era filha legítima de [266] Manuel da Fonseca e de [267] Helena Dias de Siqueira. Casada com [132] Francisco Leite Ribeiro.217
134 – Antônio Pacheco da Silva. Sargento-mor de Itu, natural de Cotia, São Paulo. Filho de [268] Manuel Pacheco Gato e de sua mulher, [269] Isabel Gonçalves da Silva. Casado em 1748 em Itu, São Paulo, com [135] Inácia de Góes e Araújo.216,217
135 – Inácia de Góes e Araújo. Filha de [270] Antônio Bicudo de Barros e de sua mulher, [271] Josefa de Arruda. Casada com o sargento-mor [134] Antônio Pacheco da Silva.216,217
136 – André de Sampaio Botelho. Filho de [272] André de Sampaio e Arruda e de sua mulher, [273] Ana de Quadros. Casado com [137] Inácia de Góes.217
137 – Inácia de Góes. Irmã de [270] Antônio Bicudo de Barros. Filha de [274 e 540] José de Barros Bicudo Leme e de sua mulher, [275 e 541] Inácia de Góes Castanho Taques. Casada com [136] André de Sampaio Botelho.217
138 – Pedro Dias Ferraz. Irmão de [271] Josefa de Arruda e filho de [276] Pedro Dias Leite e de sua mulher, [277] Antônia de Arruda e Sá. Casado por volta do ano de 1725, com [139] Maria Paes de Campos.217
139 – Maria Paes de Campos. Filha de [278] João Paes Rodrigues e de sua mulher, [279] Margarida Antunes Bicudo. Casada com [138] Pedro Dias Ferraz.217
140 – José Dias Ferreira. Natural de Portugal, foi capitão-mor de Jundiaí, São Paulo. Casado com [141] Maria Leme do Prado.217
141 – Maria Leme do Prado. Nascida em Jundiaí, São Paulo. Filha de [282] Antônio da Costa Reis, português, capitão-mor de Jundiaí, e de sua mulher, [283] Páscoa Leme do Prado.217
142 – Luiz Castanho de Almeida. Era filho legítimo de [284] José de Almeida Lara e de [285] Mariana de Siqueira Moraes. Casado no ano de 1730 em Sorocaba, São Paulo, com [143] Francisca Soares de Araújo. Ele faleceu em Sorocaba.217
143 – Francisca Soares de Araújo. Filha de [286] Domingos Soares Paes e sua mulher, [287] Maria Leite da Silva. Casada em Sorocaba, São Paulo, com [142] Luiz Castanho de Almeida.217
144 – José Galvão de França. Mesma pessoa de número 64.216,217
145 – Maria Xavier de Barros. Mesma pessoa de número 65.216,217
146 – José Manuel da Fonseca. Mesma pessoa de número 66.216,217
147 – Josefa Maria de Góes. Mesma pessoa de número 67.216,217
148 – José de Sampaio Góes. Mesma pessoa de número 68.217
149 – Ana Ferraz de Campos. Mesma pessoa de número 69.217
150 – Domingos Dias Leme. Mesma pessoa de número 70.217
151 – Isabel de Lara e Moraes. Mesma pessoa de número 71.217
Heptavós:
256 – Manuel de França. Ele é natural de Faro, Portugal, onde se casou com [257] Águeda Maria Galvão.216,217,218
257 – Águeda Maria Galvão. Ela é natural de Faro, Portugal, onde se casou com [256] Manuel de França.216,217,218
258 – Gaspar Correia Leite. Filho do capitão [516] Pedro Leite de Miranda e de sua mulher, [517] Ana Ribeiro. Casado com [259] Maria Leite Pedroso.216,217,218
259 – Maria Leite Pedroso. Ela era irmã de [263] Luzia Leme de Barros. Filha do sertanista [518 e 526] Pedro Vaz de Barros (1643—22-03-1695) nascido, morador e falecido em São Paulo, e de sua mulher, [519 e 527] Maria Leite de Mesquita. Casada com [258] Gaspar Correia Leite.216,217,218
260 – Antônio Correia de Lemos. Filho do capitão-mor [520] Antônio Correia de Lemos e de sua mulher, [521] Maria de Quadros. Casado com [261] Mariana da Luz do Prado.216,217
261 – Mariana da Luz do Prado. Era filha do capitão [522] João Lopes de Medeiros e de sua mulher, [523] Mariana da Luz. Casada com o capitão-mor [260] Antônio Correia de Lemos.216,217
262 – Pascoal Leite Penteado. Era casado com dona [263] Luzia Leme de Barros.216,217
263 – Luzia Leme de Barros. Ela era irmã de [259] Maria Leite Pedroso. Filha do sertanista [518 e 526] Pedro Vaz de Barros (1643—22-03-1695) nascido, morador e falecido em São Paulo, e de sua mulher, [519 e 527] Maria Leite de Mesquita. Casada com [262] Pascoal Leite Penteado.216,217,218
264 – Francisco Leite Ribeiro. Filho de [528] Pascoal Leite de Miranda e de sua mulher, [529] Ana Ribeiro. Casado com [265] Maria de Cerqueira Paes. Ele faleceu em 1726.217
265 – Maria de Cerqueira Paes. Filha de [530] Diogo Gonçalves Moreira e de sua mulher, [531] Catarina de Miranda. Casada com [264] Francisco Leite Ribeiro.217
266 – Manuel da Fonseca. Nascido em São Vicente, São Paulo. Foi casado com [267] Helena Dias de Siqueira.217
267 – Helena Dias de Siqueira. Filha legítima de [534] Garcia Rodrigues Paes Betimk e de [535] Joana Correia de Siqueira. Casada com [266] Manuel da Fonseca.217
268 – Manuel Pacheco Gato. Filho de [536] Manuel Pacheco Gato e de sua mulher, [537] Francisca da Costa. Casado com [269] Isabel Gonçalves da Silva.217
269 – Isabel Gonçalves da Silva. Filha de [538] Tomé Gonçalves Malio e de sua mulher, [539] Francisca da Silva. Casada com [268] Manuel Pacheco Gato.217
270 – Antônio Bicudo de Barros. Irmão de [137] Inácia de Góes, e filho de [274 e 540] José de Barros Bicudo Leme e de sua mulher, [275 e 541] Inácia de Góes Castanho Taques. Casado no ano de 1726 em Itu, São Paulo, com [271] Josefa de Arruda. Ele morreu em 1769.217
271 – Josefa de Arruda. Filha de [276 e 542] Pedro Dias Leite e de sua mulher, [277 e 543] Antônia de Arruda e Sá. Casada no ano de 1726, em Itu, São Paulo, com [270] Antônio Bicudo de Barros.217
272 – André de Sampaio e Arruda. Nascido por volta de 1640, na vila da Ribeira Grande, ilha de São Miguel, Açores, Portugal. Filho legítimo de [544] Gonçalo Vaz Botelho e de [545] Ana de Arruda. Chegou ao Brasil em 1654. Casado em 1665 em Santana de Parnaíba, São Paulo, com [273] Ana de Quadros. Ele morreu em 1719, em Itu, São Paulo.217
273 – Ana de Quadros. Nascida por volta de 1644 em São Paulo. Filha do espanhol, natural de Sevilha, [546] Bartolomeu de Quadros e de sua mulher, [547] Isabel Bicudo. Casada com [272] André de Sampaio e Arruda.217
274 – José de Barros Bicudo Leme. Filho do capitão [548] Antônio Bicudo Leme e de sua mulher, [549] Luzia Machado. Casado no ano de 1695, em São Paulo, com [275] Inácia de Góes Castanho Taques. Ele morreu em 1714, em Santana de Parnaíba, São Paulo.217
275 – Inácia de Góes Castanho Taques. Era filha legítima de [550] Lourenço Castanho Taques o Moço, e de [551] Maria de Araújo, esta nascida em São Paulo, onde também faleceu no ano de 1683. Casada com [274] José de Barros Bicudo Leme.217
276 – Pedro Dias Leite. Filho de [552] Manuel Ferraz de Araújo e de sua mulher, [553] Verônica Dias Leite. Casado no ano de 1692, com [277] Antônia de Arruda e Sá.217
277 – Antônia de Arruda e Sá. Filha de [554] Francisco de Arruda e Sá e de sua mulher, [555] Maria de Quadros sendo esta, irmã de [273] Ana de Quadros. Antônia de Arruda e Sá era casada com [276] Pedro Dias Leite.217
278 – João Paes Rodrigues. Era casado com [279] Margarida Antunes Bicudo.217
279 – Margarida Antunes Bicudo. Ela era casada com [278] João Paes Rodrigues.217
282 – Antônio da Costa Reis. Ele era natural de Santa Justa, Lisboa, Portugal. Filho de [564] Francisco Lopes e de sua mulher, [565] Catarina da Costa. Casado com [283] Páscoa Leme do Prado.217
283 – Páscoa Leme do Prado. Era natural de Jundiaí, São Paulo. Filha do português de Viana do Minho, [566] Lucas Fernandes de Matos, que faleceu no ano de 1707, e de sua mulher, [567] Maria do Prado. Casada com o português, [282] Antônio da Costa Reis.217
284 – José de Almeida Lara (1667—1737). Filho de [568] Luiz Castanho de Almeida, natural de São Paulo e falecido no ano de 1671, em Santana de Parnaíba, e de sua mulher, [569] Isabel de Lara. José de Almeida Lara casou-se no ano de 1694, em Jundiaí, São Paulo, com [285] Mariana de Siqueira Moraes. Ele morreu em Santana de Parnaíba.217
285 – Mariana de Siqueira Moraes. Filha de [570] Manuel Rodrigues de Moraes e de sua mulher, [571] Francisca de Siqueira. Casada com [284] José de Almeida Lara.217
286 – Domingos Soares Paes. Casado com [287] Maria Leite da Silva.217
287 – Maria Leite da Silva. Casada com [286] Domingos Soares Paes.217
288 – Antônio Galvão de França. Mesma pessoa de número 128.216,217
289 – Isabel Leite de Barros. Mesma pessoa de número 129.216,217,218
290 – Antônio Correia de Lemos. Mesma pessoa de número 130.216,217
291 – Clara de Miranda. Mesma pessoa de número 131.216,217
292 – Francisco Leite Ribeiro. Mesma pessoa de número 132.216,217
293 – Francisca Xavier da Fonseca. Mesma pessoa de número 133.217
294 – Antônio Pacheco da Silva. Mesma pessoa de número 134.217
295 – Inácia de Góes e Araújo. Mesma pessoa de número 135.216,217
296 – André de Sampaio Botelho. Mesma pessoa de número 136.217
297 – Inácia de Góes. Mesma pessoa de número 137.217
298 – Pedro Dias Ferraz. Mesma pessoa de número 138.217
299 – Maria Paes de Campos. Mesma pessoa de número 139.217
300 – José Dias Ferreira. Mesma pessoa de número 140.217
301 – Maria Leme do Prado. Mesma pessoa de número 141.217
302 – Luiz Castanho de Almeida. Mesma pessoa de número 142.217
303 – Francisca Soares de Araújo. Mesma pessoa de número 143.217
Filhos:
V-1 Leonardo Galvão Hisse de Castro. Solteiro.50
V-2 Pedro Galvão Hisse de Castro. Solteiro.50
IV-6 Sebastião Nelson Hisse de Castro. Nascido no dia 06-04-1948, terça-feira, na vila de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais; onde foi batizado em 06-06-1948, domingo, na capela de Santa Úrsula. Foi motorista, caminhoneiro e industrial. Casou-se em 05-09-1981, sábado, na cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, com a normalista Kátia Teixeira da Silva, que adotou o nome de Kátia da Silva Castro. Sendo esta natural de Além Paraíba; e irmã da Suely Teixeira da Silva Castro (vide posição retro IV-3), viúva de José Mauro Hisse de Castro (05-04-194224-07-1991).50,78,105
O Sebastião Nelson Hisse de Castro era aposentado e faleceu de parada cardíaca, no dia 04-10-2010, segunda-feira, na Casa de Caridade Leopoldinense, em Leopoldina, Minas Gerais. Contava 62 anos, 5 meses e 28 dias de idade e 29 anos e 29 dias de casado. O seu corpo foi sepultado, no dia 05-10-2010, terça-feira, no Cemitério Público de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais.50
A viúva Kátia da Silva Castro reside com a família em São José dos Campos, Estado de São Paulo.
Ascendentes da esposa:
1 – Kátia da Silva Castro.50,80
Pais:
2 – Osmar Pinto da Silva – "Bolacha" (01-06-191522-10-2010). Era mecânico aposentado residente em Além Paraíba, Minas Gerais. Faleceu aos 95 anos, 4 meses e 21 dias de idade, depois de 69 anos, 11 meses e 16 dias de casado.50,80
3 – Guiomar Teixeira Silva (20-10-192405-07-2011). Natural de Além Paraíba, Minas Gerais, onde se casou no dia 06-11-1940, quarta-feira. com o mecânico [2] Osmar Pinto da Silva. Residente em Além Paraíba, onde faleceu viúva, aos 86 anos, 8 meses e 15 dias de idade.50,80
Avós paternos:
4 – Oscar Pinto da Silva. Nascido em 03-09-1888, segunda-feira. Filho legítimo de [8] José Pinto da Silva e de [9] Justiniana Pinto da Silva.50,80
5 – Isabel Ferreira da Rocha. Nascida em 26-06-1893, segunda-feira. Filha de legítima de [10] Francisco Ferreira da Rocha e de [11] Ana Olímpia da Rocha.50,80
Avós maternos:
6 – Antônio Teixeira Dias. Sem mais notícias.50
7 – Cecília Rosária Dias. Sem mais notícias.50
Bisavós:
8 – José Pinto da Silva. Casado com [9] Justiniana Pinto da Silva.50,80
9 – Justiniana Pinto da Silva. Casada com [8] José Pinto da Silva.50,80
10 – Francisco Ferreira da Rocha. Ele era casado com [11] Ana Olímpia da Rocha.50,80
11 – Ana Olímpia da Rocha. Ela era casada com [10] Francisco Ferreira da Rocha.50,80
Eles tiveram três filhos.
V-1 Pollyana Silva Castro. Ela é natural de Além Paraíba, Minas Gerais. Formada em Propaganda e Marketing pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Convive em união consensual estável com Eduardo Grotto. Reside em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
VI-1 Eduardo Grotto. Ele é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
V-2 Paola Silva Castro. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo, onde reside. Solteira.50
V-3 Vanor Silva Castro. Ele é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo, onde reside. Solteiro.50
IV-7 Maria das Graças Hisse de Castro. Nascida em São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais; e foi batizada na igreja de São Luiz, em Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Formou-se como normalista e foi professora primária em Providência de 1973 a 1976. Em 1977, ela se casou em Além Paraíba, Minas Gerais, com o seu parente, Nivaldo João de Castro Pandeló e adotou o nome de Maria das Graças de Castro Pandeló.50,78
Eles foram comerciantes na Capital Paulista e em São José dos Campos.50
Ascendência do marido:
1 – Nivaldo João de Castro Pandeló. Natural do Município de Laranjal, Estado de Minas Gerais.50
Pais:
2 – João Nunes Pandeló. Nascido no dia 22-05-1925, sexta-feira, no Distrito de Tebas, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Casado no dia 08-05-1949, domingo, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, com [3] Margarida de Castro Pandeló. Ele faleceu no dia 07-02-2005, segunda-feira, na cidade de São Paulo. Contava exatos 79 anos, 8 meses e 16 dias de idade e aproximadamente 55 anos e 9 meses de casado. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte no Cemitério de Guarulhos, São Paulo.50,78
3 – Margarida de Castro Pandeló. Nome quando solteira: Margarida de Castro Martins. Nascida no dia 22-02-1928, quarta-feira, em domicílio, na fazenda São Benedito, no Distrito de Conceição da Boa Vista, hoje pertencente ao Município de Recreio, Estado de Minas Gerais. Depois de casada e morar na região onde nasceram os filhos, o casal se transferiu para a Capital Paulista. Ela faleceu viúva, no dia 01-05-2008, quinta-feira, aos 80 anos, 2 meses e 9 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Cotia, São Paulo.49,50,78
Avós paternos:
4 – João Rodrigues Pandeló Filho (13-02-189709-01-1954). Nascido em Vista Alegre, Município de Cataguases, Minas Gerais; e casado com [5] Maria Antônia Nunes Pandeló. Ele faleceu em Leopoldina, Minas Gerais e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo. Ele era filho de [8] João Rodrigues Pandeló e de sua mulher, [9] Elvira Rodrigues da Silva.50,78,79,219
5 – Maria Antônia Nunes Pandeló. O seu nome de solteira era: Maria Antônia Nunes Martins. Nascida no dia 31-03-1903, terça-feira, filha legítima dos espanhóis, [10] Anselmo Nunes de Moraes e [11] Maria Antônia Nunes Martins. Casada com o lavrador [4] João Rodrigues Pandeló Filho.50,69,78
Avós maternos:
6 – João de Castro Neto — “Filhinho”. Nascido num sábado, dia 22-04-1905, no Distrito de Vista Alegre, Município de Cataguases, Minas Gerais. Casado em 23-04-1927, sábado, no Distrito de Conceição da Boa Vista, então pertencente ao Município de Leopoldina e hoje ao de Recreio, Minas Gerais, com [7] Isabel Martins Nunes de Castro. Ele já idoso passou a residir em Leopoldina, onde faleceu em 04-08-1986, segunda-feira, às 14 horas, na Casa de Caridade Leopoldinense; contava 81 anos, 3 meses e 13 dias de idade e 59 anos, 3 meses e 12 dias de casado; e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo. Ele era filho legítimo do lavrador [12] João Firmiano de Castro e de [13] Eponina Eulália de Castro.49,50,81,220
7 – Isabel Martins Nunes de Castro. O seu nome quando solteira era: Isabel Martins Nunes. Era natural do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, nascida em 24-05-1909, segunda-feira, filha legítima dos espanhóis, [14] Fernando Martins Hernandes e [15] Antônia Nunes de Moraes. Casada com [6] João de Castro Neto. Ela faleceu viúva, em 28-10-1992, quarta-feira, às 16 horas e 30 minutos, em domicílio na cidade de Leopoldina, Minas Gerais, aos 83 anos, 5 meses e 4 dias de idade; e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Nossa Senhora do Carmo. Eles tiveram onze filhos, sendo que, dez chegaram à idade adulta.49,50,69,78,81,220
Bisavós:
8 – João Rodrigues Pandeló. Nascido no Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Distrito Eclesiástico do Funchal, Região Autônoma da Madeira, Portugal; e foi aí batizado no dia 10-01-1871, terça-feira. Veio para o Brasil aos 14 anos de idade, junto com o seu irmão José Rodrigues Pandeló, estabelecendo-se na freguesia de Angustura, na Zona da Mata Mineira. Seu nome pela grafia da época era: "João Rodrigues Pandelot". Casou-se com [9] Elvira Rodrigues da Silva. Em Angustura, ele foi proprietário da “Padaria Rodrigues & Rodrigues”, de sociedade com o seu irmão José Rodrigues Pandeló. Mais tarde se dedicou à agricultura, tendo sido proprietário rural em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais.
Ele morreu com aproximadamente 71 anos de idade, no dia 10-01-1941, sexta-feira, às doze horas, em sua chácara Pandeló no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. E seu corpo foi aí sepultado no dia seguinte, no cemitério local. Ele era filho de [16] Manuel Rodrigues e de sua mulher, [17] Rosa Pestana de Jesus.50,71,77,78,79,82,222
9 – Elvira Rodrigues da Silva. Nascida por volta de 1878, Após o seu casamento com [8] João Rodrigues Pandeló, permaneceu morando em terras mineiras: inicialmente em São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande; a seguir, em Angustura, Município de Além Paraíba; depois em Providência, Município de Leopoldina; e mais tarde retornou a Angustura, onde faleceu viúva, no dia 24-07-1942, sexta-feira. Era filha de [18] Vicente Rodrigues da Silva e de sua mulher, [19] Laurentina Reginalda de Jesus. Seus onze filhos: 1) Francisco Rodrigues Pandeló que se casou com Antônia Guilhermina de Castro (que segue neste relatório); 2) João Rodrigues Pandeló Filho que se casou com Maria Antônia Nunes Martins; 3) Manuel Rodrigues Pandeló que se casou com Augusta Nunes Martins; 4) Elvira Rodrigues Pandeló; 5) Maria Rosa Rodrigues Pandeló; 6) Adelaide Rodrigues Pandeló; 7) Maria Amélia Rodrigues Pandeló; 8) Virgínia Rodrigues Pandeló que se casou com Miguel Zanconato; 9) Sebastião Rodrigues Pandeló que se casou com Florinda Nunes Martins; 10) Maria da Conceição Pandeló que se casou com João Gomes da Costa; e 11) Vicente Rodrigues Pandeló.50,71,78,79
10 – Anselmo Nunes de Moraes. Nascido no ano de 1876, na Espanha. Veio para o Brasil e se casou com sua conterrânea [11] Maria Antônia Nunes Martins, no dia 11-02-1900, domingo, no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Eles foram agricultores no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Era irmão de [15] Antônia Nunes de Moraes e filho de [20 e 30] Nemêncio Nunes de Moraes e de sua mulher, [21 e 31] Isabel Moraes Nunes. Todos estes espanhóis.69,78
11 – Maria Antônia Nunes Martins. Nascida na Espanha por volta de 1881. Ela era irmã de [14] Fernando Martins Hernandes e filha dos espanhóis [22 e 28] Nicácio Martins e [23 e 29] Margarida Hernandes. Casada com [10] Anselmo Nunes de Moraes.69,78
12 – João Firmiano de Castro. Nascido por volta do mês de agosto de 1880, em terras que deram origem ao Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Filho legítimo de [24] João Zeferino de Azevedo Castro e de [25] Leopoldina de Freitas Castro. Casou-se no dia 16-02-1901, sábado, em São Luiz, atual Trimonte, com sua parente [13] Eponina Eulália de Castro. Após o casamento ele se transferiu com a esposa para o Distrito de Vista Alegre, Município de Cataguases, Minas Gerais, onde passou a morar numa casa próxima da fazenda Espalha Fogo — do José Augusto Teixeira de Castro, pai de sua esposa, e que era portanto, do seu tio e sogro — onde ele passou a trabalhar e também onde nasceram os seus dois filhos mais velhos: José e o João. Todavia, já em 1907 vamos encontrá-lo com sua família no Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Volta Grande, Minas Gerais, residindo numa casa próxima à fazenda da Pedra, pertencente ao seu tio Luiz Augusto Teixeira de Castro e também mais próximo dos parentes maternos da Eponina Eulália de Castro. E no Distrito de Água Viva nasceram os outros oito filhos do casal: Maria Eulália, Sebastião, Odete Eulália, Lucília Eulália, Lea Eulália, Nadir Eulália, Moacyr e Geralda Eulália; perfazendo um total de dez filhos.
O João Firmiano de Castro faleceu em decorrência de pneumonia, aos 43 anos de idade, no dia 19-06-1924, quinta-feira, em sua residência no Distrito de Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Minas Gerais, tendo o seu corpo sido sepultado no Cemitério Púbico de Trimonte, Município de Volta Grande.49,50,55,71,75,100,220
13 – Eponina Eulália de Castro. Nascida em 15-05-1887, domingo, em Nossa Senhora do Amparo, Município de Barra Mansa, Estado do Rio de Janeiro. Filha de [26] José Augusto Teixeira de Castro com sua namorada, [27] Eulália Maria da Conceição, tendo ele assumido a sua paternidade e criação, ao se casar com dona Francisca de Almeida Castro.
Ela se casou com 13 anos, 9 meses e 1 dia de idade no dia 16-02-1901, sábado, no Distrito de São Luiz — que a partir de 01-01-1944, passou a ter a denominação de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais — com o seu parente, [12] João Firmiano de Castro. Ela faleceu no dia 09-01-1965, sábado, aos 77 anos, 7 meses e 25 dias de idade, tendo o seu corpo sido sepultado no Cemitério Municipal de Recreio, Estado de Minas Gerais.50,55,71,75,220
14 – Fernando Martins Hernandes. Nascido na Espanha, no dia 24-08-1880, terça-feira. Era irmão de [11] Maria Antônia Nunes Martins e filho dos espanhóis [22 e 28] Nicácio Martins e [23 e 29] Margarida Hernandes. Casado com [15] Antônia Nunes de Moraes.49,69,78
15 – Antônia Nunes de Moraes. Nascida em 1884 na Espanha e falecida no dia 04-03-1962, domingo, aos 77 anos de idade, no Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Ela era irmã de [10] Anselmo Nunes de Moraes e filha dos espanhóis [20 e 30] Nemêncio Nunes de Moraes e [21 e 31] Isabel Moraes Nunes. Casada com o [14] Fernando Martins Hernandes.49,69,78
Trisavós:
16 – Manuel Rodrigues. Nascido por volta do ano de 1839, no Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Distrito Eclesiástico do Funchal, Região Autônoma da Madeira, Portugal. Casou-se com 22 anos de idade, no dia 12-06-1861, quarta-feira, pelas onze horas da manhã, na Paróquia de Nossa Senhora da Graça do Estreito, da citada localidade, com [17] Rosa Pestana de Jesus.78,82
O [16] Manuel Rodrigues era filho de [32] João Rodrigues e de sua mulher, [33] Maria Rosa, moradores no sítio do Cabo do Portão, na ilha da Madeira.82,222
17 – Rosa Pestana de Jesus. Nascida por volta de 1840, no Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Distrito Eclesiástico do Funchal, Região Autônoma da Madeira, Portugal. Casou-se com 21 anos de idade, no dia 12-06-1861, quarta-feira, pelas onze horas da manhã, na Paróquia de Nossa Senhora da Graça do Estreito, da citada localidade, com [16] Manuel Rodrigues.78,82,222
A [17] Rosa Pestana de Jesus era filha de [34] João Pestana e de sua mulher, [35] Rosa de Jesus.82
18 – Vicente Rodrigues da Silva. Casado com [19] Laurentina Reginalda de Jesus. Moradores em Minas Gerais. Sem mais notícias.78,79
19 – Laurentina Reginalda de Jesus. Ela era casada com [18] Vicente Rodrigues da Silva. Sem mais notícias.78,79
20 – Nemêncio Nunes de Moraes. Agricultor, natural da Espanha. Sendo ele casado com a sua conterrânea, [21] Isabel Moraes Nunes.49,69,78
21 – Isabel Moraes Nunes. Natural da Espanha. Sendo ela casada com o seu conterrâneo, [20] Nemêncio Nunes de Moraes.49,69,78
22 – Nicácio Martins. Agricultor, natural da Espanha. Sendo ele casado com a sua conterrânea, [23] Margarida Hernandes.69,78
23 – Margarida Hernandes. Natural da Espanha. Sendo ela casada com o seu conterrâneo, [22] Nicácio Martins.69,78
24 – João Zeferino de Azevedo Castro. Natural de Magé, Rio de Janeiro e casado com [25] Leopoldina de Freitas Castro no dia 21-07-1885, quarta-feira, em Conceição da Boa Vista, do atual Município de Recreio, Minas Gerais. Falecido aos 91 anos de idade, no dia 22-05-1935, quarta-feira, na cidade de Recreio. Era filho do patriarca [48] Joaquim Antônio Teixeira de Castro e de [49] Constança Maria da Conceição.1,6,7,14,71
25 – Leopoldina de Freitas Castro. Nome quando solteira: Leopoldina Telles de Freitas. Nascida em 1859, na vila de Angustura, do atual Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casada com o lavrador [24] João Zeferino de Azevedo Castro. Era filha legítima de [50] Joaquim José de Freitas e de [51] Maria Joaquina do Espírito Santo.1,6,14,71
26 – José Augusto Teixeira de Castro (10-09-1861—11-04-1913). Ele era agricultor e antes de seu casamento com dona Francisca de Almeida Castro, namorou a [27] Eulália Maria da Conceição e teve com ela a filha [13] Eponina Eulália de Castro. Ele foi proprietário da fazenda Espalha Fogo, no Distrito de Vista Alegre, Município de Cataguases, Minas Gerais. Era filho legítimo de [52] Joaquim Antônio Teixeira de Castro com sua segunda consorte, [53] Carolina Augusta de Siqueira Castro.9,14,29,50,52,53,54,55,56,57,79
27 – Eulália Maria da Conceição. Nascida por volta do ano de 1869. Era filha legítima do lavrador [54] João Duarte Nunes e de [55] Eulália Francisca Valadão. Ela foi namorada do agricultor [26] José Augusto Teixeira de Castro e pais da [13] Eponina Eulália de Castro.14,50,71
28 – Nicácio Martins. Mesma pessoa de número 22.69,78
29 – Margarida Hernandes. Mesma pessoa de número 23.69,78
30 – Nemêncio Nunes de Moraes. Mesma pessoa de número 20.49,69,78
31 – Isabel Moraes Nunes. Mesma pessoa de número 21.49,69,78
Tetravós:
32 – João Rodrigues. Era casado com dona [33] Maria Rosa. Moradores no Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Distrito Eclesiástico do Funchal, Região Autônoma da Madeira, Portugal.82,221
33 – Maria Rosa. Casada com [32] João Rodrigues, também da ilha da Madeira.82,221
34 – João Pestana. Casado com dona [35] Rosa de Jesus. Casal morador no Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Distrito Eclesiástico do Funchal, Região Autônoma da Madeira, Portugal.82,221
35 – Rosa de Jesus. Casada com [34] João Pestana, também da ilha da Madeira.82,221
48 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (1816—31-01-1893). Ele era agricultor, natural do Norte de Portugal e falecido no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no cemitério do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Conviveu cerca de 15 anos, em união consensual estável no Brasil, com sua conterrânea, [49] Constança Maria da Conceição.1,3,4,6,10,14
49 – Constança Maria da Conceição (—1855). Ela era natural do Norte de Portugal e foi a primeira consorte de [48] Joaquim Antônio Teixeira de Castro (e este ao ficar viúvo casou-se com Carolina Augusta de Siqueira Castro). A Constança Maria da Conceição era da família Azevedo.4,6
50 – Joaquim José de Freitas. Lavrador, natural de Portugal. Veio para o Brasil e se casou com [51] Maria Joaquina do Espírito Santo. Eram moradores na então freguesia de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.6
51 – Maria Joaquina do Espírito Santo. Nascida por volta de 1841, em Barra Mansa, Rio de Janeiro. Casada com o lavrador [50] Joaquim José de Freitas. Ela morreu no dia 07-05-1865, domingo, com apenas 24 anos de idade na então freguesia de Madre de Deus do Angu, atual Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.6,13
52 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca do ano de 1816—31-01-1893). Era natural do norte de Portugal e estudou em colégio para ordenação de sacerdotes. Deixou o curso e veio para o Brasil onde se tornou o patriarca deste ramo da família Teixeira de Castro, que da Zona da Mata mineira ramificou pelo Brasil. Era agricultor e faleceu viúvo no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba. Ao ficar viúvo de Constança Maria da Conceição, casou com [53] Carolina Augusta de Siqueira Castro.1,9,10
53 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. Nascida Carolina Augusta de Siqueira. Natural do lugar denominado Boa Vista, na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [106] Francisco Antunes de Sequeira e de [107] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [52] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, este, viúvo que ficara de dona Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do Sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais.1,9,15
54 – João Duarte Nunes. Natural de Arrozal, no Município de Piraí, Rio de Janeiro. Casado com [55] Eulália Francisca Valadão, no dia 22-08-1868, sábado, na igreja de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista, em Conceição da Boa Vista, hoje Distrito pertencente ao Município de Recreio, Minas Gerais. Era filho de [108] João Nunes Duarte e de sua mulher, [109] Ana Maria da Conceição.49,100
55 – Eulália Francisca Valadão. Natural de Arrozal, Município de Piraí, Rio de Janeiro. Era filha de [110] José Mendes Valadão e de sua mulher, [111] Francisca Maria da Silva. Falecida antes de 1885.49,100
Pentavós:
64 – Pessoa incógnita. Sem mais notícias.82
65 – Josefa Maria. Moradora no Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Distrito Eclesiástico do Funchal, Região Autônoma da Madeira, Portugal. Era solteira. Do seu relacionamento com [64] Pessoa Incógnita, nasceu o filho [32] João Rodrigues, acima mencionado.82
66 – Antônio Gomes. Casado com [67] Francisca Rosa de Jesus. Casal morador no Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos, Distrito Eclesiástico do Funchal, Região Autônoma da Madeira, Portugal.82,221
67 – Francisca Rosa de Jesus. Casada com [66] Antônio Gomes, da ilha da Madeira.82,221
106 – Francisco Antunes de Sequeira. Nascido no ano de 1808 na Boa Vista, em terras do atual Município de Piau, Estado de Minas Gerais e foi aí batizado na capela de Santa Ana da Boa Vista pelo Padre José Dias de Carvalho (seu tio pelo lado paterno), no dia 12-07-1808, terça-feira, tendo por padrinhos: Guilherme Francisco Rosa e Maria Eufrásia. Ele era agricultor e se casou com [107] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. No início da década de 1850 se transferiu com sua família para a freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais, onde permaneceu. Nos registros religiosos de Angustura, o seu nome sempre aparece escrito como Francisco Antunes de Siqueira; e cujo sobrenome é desta forma passado aos seus descendentes. Ele era filho de [212] Manuel Antunes de Sequeira e de sua mulher, [213] Ana Maria Joaquina de Santa Rosa.1,15,16,17,19
107 – Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Nascida no ano de 1810 e batizada pelo padre Antônio Rodrigues Lobato na ermida do Bandeira, situada em área formadora do Distrito de São João da Serra, no Município de Santos Dumont, Minas Gerais, no dia 15-06-1810, sexta-feira, tendo por padrinhos: o seu tio paterno, Reverendo Manuel Gonçalves Couto e sua avó paterna, [429] Mariana Angélica Gonçalves. Casada com [106] Francisco Antunes de Sequeira. Ela faleceu na freguesia de Madre de Deus do Angu, hoje Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Já quando viúva notamos também a mudança que fez em seu nome, alterando-o para Francisca Carolina Costa, como se verifica em diversos assentos de cerimônias religiosas em Angustura. Era filha legítima do alferes (214) Francisco Gonçalves Couto e de dona [215] Ana Zeferina Côrtes.1,15,18
108 – João Nunes Duarte. Ele foi fazendeiro de café e Juiz de Paz na freguesia de Arrozal (1850). Casado com [109] Ana Maria da Conceição. Filho de [216] Severino Nunes Duarte e de sua mulher, [217] Ana Clara da Aleluia.49,51,100
109 – Ana Maria da Conceição. Casada com o [108] João Nunes Duarte, estabelecidos em Arrozal, Rio de Janeiro.49,100
110 – José Mendes Valadão. Casado com dona [111] Francisca Maria da Silva.100
111 – Francisca Maria da Silva. Ela era casada com [110] José Mendes Valadão.100
Nivaldo João de Castro Pandeló e Maria das Graças de Castro Pandeló tiveram um casal de filhos.50
V-1 Júlio Márcio Castro Pandeló. Ele é natural de São Paulo Capital e formado em Engenharia Elétrica no ano de 2003, em São José dos Campos, Estado de São Paulo, pela Universidade do Vale do Paraíba. Casou-se em São José dos Campos, com Cíntia Abranches Chelou, que adotou o nome de Cíntia Abranches Chelou de Castro. Ela é natural desta mesma Cidade, filha legítima de Omar Mamede Chelou e de dona Marilena Abranches Antunes.50
O casal é residente e domiciliado em São José dos Campos.50
VI-1 Gabriel Abranches Castro Pandeló. É natural de São José dos Campos, São Paulo.50
VI-2 Nícolas Abranches Castro Pandeló. É natural São José dos Campos, São Paulo.50
V-2 Juliana Castro Pandeló. Ela é natural de São Paulo, Estado de São Paulo. Formada em Ciências Econômicas no ano de 2002, pela Universidade do Vale do Paraíba, em São José dos Campos, Estado de São Paulo. Casou-se nesta mesma Cidade, com Matheus Prince e adotou o nome de Juliana Castro Pandeló dos Santos. Ele, filho legítimo de Sebastião dos Santos e de dona Regina Célia Prince. São moradores em São José dos Campos.50
VI-1 Laís Pandeló Prince dos Santos. Nascida em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
VI-2 Larissa Pandeló Prince dos Santos.
IV-8 Maria Helena Hisse de Castro. Nascida no povoado de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Formou-se em 1973 nos cursos de Normalista e de Técnica em Contabilidade, na cidade de Recreio, Minas Gerais. Em 1974, ela ingressou no Magistério do Estado de Minas Gerais e durante três anos lecionou no Distrito Providência, Município de Leopoldina, e depois na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Em 1978, na "Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Professora Nair Fortes Abu Merhy" de Além Paraíba, formou-se em Matemática e em Pedagogia, e mais tarde fez pós-graduação em Latos-Sensus de Didática.50,78,105
Casada em 1977, com o seu primo odontologista, Doutor José Guilherme Bouhid Hissi, em Além Paraíba, Minas Gerais; passando a ter o nome de Maria Helena de Castro Hissi. O casal ficou residindo nesta mesma Cidade.
Maria Helena de Castro Hissi depois de quinze anos deixou o magistério e se transferiu no dia 10-07-1991 com a família para São José dos Campos, Estado de São Paulo. Passando ela a trabalhar como diretora em firma industrial e o marido no gabinete dentário que instalou na cidade. Em 2005, ela se formou em Psicanálise pelo CINPP – Centro de Investigação em Psicanálise e Psicossomática de São José dos Campos; e depois de trabalhar como estagiária em hospitais locais, montou o seu próprio gabinete de trabalho, desempenhando suas funções profissionais em sala vizinha ao marido, em prédio situado no Jardim São Dimas, em São José dos Campos. Atualmente a Maria Helena de Castro Hissi encontra-se com suas atividades profissionais paralisadas, por se encontrar em tratamento de saúde (2015).50
Ascendência do marido acima citado e do seu irmão Elias Augusto Bouhid Hissi citado abaixo na posição IV-10:
1 – José Guilherme Bouhid Hissi e de Elias Augusto Bouhid Hissi. Ambos naturais de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro. Vide as posições das irmãs: IV-8 Maria Helena Hisse de Castro e IV-10 Maria Julieta Hisse de Castro casadas com seus respectivos primos a mãe delas, Julieta Hisse de Castro, era irmã do Frontin Hissi, pai deles.50
Pais:
2 – Frontin Hissi. Filho legítimo de [4] Kalil Hissi e de [5] Rosa Lattuf Hissi. Nascido no dia 17-10-1921, segunda-feira, em Estrela Dalva, Minas Gerais. Casado com a recém-formada normalista [3] Nazira Bouhid Hissi, em 12-12-1946, quinta-feira, na cidade de Volta Grande, Minas Gerais. Comerciante, contabilista e residente em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro, aí falecido no dia 10-05-1980, sábado, aos 58 anos, 6 meses e 23 dias de idade e 33 anos, 4 meses e 28 dias de casado. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal de Nova Friburgo. Ele foi homenageado pela municipalidade local, que deu o seu nome a um logradouro público da Cidade: a "Rua Frontin Hissi", situada no Bairro Prado, cujo código de endereçamento postal tem o número: 28635-310.50,92,163
3 – Nazira Bouhid Hissi. O seu nome de solteira era: Nazira Bouhid. Filha legítima de [6] Elias Bouhid e de dona [7] Sophia Bouhid. Nascida em 24-11-1923, sábado, em Volta Grande, Minas Gerais, e aí casada no dia 12-12-1946, quinta-feira, com [2] Frontin Hissi. O casal fixou residência em Nova Friburgo, Rio de Janeiro, onde foram comerciantes. A Nazira Bouhid Hissi faleceu viúva aí, no dia 11-03-2007, domingo; contava 83 anos, 3 meses e 15 dias de idade e seu corpo jaz sepultado também no Cemitério Municipal de Nova Friburgo. Frontin e Nazira tiveram três filhos: 1) Elias Augusto Bouhid Hissi casado com Maria Julieta de Castro Hissi, 2) José Guilherme Bouhid Hissi casado com Maria Helena de Castro Hissi, e 3) Paulo Gustavo Bouhid Hissi casado com Lourdes Aparecida Marques de Azevedo Hissi.50,163,164
Avós paternos:
4 – Kalil Hissi. Filho legítimo de [8] Issa Khalil e de dona [9] Najma Mansur. Natural de Kfar Aamay, Chouf, hoje pertencente à Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Nascido em 23-12-1890, pelo calendário juliano que ainda era usado no Líbano, data esta equivalente ao dia 05-01-1891, segunda-feira, quando corrigida para o nosso calendário gregoriano. Casado em Kfar Aamay com Warda Lattuf, que no Brasil passou a ter o nome de [5] Rosa Lattuf Hissi. O casal foi comerciante em diversas localidades do Município de Além Paraíba, Minas Gerais; e por último fixou residência em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Kalil Hissi morreu viúvo, no dia 12-12-1964, sábado, pelas duas horas da madrugada, em Volta Grande, Minas Gerais; contava 73 anos, 11 meses e 7 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério São Sebastião, em Volta Grande.50,75,80,92,163,164
5 – Rosa Lattuf Hissi. Seu nome no Líbano era Warda Lattuf. Filha de [10] Habib Lattuf Ilya e de sua mulher, [11] Janna Amin. Natural de Kfar Aamay, Chouf, hoje pertencente à Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Nascida em 01-12-1891 pelo calendário juliano, que ainda era usado no Líbano, data esta equivalente ao dia 14-12-1891, segunda-feira, quando corrigida para o nosso calendário gregoriano. Chegou ao Brasil sete anos depois do marido. Ela morreu em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais, no dia 15-12-1954, quarta-feira, por volta de uma hora da madrugada, aos 63 anos e 1 dia de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério São Sebastião, em Volta Grande.50,78,80
Avós maternos:
6 – Elias Bouhid. Filho legítimo de [12] Youssef Bouhid ― José Bouhid e de [13] Warda Chagra. Natural de Zahlé, na atual Província de Bekaa, República do Líbano. Nascido em 22-02-1890, pelo calendário juliano, que ainda era usado no Líbano, data esta equivalente ao dia 06-03-1890, quinta-feira, quando corrigida para o calendário gregoriano usado no Brasil. Chegou ao Brasil pelo porto do Rio de Janeiro, provavelmente no final de 1911, já casado com dona [7] Sophia Bouhid. O casal foi comerciante em Estrela Dalva, Minas Gerais, Conservatória, Rio de Janeiro e por fim se estabeleceu em Volta Grande, Minas Gerais. Ele morreu no dia 02-07-1947, quarta-feira, em Volta Grande, aos 57 anos, 3 meses e 26 dias de idade, e cerca de 35 anos de casado. Seu corpo jaz aí sepultado, no Cemitério São Sebastião. Foi homenageado pela Câmara Municipal de Volta Grande, que deu seu nome a um logradouro público da Cidade: a Rua Elias Bouhid.50,92,164,172,223
7 – Sophia Bouhid. Nome de solteira: Sophia Abalen. Filha legítima de [14] Khalil Abalen e de [15] Warda Bouhid ― Rosa Bouhid. Natural de Zahlé, na atual Província de Bekaa, República do Líbano. Nascida em 14-09-1894, pelo calendário juliano, que ainda era usado no Líbano, data esta equivalente ao dia 27-09-1894, quinta-feira, quando corrigida para o calendário gregoriano usado no Brasil. Ela faleceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 16-01-1978, segunda-feira, aos 83 anos, 3 meses e 20 dias de idade. O seu corpo foi sepultado no túmulo da família, em Volta Grande, Minas Gerais.50.78,92
Bisavós:
8 – Issa Khalil. Agricultor, filho legítimo de [16] Assaf Issa e de sua primeira mulher, [17] Saadi Assaf. Casado com [9] Najma Mansur. Todos naturais de Kfar Aamay, Chouf, hoje pertencente à Aley, Monte Líbano, República do Líbano. No Líbano, todos os seus ascendentes professavam a Religião Cristã Maronita.75,80,92,172
9 – Najma Mansur. Filha legítima de [18] Mansur Abichebeb e de dona [19] Mariam Mansur. Casada com [8] Issa Khalil. Todos eles naturais de Kfar Aamay, Chouf, hoje pertencente à Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Ela morreu nesta mesma localidade, viúva, cega e em avançada idade.50,75,80,92,164,172
10 – Habib Lattuf Ilya. Natural de Kfar Aamay, Chouf, hoje pertencente à Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Casado aí provavelmente no início de 1890 com [11] Janna Amin. Ele faleceu pelo que consta no ano de 1900. No Líbano, todos os seus ascendentes professavam a Religião Cristã Maronita.50,75,80,92,172
11 – Janna Amin. Natural de Kfar Aamay, Chouf, hoje pertencente à Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Era casada com [10] Habib Lattuf Ilya. Ela faleceu viúva em 1903, nesta mesma localidade. Deixou um casal de filhos, órfãos, que acabaram de ser criados por um padre maronita que era parente deles: [5] Rosa Lattuf Hissi, que consta deste relatório, e Jorge Abib Lattuf; e ambos vieram em 1920 para o Brasil.50,75,80,92,172
12 – Youssef Bouhid  José Bouhid. Era filho legítimo de [24 e 30] Ilya Bouhid e de [24 e 30) Burbara Bouhid. Nascido por volta do ano de 1850 em Zahlé, atual Província de Bekaa, República do Líbano e que faleceu viúvo aos 78 anos de idade, no dia 29-12-1928, sábado, em Volta Grande, Minas Gerais. Era casado com dona [13] Warda Chagra, e que foram moradores em Zahlé. No Líbano toda a sua família professava a religião Cristã Ortodoxa Grega.78,92,164,172,223
13 – Warda Chagra nome correspondente a Rosa Chagra. Sendo ela filha legítima de [26] Hanna Chagra e de [27] Mariam Chagra. Casada com [12] Youssef Bouhid  José Bouhid.78,92,164,223
14 – Khalil Abalen. Natural de Zahlé, atual Província de Bekaa, República do Líbano. Casado com [15] Warda Bouhid. Sem mais notícias.78
15 – Warda Bouhid nome correspondente a Rosa Bouhid. Sendo ela filha legítima de [24 e 30] Ilya Bouhid e de [25 e 31] Burbara Bouhid. Ela era irmã de [12] Youssef Bouhid. Casada com [14] Khalil Abalen. Todos eles naturais de Zahlé, atual Província de Bekaa, República do Líbano.78
Trisavós:
16 – Assaf Issa. Nascido na localidade de Kfar Aamay, então pertencente a Chouf e hoje à cidade serrana de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Ele foi aí chefe administrativo – denominado "makhatir" – cargo este preenchido por escolha dos habitantes da própria localidade; e que o ocupou durante muitos anos repetidamente.171
Ele foi casado por três vezes. O seu primeiro casamento foi celebrado na referida localidade, com sua conterrânea e contemporânea, [17] Saadi Assaf. O casal que se dedicava também à agricultura, sempre aí morou e viveu.171
Ao ficar viúvo da primeira esposa ele veio a se casar outras duas vezes. Ele faleceu em Kfar Aamay no ano de 1913, deixando viúva a sua terceira esposa, dona Chimone Moussi, que lá ainda vivia em 1920.164,171
17 – Saadi Assaf. Era natural de Kfar Aamay, hoje pertencente à cidade serrana de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano. Foi primeira mulher de [16] Assaf Issa e sempre moraram nesta mesma localidade.171
18 – Mansur Abichebeb. Libanês, casado com dona [19] Mariam Mansur. Ele faleceu no ano de 1900, em Kfar Aamay, no Líbano.164
19 – Mariam Mansur. Libanesa, casada com [18] Mansur Abichebeb. Ela faleceu viúva no ano de 1919, em Kfar Aamay, no Líbano.164
24 – Ilya Bouhid. Era casado com [25 e 31] Burbara Bouhid; e moradores em Zahlé, na atual Província de Bekaa, República do Líbano.78
25 – Burbara Bouhid. Libanesa, casada com [24 e 30] Ilya Bouhid.78
26 – Hanna Chagra nome correspondente a João Chagra. Natural de Zahlé, na atual Província de Bekaa, República do Líbano. Casado com [27] Mariam Chagra.
27 – Mariam Chagra nome correspondente a Maria Chagra. Casada com o seu conterrâneo, [26] Hanna Chagra.78
30 – Ilya Bouhid. A mesma pessoa de número 24.78
31 – Burbara Bouhid. A mesma pessoa de número 25.78
Filhos do casal José Guilherme Bouhid Hissi e Maria Helena de Castro Hissi.
V-1 Gustavo de Castro Hissi. Ele é engenheiro, natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casou-se em São José dos Campos, Estado de São Paulo, com Quéssia Elaine Assis Luz, que adotou o nome de Quéssia Elaine Luz Hissi. Ela é formada em Direito, filha legítima de Mauro Cagnoni Luz e de dona Solange de Assis Cândida Luz. O casal é morador em São José dos Campos.50
VI-1 José Mauro Hissi. Ele é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
VI-2 Elias Augusto Hissi. Ele é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
VI-3 Paulo Gustavo Hissi. Ele é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
V-2 Marcelo de Castro Hissi. Ele é natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Mora em São José dos Campos, Estado de São Paulo, onde se formou em Curso Técnico de Eletrônica e também em Administração de Empresas e Negócios.50
Ele é consorciado em união consensual estável com Rute Angélica da Silva, sendo esta, filha de Joaquim Expedito da Silva e de dona Regina Aparecida. Moram em São José dos Campos.50
VI-1 Rafael da Silva de Castro Hissi. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
V-3 Aline de Castro Hissi. Solteira (2017).50
V-4 Camila de Castro Hissi. Solteira (2017).50
IV-9 Antônio Márcio Hisse de Castro. Nascido no dia 05-02-1954, sexta-feira, em São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Industrial e administrador de Empresas e Negócios, casou-se no dia 03-01-1981, sábado, na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais, com Rita Celeste Vieira Cordeiro, que adotou o nome de Rita Celeste Cordeiro de Castro; esta nascida em 16-03-1955, quarta-feira, em Além Paraíba. O casal fixou residência em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50,78,80,105
Rita Celeste Cordeiro de Castro faleceu no dia 17-05-1995, quarta-feira, no Hospital Albert Einstein, na cidade de São Paulo, depois de alguns dias em estado de coma, em decorrência de infecção causada por fungos de pombo; contava 40 anos, 2 meses e 1 dia de idade e 14 anos 4 meses e 14 dias de casada. Seu corpo jaz sepultado na quadra 4, setor 8, jazigo 36, do Cemitério Horto São Dimas, em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
Ascendência da esposa:
1 – Rita Celeste Cordeiro de Castro (16-03-195517-05-1995). O seu nome de solteira era: Rita Celeste Vieira Cordeiro.50,80
Pais:
2 – Paulo Pinheiro Cordeiro (11-01-192605-04-1973). Ele era natural de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Foi fiscal de rendas do governo fluminense e nas horas vagas, um exímio cruzadista. Era casado com sua conterrânea [3] Maria Vieira Cordeiro. Filho legítimo de [4] Presciliano Mendes Cordeiro e de [5] Antônia Pinheiro Cordeiro. Ele faleceu de infarto agudo do miocárdio, aos 47 anos, 3 meses e 25 dias de idade, em Além Paraíba, Minas Gerais, onde residia; e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Municipal.50,225,226
3 – Maria Vieira Cordeiro (23-11-192312-11-2012). Nome de solteira: Maria Vieira. Nascida em domicílio, na fazenda Pamparrão, no Município de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Era filha legítima de [6] Waldemar da Silva Souza e de [7] Maria José de Souza, lavradores da referida fazenda. E cujos pais biológicos permitiram à proprietária da dita fazenda, dona Alexandra Schwenk ― de origem suíça ― a criá-la. Já moça com cerca de dezenove anos de idade, ela enamorou-se de seu conterrâneo, [2] Paulo Pinheiro Cordeiro, e manteve com ele um namoro sério e definitivo; e com quem pouco tempo depois passou a conviver em união consensual estável, até a celebração do matrimônio ocorrida no dia 19-09-1952, sexta-feira, na cidade de Sumidouro, onde continuaram residindo. Mais tarde eles fixaram residência em Além Paraíba, Minas Gerais. No dia 05-04-1973, quinta-feira, ela ficou viúva e continuou morando em Além Paraíba até o início da década de 1990, quando se transferiu para São José dos Campos, Estado de São Paulo. Já mais idosa voltou a morar em Além Paraíba, onde faleceu aos 88 anos, 11 meses e 20 dias de idade; tendo o seu corpo sido aí sepultado junto ao do marido no Cemitério Municipal.50,225,226
Avós paternos:
4 – Presciliano Mendes Cordeiro (04-01-190617-09-1962). Nascido e falecido em Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Ele foi funcionário da Justiça do Estado e também negociante. Casado com [5] Antônia Pinheiro Cordeiro. Filho legítimo de [8] Narciso Soares Cordeiro e de dona [9] Júlia Mendes Cordeiro, que segue neste relatório.50,225,226
Estando viúvo, Presciliano Mendes Cordeiro, contraiu novo casamento, no dia 08-12-1960, quinta-feira, em Juiz de Fora, Minas Gerais, com dona Maria Luiza Penna, que adotou o nome de Maria Luiza Alves Penna Cordeiro. Esta nascida no dia 19-08-1926, quinta-feira, no local denominado Pedra Bonita, Município do Rio Novo, Minas Gerais, mas, só foi registrada no dia 10-04-1931, sexta-feira, em Juiz de Fora. Sendo esta, filha legítima de Moises Penna, falecido em 1954 em Presidente Prudente, Estado de São Paulo, e de Francisca Maria Alves Penna (01-12-1895—29-05-1973); neta paterna de Anselmo Penna e de sua mulher, Francisca Penna; e materna de João Alves de Paula e de sua mulher Maria de Paula (1871—12-07-1962) falecida em Juiz de Fora, Minas Gerais.50,94
5 – Antônia Pinheiro Cordeiro (24-03-190421-01-1960). Seu nome de solteira era: Antônia Almada Pinheiro. Natural de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro, casada com [4] Presciliano Mendes Cordeiro. Ela faleceu em Niterói, Estado do Rio de Janeiro. Ela era filha legítima de [10] Joaquim Alves Pinheiro e de dona [11] Brasília Almada Pinheiro.50,225,226
Avós maternos:
6 – Waldemar da Silva Souza. Ele era lavrador, empregado da fazenda Pamparrão, em Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Casado com [7] Maria José de Souza.225
7 – Maria José de Souza. Nome de solteira: Maria José Santos. Ela era casada com [6] Waldemar da Silva Souza. Moradores na fazenda Pamparrão, em Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro.225
Bisavós:
8 – Narciso Soares Cordeiro (24-06-1871). Era natural da freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, atual Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Casado com dona [9] Júlia Mendes Cordeiro.50
9 – Júlia Mendes Cordeiro (28-12-1873). Era natural da freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, atual Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro. Casada com [8] Narciso Soares Cordeiro.50
10 – Joaquim Alves Pinheiro. Natural de Duas Barras, Rio de Janeiro, e foi casado com [11] Brasília Almada Pinheiro.50
11 – Brasília Almada Pinheiro. Ela foi casada com o [10] Joaquim Alves Pinheiro.50
12 – Alcino Vieira de Souza. Casado com [13] Adelina Felicia de Souza. Moradores em Sumidouro, Rio de Janeiro.50
13 – Adelina Felicia de Souza. Nome quando solteira: Adelina Felícia da Silva. Casada com [12] Alcino Vieira de Souza.50
14 – Alberto da Silva Santos. Casado com dona [15] Francisca Hermínia da Silva Santos. Falecido antes de 1923.50
15 – Francisca Hermínia da Silva Santos. Era casada com [14] Alberto da Silva Santos.50
Antônio Márcio Hisse de Castro e Rita Celeste Cordeiro de Castro tiveram um casal de filhos.50
V-1 Maria Clara Cordeiro de Castro. Natural da cidade de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Ela é advogada, formada pela Universidade do Vale do Paraíba, em São José dos Campos, Estado de São Paulo. Casou-se nesta mesma cidade com Gustavo Ramos de Almeida e adotou o nome de Maria Clara Cordeiro de Castro Almeida. Ele, filho de Mauro Antônio Pereira de Almeida e de dona Eugênia Maria Ramos. O casal é residente e domiciliado em São José dos Campos.50
VI-1 Maria Rita Cordeiro de Castro Almeida. Ela é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
VI-2 Maria Júlia Cordeiro de Castro Almeida. Ela é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
V-2 Antônio Márcio Cordeiro de Castro. Ele é natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Reside em São José dos Campos, Estado de São Paulo. Solteiro.50
IV-9 Antônio Márcio Hisse de Castro. Estando viúvo, no ano de 1997, em São José dos Campos, Estado de São Paulo, passou a conviver em união consensual estável, com Daniela de Souza Monteiro, formada em administração de empresas e negócios. Ela é natural de São José dos Campos, filha legítima de Antônio Monteiro de Souza e da professora, dona Célia de Souza Monteiro, natural de Paraisópolis, Estado de Minas Gerais.50
Antônio Márcio Hisse de Castro faleceu em sua residência à noite do dia 22-06-2006, quinta-feira, aos 52 anos, 4 meses e 17 dias de idade, de infarto agudo do miocárdio e seu corpo foi sepultado na manhã do dia seguinte no Cemitério Horto São Dimas (quadra 4, setor 8, jazigo 36), em São José dos Campos, São Paulo. Eles tiveram um casal de filhos.50
V-3 Gabriela Monteiro de Castro. Ela é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.
V-4 Rafael Monteiro de Castro. Ele é natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.
IV-10 Maria Julieta Hisse de Castro. Nascida no povoado de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Formada como Normalista, em Minas Gerais. Depois de morar na Capital Mineira, mudou-se para a Capital Paulista, onde esteve trabalhando no Banco Maisonnave – agência da Avenida Paulista e depois no Banco Auxiliar Sociedade Anônima – agência da Avenida Santo Amaro, no Bairro Vila Nova Conceição.50,78,105
Casou-se no ano de 1986, na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais com o seu primo, cunhado e bioquímico, Elias Augusto Bouhid Hissi e adotou o nome de Maria Julieta de Castro Hissi. Ele é natural de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro; e quando era solteiro foi funcionário da empresa norte-americana denominada Schering Medicamentos Farmacêuticos, estabelecida no Bairro de Jacarepaguá, na cidade do Rio de Janeiro, e esteve fazendo estágio em Porto Rico pela mesma empresa. O casal é residente na cidade do Rio de Janeiro e se dedica ao comércio. Ele é irmão do José Guilherme Bouhid Hissi acima citado, vide a posição IV-8, onde se encontra a ascendência deles.50
V-1 Matheus de Castro Hissi. Solteiro (2017).
IV-11 Maria de Fátima Hisse de Castro. Nascida no povoado de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Morou nas cidades mineiras de Recreio e Além Paraíba, onde fez o curso de Normalista no Colégio Santos Anjos e também o de Pedagogia, na "Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Professora Nair Fortes Abu Merhy".50,78,105
Casou-se no ano de 1980 em Além Paraíba, com o bancário, Luiz Augusto Silva Santos, natural desta mesma Cidade e adotou o nome de Maria de Fátima Castro Santos. Eles permaneceram morando em Além Paraíba, até o final do ano de 1985, quando se transferiram para São José dos Campos, Estado de São Paulo, onde fixaram residência e passaram a trabalhar em serviços administrativos de firma industrial.50,80
Ascendência do marido:
1 – Luiz Augusto Silva Santos. Ele é natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais.50
Pais:
2 – Hildo Santos (04-02-1930―31-10-2008). Nascido em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, onde se casou no dia 26-06-1954, sábado, com dona [3] América Silva Santos. O casal residiu em Além Paraíba onde ele que era ferroviário se aposentou. Mais tarde eles se transferiram para São José dos Campos, Estado de São Paulo. Hildo Santos faleceu aí, aos 78 anos, 8 meses e 27 dias de idade, após 54 anos, 4 meses e 5 dias de casado. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal Colônia Paraíso, em São José dos Campos. Ele era filho legítimo de [4] Waldemiro Santos e de [5] Eugênia de Oliveira Santos.50
3 – América Silva Santos. O seu nome de solteira era: América Baeta da Silva. Nascida em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Casada nesta mesma Cidade, em 26-06-1954, sábado, com o ferroviário [2] Hildo Santos. Filha de [6] Joaquim da Silva e de sua mulher, [7] Leopoldina Baeta da Silva. Aos 83 anos de idade neste ano de 2017, a dona América Silva Santos, que ficou viúva em 31-10-2008, sexta-feira, continua residindo em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
Avós paternos:
4 – Waldemiro Santos (14-04-1899―22-08-1986). Era natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Filho de [8] Arthur de Souza Santos e de [9] Henriqueta Olívia da Conceição. Casado com [5] Eugênia de Oliveira Santos. Ele faleceu viúvo em decorrência de câncer de próstata, aos 87 anos, 4 meses e 8 dias de idade em Além Paraíba, e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Municipal.50,80
5 – Eugênia de Oliveira Santos (01-11-1900―24-03-1976). Seu nome de solteira era: Eugênia dos Santos Oliveira. Natural da cidade de Além Paraíba, Minas Gerais e filha do senhor [10] Conceição de Oliveira e Silva e de sua mulher, dona [11] Donária Júlia de Oliveira. Ela faleceu em Além Paraíba, aos 75 anos, 4 meses e 23 dias de idade, em consequência de enfisema pulmonar. Seu corpo foi sepultado no Cemitério Municipal de Além Paraíba. Era casada com o ferroviário [4] Waldemiro Santos.50,80
Avós maternos:
6 – Joaquim da Silva. Nascido no dia 28-05-1904, sábado, na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Filho de [12] Joaquim da Rosa Gonçalves e de dona [13] Victoriana Silva. Casado com dona [7] Leopoldina Baeta da Silva.50,80
7 – Leopoldina Baeta da Silva. Casada com [6] Joaquim da Silva. Sem mais notícias.50
Bisavós:
8 – Arthur de Souza Santos. Residente na cidade de Além Paraíba. em Minas Gerais. Sem mais notícias.80
9 – Henriqueta Olívia da Conceição. Era residente na cidade de Além Paraíba, Minas Gerais. Filha do senhor [18] Isidoro e de dona [19] Olívia da Conceição.80
10 – Conceição de Oliveira e Silva. Natural de Minas Gerais. Filho de [20] Manuel Francisco de Oliveira Leite e de dona [21] Maria José do Carmo. Casado com [11] Donária Júlia de Oliveira.80
11 – Donária Júlia de Oliveira. Natural da então Província do Rio de Janeiro. Filha de [22] José Gomes Henriques e de sua mulher, dona [23] Rosa Mariana Henriques.80
12 – Joaquim da Rosa Gonçalves. Sem mais notícias.80
13 – Victoriana Silva. Era moradora em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Filha de dona [27] Paulina Silva.80
Filhos de Luiz Augusto Silva Santos e de Maria de Fátima Castro Santos.
V-1 Bruno Castro Santos. Engenheiro, natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Veio com os pais para São José dos Campos, Estado de São Paulo onde fez o Curso Técnico de Eletrônica na Escola Técnica Professor Everardo Passos e no ano de 2004 se formou em Engenharia Elétrica pela Universidade do Vale do Paraíba. É funcionário em firma industrial. Ele se casou em São José dos Campos com Priscila Capucci, filha legítima de Adílson Capucci e de Rosângela Victória Capucci.50
VI-1 Arthur Capucci de Castro Santos. Natural de São José dos Campos, São Paulo.50
V-2 Thiago de Castro Santos. Natural de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais. Mudou-se com os pais para São José dos Campos, Estado de São Paulo, onde fez Curso Técnico de Eletrônica na Escola Técnica Professor Everardo Passos, e que no ano de 2006 se formou em Publicidade e Propaganda pela UNIVAP  Universidade do Vale do Paraíba. É bancário em São José dos Campos, onde se casou com sua prima Sílvia Rezende Castro, que adotou o nome de Sílvia Rezende Castro Santos. Natural de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais; e bacharela em Direito pela UNIVAP – Universidade do Vale do Paraíba.50
Ascendência da esposa, até seus trisavós:
1 – Sílvia Rezende Castro Santos.50
Pais:
2 – Luiz Fernando Hisse de Castro. Natural do Distrito de Água Viva, no atual Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Funcionário público aposentado do Estado de Minas Gerais. Divorciado, morador em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
3 – Célia Rezende Castro. O seu nome quando solteira era: Célia Monteiro de Rezende. Natural de Arraial dos Montes, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Divorciada e moradora em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
Avós paternos:
4 – Vanor Vasques de Castro (02-12-1915—12-04-1975). Filho legítimo de [8] Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua segunda esposa, dona [9] Julieta Vasques de Castro.50
5 – Julieta Hisse de Castro (26-02-1923—15-09-1980). Nome de solteira: Julieta Lattuf Hissi. Filha legítima do comerciante [10] Kalil Hissi e de dona [11] Rosa Lattuf Hissi.50
Avós maternos:
6 – Antônio Monteiro de Rezende (22-05-1903—15-12-1967). Filho legítimo de [12] João Batista Monteiro de Rezende e de [13] Josefina Monteiro de Rezende.50
7 – Corina Monteiro de Rezende (09-03-1904—13-07-1981). Ela mais tarde mudou o seu nome para: Corina Francisca de Rezende. Filha legítima de [14] José Monteiro de Rezende Sobrinho e de dona [15] Maria do Carmo Rezende.50
Bisavós:
8 – Luiz Augusto Teixeira de Castro (01-06-1867—03-12-1935). Nascido na sede do sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Foi comerciante e depois fazendeiro. Viúvo de Maria Teresa Pacheco de Castro (Maria Teresa Pacheco Vieira, antes de casar), contraiu segundas núpcias com [9] Julieta Vasques de Castro, no dia 08-07-1899, sábado, na sede da fazenda do Rochedo, no Distrito do Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais. Ele faleceu na sede da sua fazenda da Pedra, neste citado Distrito; e seu corpo jaz sepultado no Cemitério Público de Trimonte, no Município de Volta Grande, Minas Gerais. Era filho legítimo de [16] Joaquim Antônio Teixeira de Castro e de [17] Carolina Augusta de Siqueira Castro.50,62,63,65,67,69
9 – Julieta Vasques de Castro (09-07-1878—28-01-1943). Nome de solteira: Julieta Vasques de Miranda. Nascida na sede da fazenda Rochedo, em terras do atual Distrito de Água Viva, Município de Estrela Dalva, Minas Gerais, onde se casou no dia 08-07-1899, sábado, com o viúvo que ficara da dona Maria Teresa Pacheco de Castro, o fazendeiro [8] Luiz Augusto Teixeira de Castro. Ela era filha legítima de [18] José Bento Vasques de Miranda e de sua segunda esposa, dona [19] Rosa Luiza de Menezes Vasques.14,50,55,64,65,66,68
10 – Kalil Hissi (23-12-1890=05-01-1891—12-12-1964). Seu nome no Líbano era: Khalil Issa. Nascido em Kfar Aamay, hoje pertencente a Aley, Província do Monte Líbano, República do Líbano, Casado pela igreja cristã maronita de Kfar Aamay, com dona [11] Warda Lattuf, que no Brasil passou a ter o nome de Rosa Lattuf Hissi. Era comerciante, faleceu viúvo em Volta Grande, Estado de Minas Gerais, aos 73 anos, 11 meses e 7 dias de idade, em decorrência de câncer. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério São Sebastião, em Volta Grande. Era filho legítimo dos libaneses, [20] Issa Khalil Assaf e dona [21] Najma Mansur.50,75,92,164,172,223
11 – Rosa Lattuf Hissi (01-12-1891=14-12-1891—15-12-1954). O seu nome no Líbano era: Warda Lattuf. Filha de [22] Habib Lattuf Ilya e de sua mulher, [23] Janna Amin. Natural de Kfar Aamay, pertencente a Chouf, hoje à Aley, Província do Monte Líbano, República do Líbano. Chegou ao Brasil sete anos depois do marido. Ela morreu de ataque cardíaco em domicílio, em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais, aos 63 anos e 1 dia de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério São Sebastião, na cidade de Volta Grande, Minas Gerais.50,75,78,80
12 – João Batista Monteiro de Rezende. Agricultor, natural de Minas Gerais, filho legítimo de [24 e 28] Marcos Monteiro de Rezende e de [25 e 26] Amélia Maria de Rezende. Proprietário rural em Arraial dos Montes, Leopoldina Minas Gerais, casado com [17] Josefina Monteiro de Rezende. O [12] João Batista Monteiro de Rezende era irmão do [14] José Monteiro de Rezende Sobrinho.50,81,168
13 – Josefina Monteiro de Rezende. Era natural de Tiradentes, Minas Gerais. Casada nesta mesma localidade com [12] João Batista Monteiro de Rezende. Era filha legítima de [26] José Monteiro de Rezende e de dona [27] Messias Mendonça de Rezende.50,81,168
14 – José Monteiro de Rezende Sobrinho. Era natural de Minas Gerais, filho legítimo de [24 e 28] Marcos Monteiro de Rezende e de [25 e 29] Amélia Maria de Rezende. Agricultor em Arraial dos Montes, Leopoldina Minas Gerais, casado com dona [15] Maria do Carmo Rezende.50,81,168
15 – Maria do Carmo Rezende. Filha legítima de [30] Domiciano Monteiro de Rezende e de dona [31] Maria José Lara de Rezende. Casada com o [14] José Monteiro de Rezende Sobrinho.50,81,168
Trisavós:
16 – Joaquim Antônio Teixeira de Castro (cerca do ano de 1816—31-01-1893). Era natural do norte de Portugal e estudou em colégio para ordenação de padres. Deixou o curso e veio para o Brasil onde se tornou o patriarca deste ramo da família Teixeira de Castro, que da Zona da Mata mineira ramificou pelo Brasil. Era agricultor e faleceu viúvo no Distrito de São Luiz, atual Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba. Casado com dona [17] Carolina Augusta de Siqueira Castro.1, 9,10
17 – Carolina Augusta de Siqueira Castro. O seu nome quando solteira era: Carolina Augusta de Siqueira. Nascida em Boa Vista na então freguesia de Barbacena, em terras que hoje pertencem ao Município de Piau, Minas Gerais. Filha legítima de [34] Francisco Antunes de Sequeira e de dona [35] Francisca Carolina Gonçalves Côrtes. Casou-se em 1856, com o agricultor [16] Joaquim Antônio Teixeira de Castro, este, viúvo que ficara de dona Constança Maria da Conceição. Ela faleceu no dia 14-11-1880, domingo, na sede do sítio Gratidão, em Providência, Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. E seu corpo jaz sepultado no Cemitério de Angustura, Município de Além Paraíba.1,9,15
18 – José Bento Vasques de Miranda — "Zé Bento" (01-11-1833—21-12-1915). Espanhol, natural da Galiza, onde foi casado pela primeira vez e pai de duas filhas. Ao ficar viúvo deixou as filhas ainda novas sendo criadas por parentes, e deixando lá uma propriedade reservada para as filhas. No Brasil, tornou-se fazendeiro produtor de café em Minas Gerais, em áreas pertencentes aos futuros distritos de Água Viva, no Município de Estrela Dalva (fazenda do Rochedo, já demolida) e Trimonte, no Município de Volta Grande (fazenda Santo Antônio e mais alguns sítios).50,64,65,66,68
19 – Rosa Luiza de Menezes Vasques (1845—18-08-1927). Seu nome de solteira era: Rosa Luiza de Menezes — Rosinha” para os parentes e conhecidos. Nascida em terras do atual Distrito de Trimonte, Município de Volta Grande, Minas Gerais, onde também foi batizada no dia 10-04-1847, sábado, pelo Padre Vicente Ferreira Monteiro de Castro, no então curato de Madre de Deus, de Madre de Deus do Angu, atual Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais, sendo seus padrinhos de batismo: o avô paterno, o agricultor [76] José Cardoso de Menezes e Nossa Senhora Madre de Deus, por invocação. Ela era filha legítima de [38] Agostinho Luiz de Menezes e de dona [39] Ana Rosa de Moraes, que ao ficar viúva contraiu novo matrimônio com o agricultor, Saturnino Nunes Duarte.50,64,65,66,68,69
20 – Issa Khalil Assaf. Agricultor, nascido cerca do ano de 1865 ou pouco mais ou menos, na localidade de Kfar Aamay, Chouf, mas que pelas mudanças ocorridas, hoje é pertencente à cidade serrana e balneária de Aley, na Província do Monte Líbano, República do Líbano, Ele também se casou na referida localidade em cerca do ano de 1886, com a sua conterrânea, dona [21] Najma Mansur. Ele era filho legítimo de [40] Assaf Issa e de [41] Saadi Assaf, a primeira esposa de seus três casamentos.75,92,164,172
21 – Najma Mansur. Natural da localidade de Kfar Aamay, que atualmente pertence ao Município de Aley, Monte Líbano, República do Líbano. Era filha legítima de [42] Mansur Abichibeb e de [43] Mariam Mansur. Casada com o agricultor [20] Issa Khalil Assaf. Najma Mansur faleceu em Kfar Aamay em avançada idade, viúva e cega. Três de seus filhos vieram para o Brasil.75,80,92,171
22 – Habib Lattuf Ilyas. Agricultor, natural da localidade de Kfar Aamay, Líbano; onde se casou com [23] Jana Amin, e onde também sempre residiu. Ele faleceu no ano de 1900.75,80,92,199
23 – Janna Amin. Natural de Kfar Aamay, lugar então pertencente a Chouf, e hoje à Aley, Província do Monte Líbano, República do Líbano. Esposa de [22] Habib Lattuf Ilya. Ela faleceu viúva, no ano de 1903 no Líbano.50,75,92,164,172
24 – Marcos Monteiro de Rezende. Natural de Minas Gerais e fazendeiro em Arraial dos Montes, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casado com [25] Amélia Maria de Rezende. Ele era irmão de [26] José Monteiro de Rezende e de [30] Domiciano Monteiro de Rezende. Filho legítimo de [48, 52, 56 e 60] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [49, 53, 57 e 61] Maria do Carmo Monteiro de Castro.50,81,168
25 – Amélia Maria de Rezende. O seu nome quando solteira era: Amélia Maria Ribeiro da Silva. Casada com o fazendeiro [24] Marcos Monteiro de Rezende. Era filha legítima de [50] Luiz Ribeiro da Silva e de dona [51] Esmênia Maria de Almeida.50,81,168
26 – José Monteiro de Rezende. Ele foi agricultor e lavrador na localidade de Arraial dos Montes, Município e Comarca de Leopoldina, Minas Gerais. Casado com dona [27] Messias Mendonça de Rezende. Ele era irmão de [24 e 28] Marcos Monteiro de Rezende e de [30] Domiciano Monteiro de Rezende. Filho legítimo de [48, 52, 56 e 60] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [49, 53, 57 e 61] Maria do Carmo Monteiro de Castro.50,81,165,168
27 – Messias Rezende Mendonça. Ela é nascida na cidade de São João del-Rei, Minas Gerais, dia 05-03-1851, quarta-feira. Casada com [26] José Monteiro de Rezende. Ela era filha legítima de [54] João de Deus Ribeiro de Rezende e de dona [55] Maria Luzia de Mendonça.50,81,165,168
28 – Marcos Monteiro de Rezende − a mesma pessoa do no 24.
29 – Amélia Francisca Monteiro de Rezende − mesma pessoa do no 25.
30 – Domiciano Monteiro de Rezende. Era irmão de [24 e 28] Marcos Monteiro de Rezende e de [26] José Monteiro de Rezende. Filho legítimo de [48, 52, 56 e 60] Geraldo Ribeiro de Rezende e de [49, 53, 57 e 61] Maria do Carmo Monteiro de Castro. Casado com [31] Maria José Lara de Rezende.168,215
31 – Maria José Lara de Rezende. O seu nome quando solteira era: Maria José Lara. Filha legítima de [62] Teófilo Gonçalves Lara e de [63] Francisca Cândida Lara. Casada com o fazendeiro [30] Domiciano Monteiro de Rezende.168,215
Thiago de Castro Santos e sua esposa Sílvia Rezende Castro Santos têm os seguintes filhos.
VI-1 João Pedro Castro Santos. Natural de São José dos Campos, São Paulo.50
VI-2 Antônio José Castro Santos. Natural de São José dos Campos, São Paulo.50
V-3 Ana Paula de Castro Santos. Residente na cidade de São José dos Campos, Estado de São Paulo. É solteira.50
V-4 Mariana de Castro Santos. Residente em São José dos Campos, Estado de São Paulo. É solteira.
IV-12 Rita de Cássia Hisse de Castro. Engenheira química, natural de São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Morou em Recreio, Minas Gerais, indo depois para a Capital Paulista, onde passou a trabalhar em laboratório de firma industrial e pôde completar os seus estudos. Ela se casou em Além Paraíba, Minas Gerais, com Sérgio Pereira de Moraes e adotou o nome de Rita de Cássia Hisse de Castro Moraes. Ele, natural de Jamapará, Município de Sapucaia, Estado do Rio de Janeiro. Eles logo após o casamento em 1992, fixaram residência na cidade de São José dos Campos, onde trabalham em firma industrial.50,78,80,105,227
Ascendência do marido:
1 – Sérgio Pereira de Moraes.50,80,227
Pais:
2 – Simplício Teixeira de Moraes. Nascido no dia 04-10-1928, quinta-feira, em Santo Antônio do Aventureiro, Estado de Minas Gerais. Casado em 14-09-1957, sábado, com dona [3] Alice Pereira de Moraes, em Jamapará, Município de Sapucaia Estado do Rio de Janeiro. Ele era filho legítimo de [4] Jair Ferreira de Moraes e de [5] Nair Teixeira de Rezende. Ele já é falecido.50,227,228
3 – Alice Pereira de Moraes (18-03-1935―20-04-2006). Era natural do Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Seu nome de solteira era: Alice Pereira Ramiro. Casada com [2] Simplício Teixeira de Moraes. Ela faleceu aos 71 anos, 1 mês e 2 dias de idade. Era filha legítima de [6] Sebastião Ramiro e de dona [7] Maria Pereira Ramiro.50,79,227
Avós paternos:
4 – Jair Ferreira de Moraes. Lavrador nascido em 13-01-1904, quarta-feira, em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais, onde se casou em 29-10-1925, quinta-feira, com dona [5] Nair Teixeira de Rezende. Era filho legítimo de [8] Simplício Dutra de Moraes e de dona [9] Guilhermina Ferreira de Moraes.228
5 – Nair Teixeira de Rezende. Nascida no dia 10-11-1904, quinta-feira, em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais, onde se casou em 29-10-1925, quinta-feira, com o lavrador [4] Jair Ferreira de Moraes. Era filha legítima de [10] Pedro Teixeira de Rezende e de dona [11] Emília Dutra de Moraes.228
Avós maternos:
6 – Sebastião Ramiro. Lavrador no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casado com [7] Maria Pereira Ramiro. Ele era filho de [12] Ramiro de Souza e de dona [13] Emília Cândida Neto.79,227
7 – Maria Pereira Ramiro. Nome de solteira: Maria Vitorato Pereira. Casada com [6] Sebastião Ramiro. Era filha de [14] Manuel Joaquim Pereira e de dona [15] Virgínia Vitorato.79,227
Bisavós:
8 – Simplício Dutra de Moraes. Agricultor nascido no dia 23-08-1877, quinta-feira, em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais; onde se casou com [9] Guilhermina Ferreira de Moraes. Era filho legítimo de [16] Francisco Dutra de Oliveira Moraes e de dona [17] Miquelina Dutra de Moraes.161,228,229
9 – Guilhermina Ferreira de Moraes (1877/1878—30-10-1940). Sendo o seu nome quando solteira: Guilhermina Cerqueira Ferreira. Ela era natural de Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais, onde se casou com o agricultor [8] Simplício Dutra de Moraes; e também onde morou e faleceu já viúva aos 62 anos de idade. Era filha legítima de [18] José Carlos Ferreira e de dona [19] Ana Joaquina de Cerqueira.228,229
10 – Pedro Teixeira de Rezende. Falecido antes do ano de 1925. Era casado com dona [11] Emília Dutra de Moraes; e agricultores em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Filho de [20] Miguel José Teixeira de Rezende e de sua mulher, dona [21] Luiza Tereza de Nazareth.228
11 – Emília Dutra de Moraes. Foi casada com o agricultor [10] Pedro Teixeira de Rezende. Estabelecidos no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Era filha legítima de [22] Francisco Dutra de Moraes e de dona [23] Joaquina Antônia dos Santos.228
12 – Ramiro de Souza. Ele era lavrador em Angustura, no Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casado com dona [13] Emília Cândida Neto. Sem mais notícias.79
13 – Emília Cândida Neto. Era casada com [12] Ramiro de Souza. Sem mais notícias.79
14 – Manuel Joaquim Pereira. Era agricultor no Distrito de Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Casado com dona [15] Virgínia Vitorato. Sem mais notícias.79
15 – Virgínia Vitorato. Era casada com [14] Manuel Joaquim Pereira. E foram moradores em Angustura, Município de Além Paraíba, Minas Gerais. Sem mais notícias.79
Trisavós:
16 – Francisco Dutra de Oliveira Moraes. Agricultor em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais, e casado com sua prima, dona [17] Miquelina Dutra de Moraes. Filho legítimo de [32] Claudiano Dutra de Moraes e de dona [33] Ana Cândida de Jesus.161,228,229
17 – Miquelina Dutra de Moraes (1847/1848—28-08-1928). Era filha de [34] Manuel Dutra de Moraes. Miquelina Dutra de Moraes faleceu viúva aos 80 anos de idade em sua residência em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais e seu corpo jaz aí sepultado no Cemitério Municipal — Cemitério Santo Antônio.161,228,229
18 – José Carlos Ferreira. Agricultor casado com [19] Ana Joaquina de Cerqueira.228
19 – Ana Joaquina de Cerqueira. Casada com o agricultor [18] José Carlos Ferreira.228
20 – Miguel José Teixeira de Rezende. Agricultor casado com a dona [21] Luiza Teresa de Nazareth.228
21 – Luiza Tereza de Nazareth. Casada com o agricultor [20] Miguel José Teixeira de Rezende.228
22 – Francisco Dutra de Moraes. Casado com [23] Joaquina Antônia dos Santos. Eles foram agricultores em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais. Sem mais notícias.69,228
23 – Joaquina Antônia dos Santos. Casada com [22] Francisco Dutra de Moraes. Sem mais notícias.228
Tetravós:
32 – Claudiano Dutra de Moraes. Era agricultor, filho de [64] Francisco Dutra de Moraes e de sua mulher, dona [65] Ana Cândida de Jesus. Eles foram proprietários das fazendas Córrego Grande e Santana, em Santo Antônio do Aventureiro, Minas Gerais.229
33 – Ana Cândida de Jesus. Filha legítima de [66] Francisco Antônio Gomes e de [67] Tereza Maria de Jesus. Casada com [32] Claudiano Dutra de Moraes.229
34 – Manuel Dutra de Moraes. Sem mais notícias.229
Pentavós:
64 – Francisco Dutra de Moraes (1768—1824) Casado com dona [65] Antônia Maria do Rosário.229
65 – Ana Cândida de Jesus. Era casada com [64] Francisco Dutra de Moraes.229
66 – Francisco Antônio Gomes. Casado com dona [67] Teresa Maria de Jesus.229
67 – Tereza Maria de Jesus. Era casada com [66] Francisco Antônio Gomes.229
Sérgio Pereira de Moraes e Rita de Cássia Hisse de Castro Moraes têm um casal de filhos.50
V-1 Luiz Felipe Hisse de Castro Moraes. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Formado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Valença. Solteiro (2017).50
V-2 Ana Carolina Hisse de Castro Moraes. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Estudante de Odontologia, solteira (2017).50
IV-13 Vanor José Hisse de Castro. Nascido em São Martinho, Distrito de Providência, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, e foi aí também batizado na capela de Santa Úrsula. Ele se casou em São José dos Campos, Estado de São Paulo, com Niura da Silva Neves,
 que adotou o nome de Niura da Silva Neves Hisse de Castro. Ela, ex-bancária em São José dos Campos (Banco Itaú e depois Banco Geral do Comércio), natural de Vargem Alegre, Estado de Minas Gerais. O casal reside em São José dos Campos. Ele trabalha em firma industrial.50,78,105
Ascendência da esposa:
1 – Niura da Silva Neves Hisse de Castro. Natural de Vargem Alegre, Estado de Minas Gerais.50
Pais:
2 – Sebastião Neves de Almeida. Agricultor nascido em 09-07-1923, segunda-feira, em Vargem Alegre, Estado de Minas Gerais, onde fixou residência. Em 15-11-1948, segunda-feira, ficou viúvo de sua primeira esposa, dona Maria Zulema Garcia Mendes. No dia 18-03-1951, domingo, em Vargem Alegre, ele contraiu o seu segundo matrimônio, com sua conterrânea, dona [3] Elvira de Souza Araújo. Era filho de [4] Manuel da Costa Neves e de dona [5] Maria Nunes de Almeida.50
3 – Elvira de Souza Araújo. Nascida em Vargem Alegre, Minas Gerais, no dia 14-06-1930, sábado, onde também se casou em 18-03-1951, domingo, com o viúvo [2] Sebastião Neves de Almeida. Ela faleceu em São José dos Campos, Estado de São Paulo, no dia 11-03-2012, domingo, aos 81 anos, 8 meses e 26 dias de idade; e seu corpo jaz sepultado no Cemitério Horto São Dimas, desta mesma Cidade. Ela era filha legítima de [6] Argemiro da Silva Araújo e de [7] Sebastiana Cândida de Souza.50
Avós paternos:
4 – Manuel da Costa Neves. Natural de Vargem Alegre, Minas Gerais e casado com [5] Maria Nunes de Almeida. Residiram nesta mesma localidade.50
5 – Maria Nunes de Almeida. Natural de Vargem Alegre, Minas Gerais e casada com [4] Manuel da Costa Neves. Residiram nesta mesma localidade. Ela faleceu aí no dia 24-03-1987, terça-feira.50
Avós maternos:
6 – Argemiro da Silva Araújo. Natural de Manhuaçu, Minas Gerais e foi casado com dona [7] Sebastiana Cândida de Souza. Ele faleceu no dia 09-11-1937, terça-feira, em Vargem Alegre, Minas Gerais, onde residiam. Era filho de [12] Francisco de Paula Souza e Silva e de sua mulher, [13] Maria José de Araújo.50
7 – Sebastiana Cândida de Souza. Natural de Carangola, Minas Gerais e foi casada com [6] Argemiro da Silva Araújo. Ela faleceu no ano de 1937, em Vargem Alegre, Minas Gerais, onde residia. Era filha de [14] João Dias Damasceno e de sua mulher, dona [15] Virgínia Cândida de Souza.50
Bisavós:
12 – Francisco de Paula Souza e Silva. Natural de Manhuaçu, Minas Gerais e foi casado com dona [13] Maria José de Araújo. Eram residentes nesta mesma Cidade.50
13 – Maria José de Araújo. Natural de Manhuaçu, Estado de Minas Gerais e foi casado com [12] Francisco de Paula Souza e Silva. Residiram nesta mesma Cidade.50
14 – João Dias Damasceno. Era natural de Carangola, Minas Gerais e foi casado com dona, [15] Virgínia Cândida de Souza. Moradores em Carangola.50
15 – Virgínia Cândida de Souza.
 Natural de Carangola, Minas Gerais e foi casada com [14] João Dias Damasceno. Moradores na cidade de Carangola.50
Vanor José Hisse de Castro e Niura da Silva Neves Hisse de Castro têm três filhas.50
V-1 Júlia Neves Hisse de Castro. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Solteira.50
V-2 Marina Neves Hisse de Castro. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
V-3 Vívian Neves Hisse de Castro. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo.50
IV-14 Marco Antônio Hisse de Castro. É o caçula dos filhos. Bacharel em Direito formado no ano de 2006, em São José dos Campos, Estado de São Paulo, pela Universidade do Vale do Paraíba. Nascido na cidade de Volta Grande, Estado de Minas Gerais e foi batizado na capela de Santa Úrsula, em São Martinho, Distrito de Providência, Município de Leopoldina, Minas Gerais. Ele se dedicou durante muitos anos ao radioamadorismo, pelo prefixo PY2MHC – São José dos Campos.50,105,164
Casou-se em São José dos Campos, com Adriane Clementino Brizola, que adotou o nome de Adriane Brizola Hisse de Castro. Ela é formada em Informática e natural da cidade de Siqueira Campos, Estado do Paraná. O casal reside em São José dos Campos, onde ele é funcionário de firma industrial.50
Ascendência da esposa:
1 – Adriane Brizola Hisse de Castro. É natural da cidade de Siqueira Campos, Estado do Paraná.50
Pais:
2 – Moacyr Ramos Brizola (28-03-1938―12-10-1970). Ele era natural de Ourinhos, Estado de São Paulo. Casado com dona [3] Rosalina Clementino Brizola. Ele era Fuzileiro Naval na cidade do Rio de Janeiro. Ele faleceu aos 32 anos, 6 meses e 14 dias de idade, na cidade de Siqueira Campos, Estado do Paraná. Era filho legítimo de [4] Moupir Brizola e de dona [5] Elisa Ramos Brizola.50
3 – Rosalina Clementino Brizola. Seu nome de solteira era: Rosalina Clementino de Souza. Natural de Natal, Estado do Rio Grande do Norte, filha legítima de [6] José de Souza e de [7] Maria Clementino de Araújo. Era casada com o Fuzileiro Naval [2] Moacyr Ramos Brizola, de quem ficou viúva em 12-10-1970, Segunda-feira, na cidade de Siqueira Campos, Paraná, onde residia.50
Avós paternos:
4 – Moupir Brizola. Natural do Estado do Paraná e casado com dona [5] Elisa Ramos Brizola. Comerciante, proprietário de uma panificadora em Ourinhos, Estado de São Paulo.50
5 – Elisa Ramos Brizola. Natural de Siqueira Campos, Estado do Paraná e casada com o comerciante [4] Moupir Brizola.50
Avós maternos:
6 – José de Souza. Natural do Rio Grande do Norte, casado com dona [7] Maria Clementino de Araújo.50
7 – Maria Clementino de Araújo. Casada com [6] José de Souza. Eram residentes no Estado do Rio Grande do Norte.50
Eles têm um casal de filhos.50
V-1 Sophia Brizola Hisse de Castro. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Solteira.50
V-2 Lucas Brizola Hisse de Castro. Natural de São José dos Campos, Estado de São Paulo. Solteiro.50
III-12 Lea Vasques de Castro. Filha legítima de Luiz Augusto Teixeira de Castro e de sua segunda mulher, Julieta Vasques de Castro. Filha caçula e última neta do patriarca Joaquim Antônio Teixeira de Castro. Nascida no dia 06-08-1917, segunda-feira, às 2 horas da madrugada, na sede da fazenda da Pedra, no Distrito de Espírito Santo de Água Limpa, atual Água Viva, Município de Estrela Dalva, Estado de Minas Gerais. Casou-se na cidade de Recreio, Minas Gerais, no dia 01-02-1937, segunda-feira, com o agricultor Orcy Theodoro de Cerqueira e adotou o nome de Lea Vasques de Castro Cerqueira. Ele nascido no dia 15-05-1910, domingo, em Muriaé, Estado de Minas Gerais, filho legítimo dos fazendeiros Antônio Cândido de Cerqueira e dona Antônia Theodora de Cerqueira. Eles após o casamento passaram a residir em Vermelho, no Município de Muriaé, até ano de 1947, quando resolveram migrar para o Estado de São Paulo; e o lugar então escolhido foi Araxans, no Município de Presidente Bernardes. No ano de 1958 transferiram-se para a sede do Município.14,50,55,75
Lea Vasques de Castro Cerqueira faleceu em Presidente Bernardes, Estado de São Paulo, no dia 21-03-1996, quinta-feira, aos 78 anos, 7 meses e 15 dias de idade e 59 anos, 1 mês e 20 dias de casada. Já Orcy Theodoro de Cerqueira faleceu aí no dia 31-03-2002, domingo, aos 91 anos, 10 meses e 16 dias de idade. Seus corpos jazem sepultados no Cemitério Municipal de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Eles tiveram onze filhos.50,231,297
IV-1 Lúcia de Castro Cerqueira. Natural de Muriaé, Estado de Minas Gerais. Mudou-se ainda criança com sua família para Araxans, Município de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Casou-se com o professor Dirceu Roberto e adotou o nome de Lúcia de Castro Cerqueira Roberto. Ela foi professora de português na Escola Estadual "Alferes Mário Pedro Vercellino", em Boituva, Estado de São Paulo.
Eles residem em Sorocaba, Estado de São Paulo.14,50,297
V-1 Marisa Cerqueira Roberto. Ela se casou na família Domingues e adotou o nome de Marisa Cerqueira Roberto Domingues. Oficial de Justiça na Comarca de Sorocaba, Estado de São Paulo, onde é residente e domiciliada.50,231,297
VI-1 Stella Cerqueira Domingues. Ela é natural de Sorocaba, Estado de São Paulo.231
V-2 Eduardo Cerqueira Roberto. Natural de Sorocaba, Estado de São Paulo, onde reside.50,231,297
V-3 Telma Cerqueira Roberto. Natural da cidade de Sorocaba, Estado de São Paulo. Desportista praticante de "mountain bike". Casada com o publicitário Fábio Malafaia Farinha, natural de Bagé, Estado do Rio Grande do Sul. Eles são residentes e domiciliados em Sorocaba. Têm um casal de filhos.50,231,297
VI-1 Felipe.231
VI-2 Júlia.231
V-4 Regina Cerqueira Roberto. Natural de Sorocaba, Estado de São Paulo. Ex-funcionária da Agência Nacional de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia. Casou-se com Keyla Alan Dawson e adotou o nome de Regina Cerqueira Roberto Dawson. Eles moram em Orlando, Estado da Flórida, Estados Unidos da América. O casal tem filhos.50,231,297
IV-2 José de Castro Cerqueira. Advogado, nascido no dia 16-02-1940, sexta-feira, em Muriaé, Estado de Minas Gerais. Mudou-se com a família ainda criança para Araxans, Município de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Casou-se com dona Neusa Ester de Toledo, que adotou o nome de Neusa Ester de Toledo Cerqueira. Casal residente e domiciliado em Presidente Prudente, Estado de São Paulo. Ele faleceu na manhã do dia 18-10-2012, quinta-feira, aos 72 anos, 8 meses e 2 dias de idade. Seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal São João Batista (quadra 58, lote 28), na cidade de Presidente Prudente.14,50,106,297
V-1 Marcelo de Toledo Cerqueira. Advogado, natural de Presidente Prudente, Estado de São Paulo. Casado com dona Luciana de Toledo Cerqueira. Residentes e domiciliados nesta mesma Cidade, onde o Doutor Marcelo é também professor da Unitoledo.231,297
VI-1 Vitor Henrique Gomes de Toledo Cerqueira. Ele é advogado, natural de Presidente Prudente, Estado de São Paulo, onde é morador.231,297
VI-2 Lucas Otavio Gomes de Toledo Cerqueira. Ele é médico, natural de Presidente Prudente, Estado de São Paulo, onde é morador.231,297
V-2 Debora de Toledo Cerqueira. Natural de Presidente Prudente, Estado de São Paulo. Ela é formada em Fisicoterapia e Terapia Ocupacional. Moradora nesta mesma Cidade.231,297
V-3 Luciano de Toledo Cerqueira. Advogado e também empresário, natural de Presidente Prudente, Estado de São Paulo. Residente e domiciliado nesta mesma Cidade.231,297
V-4 Luis Antonio de Toledo Cerqueira. Ele é natural de Presidente Prudente, Estado de São Paulo. Faleceu aí no dia 06-03-1973, terça-feira; e seu corpo jaz sepultado no Cemitério Municipal São João Batista, nesta mesma Cidade.231,297
V-5 Otavio de Toledo Cerqueira. Natural de Presidente Prudente, Estado de São Paulo, onde faleceu no dia 26-03-1978, domingo; tendo o seu corpo sido sepultado no Cemitério Municipal São João Batista, desta mesma Cidade.231,297
IV-3 Maria de Castro Cerqueira. Natural de Muriaé, Estado de Minas Gerais. Mudou-se com a família ainda muito nova para Araxans, Município de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Formou-se como Normalista. Ela é professora estadual aposentada, residente na cidade de São Roque, Estado de São Paulo. Solteira.50,231,297
IV-4 Lea de Castro Cerqueira. Natural de Muriaé, Estado de Minas Gerais. Veio ainda muito novinha com a família para Araxans, Município de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Fez cursos de Normalista e Pedagogia. Casou-se com Ziegfried Gorte e adotou o nome de Lea de Castro Cerqueira Gorte. Ela é professora aposentada. O casal mora atualmente em Atibaia, Estado de São Paulo.50,231,297
V-1 Claudia Cerqueira Gorte. Ela é natural da cidade de Guarulhos, São Paulo. Professora e pedagoga, contraiu matrimônio na família Alves e adotou o nome de Claudia Cerqueira Gorte Alves. Ela é residente e domiciliada em Apucarana, Estado do Paraná.50,231
VI-1 Fernanda Cerqueira Gorte.50,231
VI-2 Guilherme.231
VI-3 Gabriel.231
V-2 Adriana Cerqueira Gorte. Ela é casada com o Luiz Antônio Nunes. O seu nome de casada é: Adriana Cerqueira Gorte Nunes.50,231
V-3 Maria Helena Cerqueira Gorte. Advogada, casada com Maurício Martins; sendo, Maria Helena Cerqueira Gorte Martins, o seu nome de casada. Mora em Atibaia, Estado de São Paulo.50,231
VI-1 Caio.
IV-5 Julieta de Castro Cerqueira. Natural de Muriaé, Estado de Minas Gerais. Veio ainda bebê com a família para Araxans, Município de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Casou-se com Fernando Motonobu Mizobuchi e adotou o nome de Julieta de Castro Cerqueira Mizobuchi. O casal reside em Bauru, Estado de São Paulo.50,297
V-1 Cesar Cerqueira Mizobuchi. Ele é natural de Bauru, Estado de São Paulo. Médico radiologista, casado com a fonoaudióloga Fabiane Elias Mizobuchi, natural da cidade de Santos. São residentes e domiciliados em Itapeva, São Paulo.50,231,297
VI-1 Luis Fernando.231
VI-2 Maria Luisa.231
V-2 Renato Cerqueira Mizobuchi. Natural da cidade de Bauru, São Paulo. Formou-se em Odontologia e é especialista em Ortodontia.231
V-3 Fernando Cerqueira Mizobuchi. Ele é natural de Bauru, São Paulo. Formado em Medicina pela Universidade Camilo Castelo Branco – Unicastelo, de Itaquera, São Paulo. Casado com dona Lilian Teixeira. Ele é médico clínica geral residente e domiciliado em Porto Feliz, Estado de São Paulo.231
V-4 Léa Eiko Cerqueira Mizobuchi. Natural da cidade de Bauru, Estado de São Paulo. Ela é formada em Enfermagem pela Universidade Paulista.231
IV-6 Luiz Antônio de Castro Cerqueira. Ele é médico residente e domiciliado em Itapeva, São Paulo e natural de Presidente Bernardes, São Paulo. Casou-se com a pedagoga Márcia Maria Sandoval, que adotou o nome de Márcia Maria Sandoval Cerqueira. Esta, filha legítima de Antônio Sandoval, já falecido, e de dona Clara Sandoval.50,297
V-1 Daniel Sandoval Cerqueira. Médico cirurgião geral, natural de Itapeva, Estado de São Paulo. Ele é casado com Carola Machado Cerqueira, psicóloga, natural de Ribeirão Preto, São Paulo. Eles são residentes e domiciliados nesta mesma cidade.50,297
V-2 Thales Sandoval Cerqueira. Natural de Itapeva, São Paulo. Casou-se com Fabiana Fumi Sasaki, que adotou o nome de Fabiana Fumi Cerqueira Sasaki; filha legítima de Kazunoshim Sasaki e de Marta Sumico Awaihara Sasaki. Ambos são engenheiros agrônomos com mestrado em Fisiologia e Bioquímica de Plantas, diplomados em Piracicaba, Estado de São Paulo, pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", da Universidade de São Paulo.50,231,297
V-3 Raul Sandoval Cerqueira. Natural de Itapeva, São Paulo. Ele formou-se em Engenharia Civil, pela Faculdade de Engenharia da Universidade de Campinas, Estado de São Paulo. Casado, sua esposa chama-se Renata.50,231
V-4 Flavia Sandoval Cerqueira. Natural de Itapeva, São Paulo. Casada, seu marido chama-se Rafael.50,231
IV-7 João. Nascido no ano de 1950 em Presidente Bernardes, Estado de São Paulo, e aí falecido em tenra idade.50
IV-8 Maria Aparecida de Castro Cerqueira. Ela é natural de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Casou-se com Clemente Lario Morata e em virtude do matrimônio passou a ter o nome de Maria Aparecida de Castro Cerqueira Lario. Ambos professores estaduais em Itapeva, Estado de São Paulo; e já aposentados.50,231,297
V-1 Márcio de Cerqueira Lario. Residente e domiciliado na Capital Paulista. Formado em Engenharia de Materiais no ano de 1995 pela UFSCar ― Universidade Federal de São Carlos.50,231,297
V-2 Fábio de Cerqueira Lario. Ele é médico na Capital Paulista com especialização em Clínica Médica, Cardiologia e Ecocardiografia. Ele é casado com dona Gláucia.50,231,297
V-3 Rogério de Cerqueira Lario. É engenheiro mecânico formado no ano de 1999, em Bauru, São Paulo, pela UNESP ― Universidade Estadual Paulista. Residente e domiciliado em São José dos Campos, Estado de São Paulo.50,231,297
IV-9 Maria Antônia de Castro Cerqueira. Ela é natural de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Casou-se nesta mesma Cidade com José Pecin e adotou o nome de Maria Antônia Cerqueira Pecin. Ele nascido no dia 05-08-1947, terça-feira, em Caiuá, Estado de São Paulo.50,297
O José Pecin faleceu no dia 02-07-2012, segunda-feira, em Presidente Bernardes, Estado de São Paulo, aos 64 anos, 10 meses e 27 dias de idade, e após 40 anos e 6 meses de casado. Seu corpo foi sepultado no dia seguinte no Cemitério de Presidente Bernardes.50,231
A viúva Maria Antônia Cerqueira Pecin é microempresária em Presidente Bernardes.50
Ascendência do marido:
1 – José Pecin (05-08-1947—02-07-2012).50
Pais:
2 – João Pessin. Nascido no dia 10-03-1910, quinta-feira, em Monte Azul Paulista, Estado de São Paulo. Casado com dona [3] Ida Zuchi. Era filho de [4] Domingos Pessin e de sua mulher, [5] Julia Tezzini.50
3 – Ida Zuchi. Natural de Caiuá, Estado de São Paulo. Era filha do senhor [6] Primo Zuchi. Casada no dia 29-07-1933, sábado, em Caiuá, com o [2] João Pessin.50
Avós paternos:
4 – Domingos Pessin. Natural da Itália. Casado na cidade de Araraquara, São Paulo, com dona [5] Julia Tezzini. Ele era filho de [8] Antonio Pessin.50
5 – Julia Tezzini. Casada em Araraquara, São Paulo, com [4] Domingos Pessin.50
Avós maternos:
6 – Primo Zuchi.50
7 – ....................50
Bisavós:
8 – Antonio Pessin. Natural da França, que emigrou para a Itália e se casou na cidade de Treviso.50
9 – .................... Natural da Itália.50
Filhos:
V-1 Eliza Cerqueira Pecin. Ela é natural de Presidente Prudente, São Paulo, onde é residente e domiciliada. gerente regional de empresa de cosmético.50,231,297
V-2 Roberto Cerqueira Pecin. Ele é nascido na cidade de Presidente Bernardes, São Paulo, no dia 26-12-1973, quarta-feira e falecido aí no dia 27-12-1973, quinta-feira.50
V-3 Maria de Fátima Mendonça. Natural de Mirante do Paranapanema, São Paulo. Filha de criação.50
V-4 Vilma Alves Rosa Coimbra. Natural de Presidente Bernardes, São Paulo. Filha de criação.50
V-5 Sonia Cerqueira Pecin. Ela é natural de Presidente Bernardes, São Paulo. Professora estadual, casou-se com o seu conterrâneo Gallydulcidio Gorostidy Menna Barreto e adotou o nome de Sonia Cerqueira Pecin Menna Barreto. Eles são moradores em Presidente Bernardes.50,231
V-6 Marina Cerqueira Pecin. É de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Casou-se com Rogério Aparecido Fernandes Pereira e adotou o nome de Marina Cerqueira Pereira. Mora em Presidente Prudente, São Paulo. Têm uma filha.50,231
V-7 Luciana Cerqueira Pecin. Ela é natural da cidade de Presidente Epitácio, Estado de São Paulo. Casou-se com José Eduardo d'Arce Pinheiro e virtude do matrimônio adotou o nome de Luciana Cerqueira Pecin d'Arce Pinheiro. Têm um casal de filhos.50,231
V-8 Rodrigo Cerqueira Pecin. Ele é natural da cidade de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo. Advogado nesta mesma Cidade.50,231
V-9 José Thiago Cerqueira Pecin. Natural da cidade de Cascavel, Estado do Paraná. Ele mora em Presidente Bernardes, Estado de São Paulo.50,231
IV-10 Marcos Eduardo de Castro Cerqueira. Ele é natural de Presidente Bernardes, São Paulo. Engenheiro residente e domiciliado na Capital Paulista, onde é funcionário da firma Multiteste Telecom. É casado com dona Maria de Lourdes Jamarino, que adotou o nome de Maria de Lourdes Jamarino Cerqueira.50,231,297
V-1 Gustavo Jamarino Cerqueira. É cirurgião-dentista com pós-graduação em Endodontia. Residente e domiciliado na Capital Paulista. Casado com dona Karina Nathalia, natural desta mesma Capital.50,231
V-2 Lucas Jamarino Cerqueira. Ele é natural da cidade de Itapeva, Estado de São Paulo. Residente e domiciliado em São Paulo Capital.
V-3 Rafael Jamarino Cerqueira. Natural da cidade de Itapeva, Estado de São Paulo.
IV-11 Carlos Alberto de Castro Cerqueira. Ele é natural de Presidente Bernardes, Estado de São Paulo, nascido no dia 26-03-1959, quinta-feira. Médico formado em cardiologia e especializado em Angiologia, estabelecido em Itapeva, Estado de São Paulo.50,231,297
Ele faleceu na madrugada do dia 19-08-2012, domingo, em Ourinhos, Estado de São Paulo, depois de sofrer um infarte no dia anterior no momento em que estava viajando. Contava 53 anos, 4 meses e 24 dias de idade e seu corpo foi sepultado no dia seguinte no Cemitério Municipal de Itapeva. Ele era casado com dona Sílvia do Amaral Cerqueira. Deixou um casal de filhos. Foi homenageado pela municipalidade de Itapeva, que deu o seu nome a uma fundação em 2015 da área da saúde: o "Espaço de Convivência Doutor Carlos Alberto de Castro Cerqueira".50,231
V-1 Camila do Amaral Cerqueira. Natural de Itapeva, Estado de São Paulo. Bacharela em Direito.50,231,297
V-2 Dimas do Amaral Cerqueira. Natural de Itapeva, São Paulo. Mora em Jundiaí, São Paulo.50,231,297



Fontes:
1 – Informações colhidas pelo autor no Estado de Minas Gerais, junto a alguns netos paternos do patriarca Joaquim Antônio Teixeira de Castro.
2 – Presidência da República, Casa Civil, Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, Brasil: coleção nº 415, volume nº 1, folhas 200 a 201 verso: “Lista dos passageiros que da Cidade do Porto conduz para a Cidade do Rio de Janeiro, a galera portuguesa Lusitano – capitão Antônio Ferreira Nunes.”
3 – Presidência da República, Casa Civil, Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, Brasil: volume 8 do códice 381, folhas 186 verso, do fundo Polícia da Corte – Certidão de Joaquim Teixeira, datada de 08 de março de 1837. "Em cumprimento ao despacho exarado no requerimento de Luiz Fernando Hisse de Castro, autuado sob o número 211, em 24 de maio de 2004, no qual solicita certidão de Joaquim Teixeira, registrada à folhas 186 verso, do códice 381, volume 8, do fundo Polícia da Corte, Certifico que, revendo o referido documento arquivado nesta Coordenação, deles consta o seguinte: 'Joaquim Teixeira natural de Galicia idade de 18 anos solteiro sem arrumação mora por ora na Lapa do Desterro no 19 em hua Padaria vindo de Lisboa digo do Porto na Galera Luzitano entrado em Fevereiro 1837 apresentou Passaporte. Joaquim Teixeira'. Na margem direita consta: 'Estatura ordinaria trigueiro cabelos castanhos olhos pardos naris e boca regular s. b. r. e.' Em tempo: a palavra digo consta no original. E para constar onde convier, eu, Maria da Gloria Francisco dos Santos, técnico de arquivo – NI–BVI, passei a presente certidão que assino. Maria da Gloria Francisco dos Santos. E eu, Fátima Maria Fontoura da Silva, especialista de nível médio – NI–BVI, a conferi e assino. Fatima Maria Fontoura da Silva. Rio de Janeiro, 24 de junho de 2004. Sandra Silva Pinto, substituta eventual do coordenador da Coordenação de Documentos Escritos do Arquivo Nacional."
4 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Praça da Matriz, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Casamentos nº 1-A, folhas 33 verso: casamento de Mariano Carvalho da Costa com Maria Joaquina de Castro, celebrado em 27-11-1872.
5 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida. Livro de Óbitos nº 08-C, folhas 121 verso, termo 63: óbito de Maria Joaquina de Castro ocorrido em 22-11-1941, aos 100 anos de idade.
6 – Arquivo da Paróquia de Jesus Menino Deus de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Casamentos nº 1, folhas 81 e verso, da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista: casamento de João Zeferino de Azevedo Castro com Leopoldina Telles de Freitas celebrado em 21-07-1885.
7 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida. Livro de Óbitos nº 07-C, folhas 70 verso, termo 254: óbito de João Zeferino de Azevedo Castro ocorrido em 22-05-1935, aos 91 anos de idade.
8 – CASTRO, Celso Falabella de Figueiredo — "Os Sertões de Leste – Achegas para a história da Zona da Mata", Segunda Edição Revista e Ampliada, 199 páginas, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, 2001. Vide capítulo XI, página 68.
9 – Arquivo do Segundo Cartório de Notas da Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Inventário de Carolina Augusta de Siqueira Castro falecida no dia 14 de novembro de 1880 – maço nº 9. Lavrado no período compreendido entre 22 de março de 1881 e 04 de novembro de 1882, tendo como inventariante: o viúvo Joaquim Antônio Teixeira de Castro. E que foram citados como Herdeiros: o viúvo Joaquim Antônio Teixeira de Castro; e os filhos com seus respectivos cônjuges: Antônio Augusto Teixeira de Castro e sua mulher Martiniana Maria de Jesus; Maria Luiza de Castro Brum e seu marido Antônio Olímpio do Canto Brum; José Teixeira de Castro; Joaquim Antônio Teixeira de Castro; e Luiz Augusto Teixeira de Castro.
10 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Angustura. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Óbitos nº 2-C, folhas 92 verso, termo 23: óbito de Joaquim Antônio Teixeira de Castro ocorrido em 31-01-1893, em São Luiz, localidade esta, que a partir de 01-01-1944, teve o nome mudado para Trimonte, Distrito pertencente hoje ao Município de Volta Grande e Comarca de Além Paraíba.
13 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Praça da Matriz, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Livro de Óbitos nº 1 – óbito de Maria Joaquina do Espírito Santo: 7/5/1865 - Sepultada no cemiterio de Madre de Deus do Angu Maria Joaquina do Espirito Santo, branca, natural da cidade de Barra Mansa, Provincia do Rio de Janeiro e moradora nesta freguezia na idade de 24 anos casada com Joaquim José de Freitas, natural do Reino de Portugal.
14 – Informações fornecidas no ano de 1995, pela senhora Maria da Conceição Siqueira Castro, viúva de José Vasques de Castro, residente em Volta Grande, Minas Gerais.
15 – MACHADO, Attila Augusto Cruz, — "Os Côrtes – Descendência de Antônio Gonçalves Côrtes e Ana Gonçalves Rodrigues" – 376 páginas – Rio de Janeiro (RJ), Brasil – 2006. Vide a ascendência até então inédita desta família Côrtes fixada em Minas Gerais, Brasil; e de seus descendentes.
16 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-324969-35?cc=2177275&wc=M9WT-7RG : accessed 24 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Matrimônios 1795, Dez-1812, Nov > image 72 of 135; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Eis os dados do assento do matrimônio de Manuel Antunes de Sequeira com Ana Maria Joaquina de Santa Rosa:
Manoel Antunes de Sequeira – E Anna Maria Joaquina
Curral Velho
Aos cinco de Novembro de mil oitocentos, e quatro annos despois de feitas as denunciaçaens na forma do Sagrado Consilio Tridentino, e Constituiçoens deste Bispado sem se descobrir impedimento algum, e com Provizaõ do Reverendo Doutor Vigario da Vara desta Comarca na Ermida da Senhora das Dores do Curral Velho felial desta Matris o Padre Antonio Gonçalves Correa de licença minha aSestio ao Sacramento do Matrimonio dos Contraentes o Alferes Manoel Antunes de Sequeira filho legitimo do Capitam Francisco Antunes de Sequeira, e de Dona Theodozia Dias natural da freguezia da Villa de Quelus = E Anna Maria Joaquina de Santa Roza filha legitima de Manoel Francisco Roza, e de Dona Maria do Rozario natural desta freguezia; e lhes deo as bençaons nupceaes na forma do Ritual Romano do que foraõ testemunhas Manoel Moreira de Faria, Antonio Antunes de Sequeira, de que mandei fazer este acento que aSignei
O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
17 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321697-12?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 11 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 54 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Folhas 49=50 do livro de Batizados número 8. Assento de batismo de batismo de Francisco Antunes de Sequeira:
Francisco
Boa Vista
Aos doze de Julho de mil oitocentos, e oito anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Jozé Dias de Carvalho de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Francisco inocente filho legitimo de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria de Santa Roza, foraõ Padrinhos Guilherme Francisco Roza, e Maria Eufrazia todos desta freguezia de que mandei fazer este acento.
O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
18 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-309060-39?cc=2177275&wc=M5FL-6TL:369859001,369593702,370069801 : accessed 9 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Prados > Nossa Senhora da Conceição > Batismos 1798, Abr-1817, Ago > image 170 of 272; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento de batismo de Francisca Carolina Gonçalves Côrtes:
Ermida do Bandeira
Francisca
Aos quinze de Junho de mil oitocentos e dez na Ermida do Bandeira freguezia da Vila de Barbacena o Reverendo Antonio Rodrigues Lobato de licença minha baptizou e pos os Santos oleos a Francisca inocente filha legitima do Alferes Francisco Gonsalves Couto e Dona Anna Zeferina Côrtes desta freguezia de Prados meos parochianos foraõ padrinhos o Reverendo Manoel Gonsalves Couto e Dona Maria Angelica sua maĩ moradores na freguezia de Itaverava e para constar mandei fazer este assento que assignei
O Vigario Jozé Gonçalves Torres
19 – ALMEIDA, Joaquim Rodrigues de – "Quincas Almeida – "Livro do Acervo da Biblioteca Antônio Perdigão" – Museu e Arquivo da Cidade de Conselheiro Lafaiete, Minas Gerais, Brasil – Direção de Célio Brás de Sousa Faria – Doação de Walter Andrade de Souza, em 11 de março de 1988. Citações.
20 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321517-31?cc=2177275&wc=M97B-WVW : accessed 25 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1798, Jun-1809, Jul > image 250 of 288; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento de batismo de Manuel Antunes de Sequeira:
Manoel – Boa Vista
Aos quatro de Mayo de mil oitocentos, e seis anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matris de Barbacena o Padre Antonio Gonçalves Correa de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Manoel inocente filho legitimo de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Joaquina de Santa Roza: foraõ Padrinhos Costodio Antunes de Sequeira e Dona Maria do Rozario viuva, e Avó nasceu a 22 de Abril de que mandei fazer este acento.
O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
21 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321773-17?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 25 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 8 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Assento do batismo de Maria Carolina do Rosário:
Maria
Boa vista
Aos dois de Abril de mil oitocentos, e sete anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Antonio Gonçalves Correa, de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Maria inocente filha legitima de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria Joaquina: foraõ Padrinhos Antonio Antunes de Sequeira, e Eufrazia Maria Francisca Tios da batizada de que mandei fazer este acento.
O Vigario Dom Agostinho Pitta de Castro.
22 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321741-35?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 25 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 100 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Assento de batismo de Ana Antunes de Sequeira:
Anna
Matris
Aos vinte oito de Setembro de mil oitocentos, e nove anos nesta Matriz de Barbacena batizei, e pus os Santos Oleos a – Anna inocente filha legitima de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria de Santa Roza: foraõ Padrinhos Manoel Moreira de Souza cazado, e Theodozia Dias Pereira viuva ambos da freguezia de Quelus nasceu a sete de Setembro do que mandei fazer este acento.
O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armond.
23 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321975-17?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 16 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 214 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Assento de batismo de Eufrásia Felismina:
Eufrazia
Boa vista
Aos doze de Maio de mil oitocentos, e onze anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Antonio de Campos Maciel de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Eufrazia inocente filha legitima de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria: foraõ Padrinhos Antonio do Reis Silva, e sua mulher Dona Maria Clara da freguezia de Saõ Joaõ de que mandei fazer este acento.
O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armond.
24 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-321975-17?cc=2177275&wc=M5FL-PT5:369591901,369591902,370096801 : accessed 16 December 2014), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Batismos 1803, Jan-1811, Fev > image 214 of 222; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Assento de batismo de Custódio José Antunes de Sequeira:
Costodio
Boa vista
Aos vinte oito de Fevereiro de mil oitocentos, e treze anos na Capela de Santa Anna da Boa vista filial desta Matriz de Barbacena o Padre Antonio de Campos Maciel de licença minha batizou, e pos os Santos Oleos a – Costodio inocente filho legitimo de Manoel Antunes de Sequeira, e de Anna Maria: foraõ Padrinhos Costodio Antunes de Sequeira, e Dona Maria do Rozario, viuva.
O Vigario Jozé Joaquim Ferreira Armond.
25 – SILVA, Artur Vieira de Rezende e (02-06-186816-10-1945) – "Genealogia Mineira", 4 Volumes totalizando 1748 páginas (Volume 1, com 274 – Volume 2, com 328 – Volume 3, com 810 – Volume 4, com 336), Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil, 1937 a 1939. Citações:
• Antônio dos Reis e Silva:
Volume 3: Página 14.
• Gervásio Pereira de Rezende Alvim:
Volume 3: Páginas 332, 333, 334 e 335, Capítulo II; Página 336, §1º; Página 378, 8; Página 389, 9;
Volume 4: Página 216, §11º, 1.
26 – Internet, web — Projeto Compartilhar – sob coordenação de Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira. Citação.
Testamento e Inventário do capitão-mor Gervásio Pereira de Alvim.
Arquivado no Museu Regional de São João del-Rei, Estado de Minas Gerais.
Ano: 1837 – Caixa: 11-03.
Inventariante: Francisca Cândida de Resende.
Localidade: Vila de São José (atual Tiradentes).
Baseado em transcrição feita por Edriana Aparecida Nolasco a pedido do Doutor Aristóteles Rodrigues, residente em Juiz de Fora, Minas Gerais.
27 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-279743-56?cc=2177275&wc=M9WT-ZNS:2065263810 : accessed 26 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Prados > Nossa Senhora da Conceição > Matrimônios 1779, Maio-1822, Jan > image 154 of 249; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais]. Assento do matrimônio de Francisco Gonçalves Couto com Ana Zeferina Côrtes:
Bandeira
Francisco Gonçalves Coito e Anna Zeferina Côrtes.
Aos des de Maio de mil oito centos e oito, na Ermida do Bandeira, Freguezia da Villa de Barbacena, feitas as denunciaçoens na forma do Sagrado Concilio Tridentino, e Constituiçaõ, e precedendo provizaõ de habilitaçaõ do Muito Reverendo Doutor Marcos Antonio Monteiro, Vigario da Vara desta Comarca, de Licença minha, na prezença do Reverendo Manoel Gonçalves Coutto, e das testemunhas, que se achavaõ prezentes o Capitaõ Joze Pereira Alvim, Joaquim Rodrigues Valle, e outras mais, se cazaraõ por palavras de prezente, et in facie Eclesiæ Francisco Gonçalves Coito, filho legitimo do Guarda mor Manoel Gonçalves Coito, e Dona Marianna Angelica Gonçalves, natural, e baptizado na Capella da Espera, da Freguezia da Itaverava, donde he morador, com Anna Zeferina Côrtes, filha legitima de Antonio Gonçalves Côrtes, e Anna Gonçalves Rodrigues, natural, e baptizada nesta Freguezia de Prados, donde he moradora; e logo lhes deo as bençoens nupciaes na forma do Ritual Romano: e para constar mandei fazer este assento, que assignei era ut Supra.
O Vigario Joze Gonçalves Torres
28 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-1-159393-324578-10?cc=2177275&wc=M5FL-YWT:369591901,369591902,370383801 : accessed 10 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Óbitos 1750, Set-1768, Abr > image 131 of 186; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Francisca Pereira da Silva
Matris
Aos dez dias do mez de Setembro de mil e Sete Centos e Sessenta e Sinco annos faleceu da vida prezente de morte repentina e por isso sem Sacramentos Francisca Pereira da Silva mulher de Jacó Dias de Carvalho foi por mim emcomendada e acompanhada e demais Sacerdotes que todos lhe disseraõ Missa de Corpo prezente, e das Irmandades do Santissimo e Almas conduzida na Sua Tumba, amortalhada no Abito de Saõ Francisco e sepultada dentro desta Matris de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo, e se lhe fez officio de Corpo prezente de sete Padres; de que fiz este aSento
O Vigario Feliciano Pitta de Castro.
29 – SIGAUD, José Côrtes e CÔRTES, Agostinho Teixeira – "Entrelaçamento Genealógico das Famílias Teixeira, Figueiredo e Côrtes" – São Paulo – SP, Brasil, 1968.
30 – ASSIS, João Paulo Ferreira de – "Revista Pólis 30", Rua Coronel Belisário Moreira 86, CEP 36270-000 – Ressaquinha, Estado de Minas Gerais, Brasil. Citações:
• Agostinho José Frederico de Castro:
Número 37, fevereiro de 2002, páginas 19 e 20.
• Andreza Dias de Carvalho:
Número 6, mês de julho de 1999, página 6;
Número 20, setembro de 2000, página 13;
Número 35, dezembro de 2001, página 24.
• Antônio Francisco de Oliveira:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Bárbara Correia:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Bernarda de Castro:
Número 37, fevereiro de 2002: página 20.
• Domingos dos Reis e Silva:
Número 20, setembro de 2000, página 13;
Número 35, dezembro de 2001, página 24.
• Francisco Antunes de Sequeira, filho de Francisco Antunes e Isabel de Cerqueira:
Número 26, março de 2001, página 4;
Número 40, maio de 2002, páginas 13 e 27;
Número 41, junho de 2002, página 1.
• Helena Josefa Correia da Gama:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Inácia Quitéria de Almeida e Gama:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Joana Batista do Vale:
Número 37, fevereiro de 2002, páginas 19 e 20.
• João Maquieira:
Número 36, janeiro de 2002: páginas 18 e 19;
Número 37, fevereiro de 2002: página 19.
• Lourenzo Maquieira:
Número 37, fevereiro de 2002: página 20.
• Luiz de Almeida Ramos – capitão:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Manuel de Paiva Muniz:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Manuel Gomes Villas Boas – capitão:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Manuel João Muniz:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Maria de Paiva:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Maria Inácia Ferreira:
Número 36, janeiro de 2002: páginas 18 e 19;
Número 37, fevereiro de 2002: página 19.
• Maria Ramos da Costa:
Número 41, junho de 2002, página 20.
• Teodósia Dias Pereira:
Número 21, outubro de 2000, páginas 19;
Número 40, maio de 2002, página 13;
Número 41, junho de 2002, páginas 1 e 2.
31 – LEME, Luís Gonzaga Silva (03-08-1852–13-01-1919) – "Genealogia Paulistana", 9 volumes, Duprat & Cia, ano de 1904, São Paulo (SP), Brasil. Vide volume V, título Toledos Pizas: no capítulo 1º, §1º, 2-1, página 448; e no capítulo 3º, §1º, 4-2, página 518.
32 – SILVA, Artur Vieira de Resende e (02-06-186816-10-1945) – "Genealogia Mineira", 4 volumes, Imprensa Oficial de Minas Gerais, Belo Horizonte, anos 1937 e 1939. Citações:
• Ana Francisca de Ávila e Silva: volume II, 26, 57, e 59; III, 257 (1);
• Antônio Agostinho Lobo Leite Pereira: volume II, 221 (capítulo V); III, 257 (1);
• Diogo Garcia: volume III, página 224, título I, capítulo IX, §10.
• Estêvão Ribeiro: volume III, 13, Título I.
• Helena Maria: volume III: 11 a 12; 753 a 758, 764 a 768, 770 a 772, 775 a 779, 782, Documentos; volume IV: 216, §11º, 1.
• João de Rezende Costa: volume III: 11 a 12; 753 a 758, 764 a 768, 770 a 772, 775 a 779, 782, 784, Documentos; volume IV: 216, §11o, 1.
• Josefa Maria de Rezende: volume III, 12, 13 a 16 (título I), 115 (8,1), 754, 763, 766, 771, 777, 779 (Documentos).
• Júlia Maria da Caridade: volume III, 11, 756, Documentos;
• Leonarda Maria de Souza: volume III, 13, Título I.
• Manuel Gonçalves Couto: volume II, 101 (capítulo II), 107 (9), 126 (capítulo V);
• Maria Angélica Gonçalves: volume II, 101 (capítulo II).
• Severino Ribeiro (coronel): volume III, 13 (título I), 115 (8,1), 761, 772, 774, 780, 784 (Documentos).
33 – "Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999," images, FamilySearch (https://familysearch.org/pal:/MM9.3.1/TH-266-12315-1825-64?cc=2177275&wc=M5N3-PTT:369591901,369591902,369900801 : accessed 29 March 2015), Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Brasil, Minas Gerais, Registros da Igreja Católica, 1706-1999 > Barbacena > Nossa Senhora da Piedade > Matrimônios 1752, Out-1781, Fev > image 64 of 238; Paróquias Católicas, Minas Gerais [Catholic Church parishes, Minas Gerais].
Francisco com Theodozia dias Pereira
Aos oito dias do mez de Fevereiro de mil settecentos e sessenta e dois annos na Ermida ou oratorio de Nossa Senhora do Rozario em casa de Jacó dias filial desta matris de Nossa Senhora da Piedade da Borda do Campo pellas onze oras da manhã feitas as denunciaçoens na forma do Sacro Concilio Tridentino, e Constituiçaõ, sem se descobrir Impedimento algum e com Provizaõ do Reverendo Doutor Theodoro Ferreira Jacome vigario geral deste Bispado na prezença do Reverendo Padre Manoel Ferreira Coelho com licença minha se cazaraõ em face da Igreja palavra de prezente Francisco Antunes de Cerqueira natural da freguezia de Nossa Senhora da Asunçaõ de Boim da nobre Arcebispado de Braga filho legitimo de Francisco Antunes, e de Izabel de Cerqueira, com Theodozia dias Pereira natural e batizada nesta freguezia filha legitima de Jacó Dias de Carvalho e de Francisca Pereira serviraõ de testemunhas Manoel Lourenço Barros e Joze de Crasto Pinto que aSignaraõ ao pé da Certidaõ que nas costas da Provizaõ passou o Reverendo Padre que assistio ao Sacramento o qual lhe deo as bençoens na forma do Ritual Romano de que fiz este aSento
O vigario Feliciano Pitta de Castro.
34 – ASSIS, João Paulo Ferreira de – "Revista Pólis 30", Rua Coronel Belisário Moreira 86, CEP 36270-000 – Ressaquinha, Estado de Minas Gerais, Brasil. Citações:
• Ana Francisca da Fontoura:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
• Ana Francisca Garcia:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27;
• Ana Gonçalves Rodrigues:
Número 41, junho de 2002, página 27.
• Ana Pereira Maciel:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27.
• Catarina Correia de Lemos:
Número 41, junho de 2002, página 3.
• Catarina de Sousa Lima:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
• Cristóvão Garcia:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
• Diogo Arias de Aguirre:
Número 41, junho de 2002, página 3.
• Domingos Gonçalves Fontoura:
Número 20, setembro de 2000, página 13.
• Francisca Pereira:
Número 41, junho de 2002, página 3.
• Francisca Pereira da Silva:
Número 20, setembro de 2000, página 13.
• Isabel Ribeira:
Número 41, junho de 2002, páginas 23, 27 e 29;
Número 44, setembro de 2002, página 27.
• Isabel Ribeiro Lima:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27;
Número 44, setembro de 2002, página 24.
• João Dias Soldado:
Número 41, junho de 2002, páginas 2 e 3.
• João Pereira Temudo:
Número 44, setembro de 2002, página 24.
• Joana de Aguirre:
Número 5, junho de 1999, páginas 7, 8 e 9;
Número 41, junho de 2002, páginas 2, 3 e 4.
• João Machado Pestana:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27.
• João Rodrigues Vale:
Número 41, junho de 2002, páginas 23, 27 e 29;
Número 44, setembro de 2002, página 27.
• José Teixeira de Oliveira:
Número 5, junho de 1999, páginas 9;
Número 14, março de 2000, página 39.
• Lourenço Garcia Fontoura:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27;
Número 44, setembro de 2002, página 24.
• Luiz Rodrigues da Silva:
Número 41, junho de 2002, página 3.
• Madalena Pires:
Número 41, junho de 2002, páginas 2 e 3.
• Manuel Machado Pestana:
Número 41, junho de 2002, páginas 26 e 27.
• Manuel Pereira da Silva:
Número 5, junho de 1999, matriz, 1v, 1-A.
Número 5, junho de 1999, páginas 7, 8 e 9;
Número 17, mês de junho de 2000, página 17;
Número 41, junho de 2002, páginas 2, 3 e 4.
• Teresa Tavares:
Número 5, matriz, 1v, 1-A;
Número 5, junho de 1999, página 9;
Número 14, março de 2000, página 39;
Número 17, junho de 2000, página 17.
35 – ALBUQUERQUE, Pedro Wilson Carrano – "Encontro com os Ancestrais", 930 páginas, Brasília, Distrito Federal, 1999. Vide citações no Capítulo XXXIV – Árvore de Costado de Nicácio da Costa Matos. Vide páginas 513 a 541.
49 – Cartório de Registro Civil de Conceição da Boa Vista. Ofício de registro civil e tabelionato de notas de Conceição da Boa Vista, Município de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
50 – Informações gentilmente fornecidas ao autor pelos parentes pertencentes aos respectivos grupos familiares.
51 – Almanaque Laemmert – Ano de 1851, página 152. Vide citação referente a João Nunes Duarte – fazendeiro de café e Juiz de Paz da Freguesia de Arrozal, Província do Rio de Janeiro, Brasil.
52 – Livros da Paróquia de São Sebastião, arquivados na Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, Diocese de Leopoldina, situado à Praça do Rosário, Nº 110 – Comarca de Leopoldina, Minas Gerais, Brasil, CEP 36700-000 – Livro de casamentos nº 1, folhas 156, termo 109. Casamento de José Augusto de Castro com Francisca Alminda de Almeida, em 04 de setembro de 1886.
[Assento]
"Aos quatro de Setembro de mil oitocentos e oitenta e seis, perante o Reverendíssimo Padre José Francisco dos Santos Durães e as testemunhas João Carlos Gualberto d'Oliveira e João Ventura Ferreira Britto, receberam-se em matrimônio José Augusto de Castro e Francisca Alminda d'Almeida; ele, filho de Joaquim Antonio de Castro e Amelia Antunes de Siqueira*; ela, filha de Venancio José de Almeida Costa e Anna Paula de Senna. O Pároco: José Francisco dos Santos Durães.”
Nota do autor: O nubente José Augusto era o terceiro filho de Joaquim Antônio Teixeira de Castro e Carolina Augusta de Siqueira Castro, que falecera em 14-11-1880. Isto consta no seu registro de batismo na Paróquia de Angustura e também no inventário da Carolina Augusta de Siqueira Castro, no Fórum de Leopoldina. Portanto houve engano na colocação do nome Amélia Antunes de Siqueira no assento de casamento. O nome colocado por engano é na verdade o de sua tia materna, Eufrosina Amélia de Siqueira Apóstolo, que se casara em 24-01-1863 com o português, Domingos Antônio Apóstolo.
53 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Conforme dados das certidões extraídos pela secretária arquivista:
Aos 16 de Agosto de 1862, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente Jozé, nascido aos 10 de setembro de 1861. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Antonio Manoel Domingues e Maria Roza de Siqueira. E, para constar, lavrou-se este assentamento. Padre Pedro José da Costa.
-----------------------------------
Aos 22 de Março de 1865, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente ao inocente Francisco, nascido aos 18 de abril de 1863. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Francisco Antunes de Siqueira e Eufrosina Amélia de Siqueira. E, para constar, lavrou-se este assentamento. O Pároco: Padre Henrique de Souza Borges Accioli.
-----------------------------------
Aos 22 de Março de 1865, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente ao inocente Joaquim, nascido aos 18 de fevereiro de 1865. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Antonio de Pina Loureiro e Claudina Amalia Rosa. E, para constar, lavrou-se este assentamento. O Pároco: Padre Henrique de Souza Borges Accioli.
-----------------------------------
Aos 13 de Junho de 1868, na fazenda do Trimonte, batizei solenemente ao inocente Luiz, nascido a primeiro de Junho de 1867. Filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e de Carolina Augusta de Siqueira. Foram padrinhos: Luiz de Souza Brandão e Marceliana de Magalhães Brandão por procuração apresentada por Herculana Alexandrina Xavier de Mendonça. E, para constar, lavrou-se este assentamento. Padre José Manuel Esteves.
54 – Cartório de Registro Civil do 1º Subdistrito – Cartório Janete Kalil Salles, Barbacena, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro nº C-09, folhas 44 verso, termo 128. Certidão do Registro de Óbito de José Teixeira de Castro. "Certifica que, do livro número 09 do Registro de Óbitos, consta às folhas 44 verso, sob o número 128, o de José Teixeira de Castro, do sexo masculino, com cinquenta e um anos de idade, lavrador, casado. Faleceu no dia onze de abril de mil novecentos e treze, em consequência de arteriosclerose generalizada, conforme atestou o Doutor Alberto Machado. O cadáver foi sepultado no cemitério geral da Cidade.” O referido é verdade e dou fé. Barbacena, 16 de fevereiro de 1998.
Leila Chartone Simão Tavares – Substituta."
55 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida.
56 – PEREIRA, Mauro de Almeida – "Os Almeidas, os Britos e os Netos em Leopoldina-MG" – 124 páginas, Imprensa Oficial de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil, 1966. Citações.
57 – Internet, web — Estudos sobre a história de Leopoldina – contendo diversas páginas da historiadora Nilza Cantoni – endereço: http://www.cantoni.pro.br/ e nas suas demais publicações.
61 – Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, Sumidouro, Diocese de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Batizado de Maria Teresa Pacheco de Castro: Certifico que no livro 01 de assentamentos de batizados desta Paróquia, à folhas 101, consta que Aos 13 dias do mês de abril de 1873, foi batizada solenemente Maria, nascida em 22 de janeiro de 1873, filha legítima de Manoel Pacheco Vieira e Victoria Maria do Amarantes; sendo padrinhos: Manoel Pereira do Amarantes e Maria Soares do Amarantes. Vigário celebrante: Padre Alexandre Pires de Carvalho.” Do que dou fé. Sumidouro, 14 de janeiro de 1997. Maria Alves Penna Cordeiro. Pelo Pároco.
62 – Cartório de Registro Civil e Notas de Volta Grande. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil. Registros de Casamentos da extinta serventia de Registro Civil e Notas do Distrito de Trimonte. Livro nº 1, folhas 6 e verso, termo 8: "Certifico qua às folhas 6 e verso do livro Nº 1 (hum) de registro de casamentos foi lavrado o assento do matrimônio de Luiz Augusto Teixeira de Castro e Maria Pacheco Vieira, contraído perante o Juiz de Paz, senhor Gaspar Lopes dos Guimarães Suzano e as testemunhas Custodio Pereira da Costa e Manoel Soares de Gouvêa. Ele, nascido em São Luiz (Trimonte), Minas Gerais, com 24 anos de idade, domiciliado e residente no Distrito de São Luiz (Trimonte), e de Carolina Augusta de Siqueira Castro, falecida. Ela, nascida em Sumidouro (RJ), com 18 anos de idade, domiciliada e residente, no Distrito de São Luiz (Trimonte), filha de Manoel Pacheco Vieira e Victoria Maria de Amarante, residentes em São Luiz. Foram apresentados os documentos referentes ao artigo 180, de números 1 a 4, do Código Civil. Casaram-se em 19 de dezembro de 1891.” O referido é verdade e dou fé. Volta Grande, 22 de janeiro de 1996. Marcelo Guedes de Aguiar Oficial do Registro Civil e Tabelião.
63 – Cartório de Registro Civil e Notas de Volta Grande. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Óbitos da extinta serventia de Registro Civil e Notas do Distrito de Trimonte. Livro nº 1, folhas 104 e verso, termo 290 – óbito de Maria Teresa Pacheco de Castro, em 01-03-1899 – às três horas da madrugada, na fazenda São Manuel, no Distrito de Trimonte, em decorrência de câncer de mama.
"Aos primeiro dia do mez de Março de mil oito sentos noventa e nove neste Districto de São Luiz Comarca de Alem Parahyba Estado de Minas Geraes em Cartorio compareceu Luiz Augusto Teixeira de Castro declarando que hoje as treis horas da manhã em sua caza na fazenda de São Manoel neste Districto, fallecera sua mulher Dona Maria Pacheco Vieira de Castro cuja morte é consequencia de um tumor, sendo sepultada no simiterio deste Districto, ella foi tratada por diverços medico. E nada mais sendo declarado lavrei o competente termo que assignas se com migo o declarante marido da fallecida. Em tempo declaro que por não haver me fornecido em tempo os esclarecimentos só hoje foi averbado este lançamento no mez de Junho de 1899. O referido é verdade. São Luiz 16 de Junho de 1899. Eu João José Corrêa Escrivão. Antonio José Pereira.”
64 – Arquivo da igreja Jesus Menino Deus, em Recreio, Estado de Minas Gerais, Brasil – Livro de Batizados da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista, do período de 1878 a 1887 – assento de nº 81 – Julieta Vasques de Miranda nascida em 09-07-1878 e batizada em 30-10-1878. Pais: Jozé Bento Vasques de Miranda e Roza Luiza de Menezes Vasques. Padrinhos: João Clemente de Sá e Luiza Guilhermina de Sá. Oficiante: Padre Modesto Teophilo Alves Ribeiro.
65 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Água Viva. Ofício de registro civil e tabelionato de notas – Água Viva, Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Casamentos nº 02, folhas 62, termo 114. "Certifico que se acha registrado neste cartório, o assento de casamento de Luiz Augusto Teixeira de Castro e Julietta Vasques de Miranda. Ele, filho legítimo de Joaquim Antonio Teixeira de Castro e Carolina Augusta de Siqueira, já falecidos, natural deste Estado, com trinta e um anos de idade, residente no Distrito de São Luiz, Município de São José de Além Paraíba. Ela, filha legítima de José Bento Vasques de Miranda e Rosa Luiza de Menezes Vasques, natural deste Estado, com vinte e um anos de idade incompleto, residente neste Distrito. O casamento foi realizado às onze horas do dia oito de julho do ano de mil oitocentos e noventa e nove, na forma do regime legal de comunhão de bens, e com as formalidades legais, na residência do senhor José Bento Vasques de Miranda, neste Distrito, tendo sido presidido pelo cidadão Sebastião Carlos de Magalhães Castro, Juiz de Paz, em exercício, com a Jurisdição de Juiz dos casamentos, e serviram de testemunhas dos nubentes: Dr. Lucas Tavares de Lacerda e João Clemente de Sá”; como se vê no termo número 114, aberto à folhas 62, do livro nº 02, neste cartório, do qual me reporto e dou fé. Cartório de Paz de Água Viva, 21 de agosto de 1996. Manoelina Coutinho de Lima. Oficial do Registro Civil.
66 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Praça da Matriz, Distrito de Angustura, Município de Além Paraiba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Casamentos nº 1A, termo 19. Casamento celebrado na fazenda de José Bento Vasques de Miranda, no Distrito de Espírito Santo de Água Limpa (Água Viva), no dia 08 de julho de 1899, pelo Cônego Joaquim Ignacio Monteiro, Pároco da igreja de Nossa Senhora Madre de Deus, de Angustura. De: Luiz Augusto Teixeira de Castro, viúvo, de 34 anos de idade, negociante, com Julieta Vasques de Miranda, de 23 anos de idade, filha legítima de José Bento Vasques de Miranda e de Roza Luiza de Menezes Vasques. Serviram como testemunhas: Doutor Lucas Tavares de Lacerda (médico) e Augusto Vasques de Miranda.” Angustura, 05-01-1997. Maria Lucia Saviolo Pitassi. Secretária.
67 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Água Viva. Ofício de registro civil e tabelionato de notas – Água Viva, Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livro de Óbitos nº 03, folhas 06 verso, termo nº 122. Óbito de Luiz Augusto Teixeira de Castro, em 03 de dezembro de 1935. "Certifico que às folhas 06 verso do livro número 03 de registro de óbitos foi lavrado o assento do fazendeiro Luiz Augusto Teixeira de Castro, falecido aos três de dezembro de 1935, às cinco horas e quarenta e cinco minutos, na fazenda da Pedra, do sexo masculino, de côr branca, profissão lavrador, natural deste distrito, domiciliado e residente no mesmo, com sessenta e oito anos de idade, estado civil casado, filho de Joaquim Teixeira de Castro. Foi declarante Domiciano Florencio Ferreira, sendo o atestado de óbito firmado pelo Dr. Pompilio Guimarães, que deu como causa da morte: artero-esclerose generalizada. O sepultamento foi feito no Cemitério de São Luiz." O referido é verdade e dou fé. Água Viva, 22 de março de 1996. O Oficial Manoelina Coutinho de Lima."
68 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Recreio. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Recreio, Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Francisco de Almeida. Livro de Óbitos nº 08, folhas 162 verso, termo 08. "Certifico que se acha registrado neste cartório o falecimento de Julieta Vasques de Castro, do sexo feminino, de 64 anos de idade, viúva, proprietária, filha de José Bento Vasques de Miranda e Rosa Vasques de Miranda, natural de Água Viva, Município de Volta Grande, Minas Gerais, e aí residente; cujo óbito ocorreu neste distrito, às 2 horas, do dia 28-01-1943, de morte natural e em conseqüência de esclerose em placas, dispepsia vago-simpático e caquexia, conforme atestado do Dr. Darcy Nunes de Miranda, que se acha arquivado. Foi sepultada no cemitério público de São Luiz, Município de Volta Grande, Minas Gerais, como tudo se vê do termo no 08, aberto à folhas 162v, do livro nº 08, deste cartório, ao qual me reporto e dou fé. Observações: Deixou bens a inventariar. Deixou filhos maiores." Cartório de Paz de Recreio, 14 de junho de 1996. O Oficial do Registro Civil, Iris Coimbra de Almeida.
69 – Arquivo da Paróquia Madre de Deus, Praça da Matriz, Distrito de Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
71 – Cartório de Registro Civil e Notas de Volta Grande. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil. Livros da extinta serventia de Registro Civil e Notas do Distrito de Trimonte.
75 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Água Viva. Ofício de registro civil e tabelionato de notas – Água Viva, Município de Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais, Brasil.
77 – Jornal "O Leopoldinense" da cidade de Leopoldina, Estado de Minas Gerais. Brasil: edição do dia 01-03-1891, domingo – publicou na página 3, anúncio da “Padaria Rodrigues & Rodrigues", de Angustura.
78 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Providência. Ofício de registro civil das pessoas naturais tabelionato de notas – Providência, no Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
79 – Cartório de Paz e do Registro Civil de Angustura. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Angustura, Município e Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil.
80 – Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais, Rua Coronel Castelo Branco nº 48, Vila Laroca, Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil.
81 – Cartório de Registro Civil das Pessoas Naturais de Leopoldina. Ofício do registro civil e tabelionato de notas – Leopoldina, Minas Gerais, Brasil.
82 – Região Autônoma da Madeira, Governo Regional, Secretaria Regional de Educação e Cultura, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Arquivo Regional da Madeira, Caminho dos Álamos, 35 – 9020-064 – Funchal. Paróquia de Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos. Certidão de casamento de Manuel Rodrigues com Rosa Pestana de Jesus – Livro 3337, folhas 05 verso e 06, registro 07 – Data do casamento: 12 de junho de 1861 – às 11 horas. "Aos doze dias do mez de Junho do anno de mil oito centos e sessenta e hum pelas onze óras da manhaã na Egreja Parochial de Nossa Senhora da Graça do Estreito, Conselho de Camara de Lobos, Districto Eclesiastico do Funchal, Diocese da Madeira perante mim o Presbytero Manoel d'Abreu Macedo, Vigario da mesma Egreja, compareceraõ os nubentes Manoel Rodrigues, e Roza Pestana de Jesus, aos quaes conheço, e dou fé serem os proprios, com certidoes de previa, e livre denunciaçaõ por tres dias festivos n'esta freguezia, e com os mais papeis do estilo correntes, sem impedimento algum canonico ou civil para o cazamento dos mesmos nubentes; elle de idade de vinte e dois annos, solteiro, baptizado nesta n'esta freguezia, filho legitimo de Joaõ Rodrigues, cravueiro, e de Maria Roza, moradores no sitio do Cabo do Portaõ; neto paterno de avô incognito, e de Jozefa Maria; e materno de Antonio Gomes, e de Francisca Roza; e ella de idade de vinte e hum anos solteira baptizada n'esta freguezia, filha de Joaõ Pestana, e de Roza de Jesus, neta paterna de Antonio Joaõ Pestana, e Antonia Roza de Jesus; e materna de Joaõ Figueira da Silva, e de Quiteria dos Ramos; aos quaes interroguei solemnemente; e havido o seo mutuo consentimento por palavras de presente, se receberaõ por marido,e mulher; e os uni em matrimonio; e seguidamente lhes lancei a bençaõ nupcial procedendo em todo este acto conforme o rito da Santa Madre Igreja Catholica Romana, sendo testemunhas presentes, que conheço serem os professos, Luis Pestana, calafate, casado, e morador na Villa de Camara de Lobos; e Antonio Pestana, solteiro, lavrador, e morador nas Fontes. E para constar lavrei em duplicado,o presente assento, que depois de ser lido, e conferido perante os Conjuges, e testemunhas, comigo todos o assignaõ. Era ut supra.
O Presbytero Manoel d'Abreu Macedo = Vigario
Luiz Pestana
Antonio Pestana
Do conjuge Manoel Rodrigues
Roza Pestana de Jezus
86 – Internet, web — Projeto Compartilhar – sob coordenação de Bartyra Sette e Regina Moraes Junqueira. Citação.
87 – Livro "Tutelas e Curatelas" – publicação número 57 – 120 páginas – pelo então Ministério da Justiça e Negócios Interiores – Arquivo Nacional, diretor: Pedro Moniz de Aragão – apresentação de Carlos Grandmasson Rheingantz (1915—1988), Rio de Janeiro (RJ), Brasil, 1965. Citação em II, 101 (capítulo II), 102 (1).
92 – Cartório de Registro Civil de Estrela Dalva. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Estrela Dalva, Comarca de Pirapetinga, Estado de Minas Gerais, Brasil.
94 – Cartório de Registro Civil do 1º Subdistrito de Juiz de Fora. Registro civil das pessoas naturais, interdições e tutelas do 1º subdistrito de Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, Brasil – Cartório Cobucci.
96 – Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, Sumidouro, Diocese de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Casamento de Manuel Pacheco Vieira com Victoria Maria do Amarantes. Certifico que no livro 01 de assentamentos de matrimônios desta Paróquia, às folhas 22, consta que Aos 13 dias do mês de abril do ano de 1869, receberam-se em legítimo matrimônio, Manoel Pacheco Vieira e Victoria Maria do Amarantes. Ele, filho legítimo de José Gomes Vieira de Souza e Carolina Leopoldina Vieira, nascido aos 30 de maio de 1844, neste Estado, na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Sumidouro. Ela, filha legítima de José Luciano do Amarantes e Dona Roza Pereira de Jesus, nascida aos 16 de abril de 1848, neste Estado, na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, Freguesia de Valença. Celebrado pelo Padre Alexandre Pires de Carvalho.” Sumidouro, 15 de janeiro de 1997. Maria Alves Penna Cordeiro. Pelo Pároco.
97 – Internet, web — Página da Genealogia Brasileira – Estado do Rio de Janeiro – Povoadores da Região Serrana – Família Gomes Vieira. Autor: Doutor Lênio Luiz Richa. Citações.
99 – Internet, web — Genealogia Fluminense, Região Serrana, Fontes Primárias, Batismos na Matriz de Cantagalo, endereço:
Copiados pelo senhor Henrique Bon (ordenados por nomes dos pais), letra M, livro de batismo nº 1, da igreja matriz de Cantagalo, termo nº 520 – em 30-09-1815, batizado de Rosa, filha de Manoel José Pereira e Victoria Maria do Amor Divino; neta paterna de Manoel Pereira e Bárbara de Jesus; neta materna de João Gomes Rodrigues Torres e Ana Maria da Victoria.
100 – Arquivo da igreja Jesus Menino Deus, em Recreio, Estado de Minas Gerais, Brasil – Livro de Batizados da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista.
101 – Arquivo da igreja Jesus Menino Deus, em Recreio, Estado de Minas Gerais, Brasil – Livro de Casamentos da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição da Boa Vista.
105 – Arquivo da Paróquia de Santo Antônio, Distrito de Providência, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
106 – Cadastro Nacional de Falecidos – CNF, Brasil.
112 – BROTERO, Doutor Frederico de Barros – "A Família Monteiro de Barros", 1047 páginas, São Paulo, Brasil, 1951.
113 – GUIMARÃES, Cid — "Ribeiro do Valle" – Revista número 4, ano de 1997. Publicado pela ASBRAP – Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia, São Paulo (SP), Brasil.
114 – GUIMARÃES, Doutor José (Cambuquira, Minas Gerais, 05-05-1909 — Ouro Fino, Minas Gerais, 01-07-1989) – "As Três Ilhoas" – Obra póstuma em 4 volumes: volume 1 com 500 páginas; volume 2 – parte 1 com 726 páginas; Volume 2 – parte 2 com 528 páginas; e volume 3 com 158 páginas; digitação e diagramação de José Fernando Honorato, Ouro Fino, Minas Gerais, Brasil; impressão: Reprox – Artes Gráficas – São Paulo (SP), Brasil, 1990. Citações.
116 – FONSECA, Doutor Dulcídio Monteiro da – "A Família Vilela", 155 páginas – Edição do Autor, Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, Brasil, 1959. Citações.
117 – AMATO, Marta Maria – "A Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Carrancas e sua História" – 288 páginas, Edições Loyola, São Paulo (SP), Brasil, 1996. Citações.
126 – Dados do arquivo genealógico do advogado e genealogista da família, Doutor Rafael de Castro Baker Botelho, residente na cidade de São Paulo, Brasil, gentilmente compartilhado por e-mail e por listas de genealogia.
139 – Livros da Paróquia de São Sebastião, arquivados na Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, Diocese de Leopoldina, situado à Praça do Rosário, Nº 110 – Comarca de Leopoldina, Minas Gerais, Brasil, CEP 36700-000.
151 – Internet, web — Página da historiadora e genealogista Nilza Cantoni: "Descendentes de Antonio de Almeida Ramos". Endereço visitado em 2015:
152 – Cartório de Paz e Registro Civil de Cataguases. Ofício de registro civil das pessoas naturais – Cataguases, Estado de Minas Gerais, Brasil.
159 – Cartório do 1º Ofício de Notas, Praça Coronel Breves nº 7, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil.
160 – Cemitério da Trindade do Santíssimo Sacramento — Cemitério São José, em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil – Lápide do túmulo.
161 – Dados genealógicos gentilmente fornecidos pelo senhor Roberto de Siqueira Ferreira Leite, residente nas cidades do Rio de Janeiro e Teresópolis, Estado do Rio de Janeiro, Brasil; de suas pesquisas familiares, referentes ao casal João Alexandre de Siqueira e Flausina Barbosa de Siqueira. Citações.
162 – SOUZA, Doutor Itamar Paixão − "Reminiscências", 188 páginas e 5 fotografias, impressão mimeografada do próprio Autor, Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, Brasil. 1976. Citações.
163 – Dados do arquivo da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, Estrela Dalva, Diocese de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
164 – Cartório de Registro Civil e Notas de Volta Grande. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil.
165 – SILVA, Artur Vieira de Rezende e (02-06-1868—16-10-1945) – "Genealogia Mineira", 4 Volumes totalizando 1748 páginas (Volume 1, com 274 – Volume 2, com 328 – Volume 3, com 810 – Volume 4, com 336), Imprensa Oficial do Estado de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil, 1937 a 1939.
168 – Cartório de Registro Civil e Tabelionato de Abaíba. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Abaíba, Município e Comarca de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil.
171 – Informações gentilmente fornecidas ao autor, pelo comerciante aposentado, senhor Nagib Camillo Jorge, residente em Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil.
172 – Informações gentilmente fornecidas ao autor, pelo comerciante aposentado, senhor Kalil Alexandre, residente em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro, Brasil.
173 – Cartório do Registro Civil das Pessoas Naturais do 1º Distrito do Município de Miracema, Estado do Rio de Janeiro. Livro de óbitos nº 5 C, folhas 217, termo nº 3.116.
199 – Cartório de Registro Civil e Notas de Volta Grande. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas de Volta Grande, Comarca de Além Paraíba, Minas Gerais. Livro de casamentos nº 3-B, folhas 64 verso a 66, termo nº 14, 25 de novembro de 1920. Casamento de Jorge Abib Lattuf com Helena Assaf. Citações no teor do registro.
203 – Internet, web — Centros de História da Família (CHF), da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (SUD).
215 – Internet, web — Página "Geni". Citações: Teófilo Gonçalves Lara; Ana Isabel de Magalhães; Francisca Cândida; Cândido José de Souza; Maria da Glória de Jesus; Gervásio Gonçalves Lara; Ana Francisca de Mello; João Gonçalves de Lara e Góes; Josefa Maria de Faria.
216 – Quadro inédito contendo a ascendência direta do senhor Octaviano Galvão de França, a partir dos portugueses Manuel de França e dona Águeda Maria, naturais da Província do Algarve. Gentilmente cedido ao autor deste trabalho em 1995, pela senhora Ivani Galvão de Castro, neta paterna do citado Octaviano Galvão de França.
217 – LEME, Luís Gonzaga Silva (03-08-1852–13-01-1919) – "Genealogia Paulistana", 9 volumes, Duprat & Cia, ano de 1904, São Paulo (SP), Brasil.
218 – MOURA, Carlos Eugenio Marcondes de – "Galvão de França no povoamento de Santo Antonio de Guaratingueta", 364 páginas, ilustrado, Editora da Universidade de São Paulo (SP), Brasil, 1993. Citações.
219 – Cemitério Nossa Senhora do Carmo, do Município de Leopoldina, Estado de Minas Gerais, Brasil – Lápide do túmulo.
220 – Quadro contendo a ascendência direta do senhor João de Castro Neto e de sua esposa, Isabel Martins Nunes de Castro, elaborado por seus familiares e uma cópia foi gentilmente fornecida ao autor deste trabalho, por José Maria Martins de Castro – filho do referido casal.
221 – Região Autônoma da Madeira, Governo Regional, Secretaria Regional de Educação e Cultura, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Arquivo Regional da Madeira, Caminho dos Álamos, 35 – 9020-064 – Funchal. Paróquia: Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos. Pesquisa das seguintes certidões de casamento:
1) Antônio Gomes e Francisca Rosa de Jesus – livro 350, folhas 32 verso – ano de 1810;
2) João Pestana e Rosa de Jesus – livro 332, folhas 245 – ano de 1824;
3) João Rodrigues e Maria Rosa – livro 351, folhas 55 – ano de 1839.
222 – Região Autônoma da Madeira, Governo Regional, Secretaria Regional de Educação e Cultura, Direcção Regional dos Assuntos Culturais, Arquivo Regional da Madeira, Caminho dos Álamos, 35 – 9020-064 – Funchal. Paróquia: Estreito de Câmara de Lobos, Concelho de Câmara de Lobos. Pesquisa da seguinte certidão de batismo:
1) João, filho legítimo de Manuel Rodrigues e de Rosa Pestana de Jesus – 10-01-1871 – livro 3313-A, folhas: 5 verso.
223 – Cemitério São Sebastião – Cemitério Municipal de Volta Grande, Estado de Minas Gerais, Brasil – Lápide do túmulo.
225 – Cartório do 1º Ofício de Registro Civil das Pessoas Naturais e Tabelionato de Registro de Imóveis do Município e Comarca de Sumidouro, Estado do Rio de Janeiro, Brasil.
226 – Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Paquequer, Sumidouro, Diocese de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro.
227 – Cartório do Registro Civil de Vila de Jamapará. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Jamapará, Município e Comarca de Sapucaia, Estado do Rio de Janeiro, Brasil – Cartório José Barreto Guimarães Filho.
228 – Cartório de Registro Civil e Tabelionato de Notas de Santo Antônio do Aventureiro. Ofício de registro civil das pessoas naturais e tabelionato de notas – Santo Antônio do Aventureiro, Comarca de Além Paraíba, Estado de Minas Gerais, Brasil.
229 – Dados gentilmente fornecidos pelo genealogista, historiador e escritor, senhor Douglas Fazolatto, residente em Juiz de Fora, Estado de Minas Gerais, Brasil, via e-mail, do seu arquivo genealógico.
231 – Pesquisas do autor em páginas divulgadas pela internet, web.
260 – Cartório do Registro Civil do 1º Subdistrito de Belo Horizonte. Ofício de registro civil das pessoas naturais – 1º subdistrito, Bairro Floresta, Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, Brasil.
261 – Cartório do Registro Civil do 3º Subdistrito de Belo Horizonte. Ofício de registro civil das pessoas naturais – 3º subdistrito, Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, Brasil.
294 – Cartório de Registro Civil de Bicas. Ofício de registro civil das pessoas naturais, Bairro Centro, Bicas, Estado de Minas Gerais, Brasil.
295 – Dados familiares, gentilmente fornecidos por escrito pela senhora Maria Lívia Rodrigues Chagas, residente em Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro, Brasil.
296 – Informações gentilmente fornecidas pelo senhor Igor Alves Hauck, morador em São José dos Campos, Estado de São Paulo, Brasil, de suas pesquisas referentes à família Hauck – seus ascendentes.
297 – Informações gentilmente fornecidas por escrito em 1995, pela senhora Lea Vasques de Castro Cerqueira, residente em Presidente Bernardes, Estado de São Paulo, Brasil.


Autor deste trabalho genealógico:
Luiz Fernando Hisse de Castro
São José dos Campos
São Paulo, Brasil
02-02-2018